A Imagem de Nabucodonosor

Clique AQUI para a Página-Raiz. Esse post é parte de um estudo maior.

Comentário ao estudo da lição

Verso para memorizar: “É Ele quem muda o tempo e as estações, remove reis e estabelece reis; Ele dá sabedoria aos sábios e entendimento aos inteligentes” (Dan. 2:21)

1. Introdução – santo sábado, dia do Senhor

DEUS é compreensível por nós só em parte, uma pequeníssima parte. Ele jamais será compreensível no todo, pois, sendo Ele infinito, nós sempre seremos finitos, mesmo depois da transformação. Algo que não conseguimos explicar é: como Ele consegue conhecer o futuro em seus mínimos detalhes? E ele conhece bem. Não foi Daniel quem profetizou a seqüência dos impérios, foi DEUS quem o revelou a Daniel, e este escreveu. Muitas coisas das profecias de Daniel ele nem chegava entender o significado, portanto, não se pode atribuir o poder profético a um ser humano, mas só a DEUS.

satanás também quer ser semelhante a DEUS. Assim, ele procura imitar o que DEUS faz. satanás, como não consegue decifrar o futuro, gera então os prognósticos de curto prazo e as imitações de profecias de longo prazo. Os prognósticos vem por meio de pessoas chamadas sensitivas (a ele), que recebem mensagens dos espíritos relativos ao futuro, e as revelam. Podem receber mensagens psicografadas, que são oriundas diretamente dos espíritos, evidentemente, de demônios. Já as falsas profecias, para datas mais distantes, são tão vagas e imprecisas que geralmente se encaixam com alguns fatos que ocorrem. E não podemos desconsiderar que muitas dessas profecias de satanás são fundamentadas nas que estão escritas na Bíblia. Assim são as profecias marianas, em grande quantidade. Uma delas afirma que Maria virá bem logo a este mundo para trazer paz e unir as religiões e os povos. De um jeito ou de outro, para prognóstico ou para suas falsas profecias, depois satanás trabalha para que ocorra, ao menos aproximadamente, o que foi predito. Por isso ele prediz só o que pode fazer tornar-se realidade mais tarde. Por exemplo, ele jamais prediz algo de bom ou de ruim aos que são fiéis a DEUS, pois não tem poder sobre eles. Teria que vencer a DEUS, e isso lhe é impossível.

DEUS, diferentemente de satanás, demonstrando Seu impressionante poder, profetizou por meio dos profetas a sucessão dos impérios, deu nome a alguns reinos que se tornariam império, previu datas, fatos, sistemas políticos, decisões, perseguições, o que aconteceria com seu povo em detalhes e algumas dezenas de sinais para o tempo do fim. Estudemos nesta semana uma das mais fascinantes profecias, a estátua dos impérios, de Daniel 2. Bom proveito!

2. Primeiro dia: O dilema de Nabucodonosor

O rei, já em seu leito, meditava sobre o futuro de seu reino (Dan. 2:29). Era o segundo ano de seu reinado, e por certo, se imaginava, com seu pai, a raiz de um grande e eterno reino. Adormecendo, sonhou com a estátua de diversas partes. Ele deve ter-se sentido agradável em seu sonho vendo o esplendor da estátua. Mas, eis que de repente do nada surge uma pedra que em alta velocidade se aproxima da estátua e a atinge bem nos pés. Com o impacto algo terrível acontece no sonho, a estátua se desintegra e a pedra toma o seu lugar e abrange a terra toda, e o rei, acorda assustado, e não lembra mais o sonho.

Os caldeus acreditavam muito em sonhos. Nabucodonosor associou o sonho às suas preocupações quanto ao futuro de seu reino, e entendeu que o sonho seria uma revelação sobre essas preocupações. Mas ele estava assustado, o belo sonho se tornara um misterioso e apreensivo pesadelo. E mais, reteve na memória apenas a sensação de algo impressionante no sonho, mas não lembrava mais do que sonhara. Estava desesperado, pois imaginava o seu reino muito duradouro, e associado a essas imaginações, vem-lhe um sonho que destrói a estátua. O que queria dizer isto? Precisava algo impossível, alguém que lhe fizesse lembrar o sonho bem como a interpretação.

DEUS estava agindo nesse episódio. O modo como DEUS administrou os acontecimentos, deixou satanás e seus agentes desmoralizados. Tiveram que admitir que só ‘os deuses’, como Daniel mais tarde provou ser verdadeiro, seriam capazes de tal empreendimento. O que podemos aprender aqui? Vejamos:

ð DEUS estava anunciando a Nabucodonosor que o reino dele lhe foi dado pelo Rei do Universo, e que devia obediência a esse Rei;

ð Que o reino de Nabucodonosor não seria eterno, haveria outros, também passageiros, até que viria o reino de DEUS, este sim, eterno;

ð Que os magos, encantadores, astrólogos, etc, para nada servem, são só adivinhadores e enroladores, que acertam por probabilidade estatística, e muito mal;

ð Portanto, o sistema de sabedoria dos caldeus era uma farsa,

ð Mas aqueles servos, os ainda adolescentes de Jerusalém, estes sim, por meio deles o DEUS verdadeiro poderia tanto revelar o sonho como ainda desvendar o futuro;

ð O esquecimento do sonho tornou-se uma chave de confiabilidade para a sua interpretação, afinal, quem seria capaz de descobrir o que o rei sonhara, que não contara para ninguém, este também deveria ter poder para interpreta-lo;

ð DEUS começava a exaltar os seus servos cativos, começava a administrar Babilônia, império do inimigo, e satanás nada podia fazer para impedi-lo;

ð DEUS estava demonstrando ali que o seu povo estaria seguro, mesmo estando cativo por um poderoso império inimigo criado e desenvolvido por satanás. (Lembra que séculos antes, DEUS enviou José na frente para preparar a recepção de seu pequeno povo, ainda apenas um conglomerado de famílias, e que mais tarde, providenciou Moisés para libertar esse povo? Lembra que depois de Daniel DEUS suscitou Ester para proteger Seu povo? É assim que Ele age!)

ð DEUS mostrou a todos os que tivessem que saber, que os reinos de satanás não tem duração longa, e que um dia desaparecerão da Terra, mas o reino de nosso Senhor que aqui será implantado, e que JESUS deu início com Sua vinda, este durará eternamente.

Importante e interessante: nós vivemos nos dias da pedra que Nabucodonosor sonhou. Logo veremos JESUS retornando, e nos levando para aquele reino onde Ele já é Rei, e ainda sacerdote, advogado e Juiz. Como esse Rei é poderoso, que é capaz de anunciar fatos futuros com absoluta certeza, como quem descreve o passado!

3. Segunda-feira: As reuniões de oração de Daniel (Dan. 2:14-23)

Esta foi uma reunião dramática de oração. Eram quatro pessoas orando pela vida deles, para solucionar a questão do sonho de Nabu codonosor. A questão era delicada e importantíssima, tratava-se nada menos da revelação do futuro da humanidade – eles nem imaginavam o que fosse. Foi DEUS quem dirigiu a situação para que os quatro jovens, agora um pouco mais de um ano em Babilônia, a que orassem intensamente. DEUS estava por revelar a maior de todas as profecias, em sua primeira versão, a estátua metálica, muito forte, mas com pés frágeis.

satanás estava em plena ação, para eliminar os quatro representantes de DEUS em seu império. Já não os podia suportar, precisava matar Daniel e seus companheiros. Veio o decreto de morte, e satanás deve ter exultado com isso. No entanto, com DEUS não se brinca, Ele é capaz de tornar um mal em bem. Foi justamente do poder e da radicalidade desse decreto que saiu a força da credibilidade das palavras de Daniel, pela revelação de DEUS. Daniel pode afirmar diante do rei que foi o DEUS vivo que o revelou, e fora Ele quem dera o sonho a Nabucodonosor. A intenção de satanás fracassou diante do poder de DEUS.

Importante, Daniel sabia que DEUS agiria de algum podo por eles, mas mesmo assim, não deixou de orar. Nesse episódio eles se fortaleceram, e mais tarde, os três companheiros de Daniel, sós, mantiveram a mesma convicção que aprenderam de Daniel, quando foi a eles para orarem pela sua vida. O que satanás queria tornar em uma vitória dele, tornou-se em uma experiência de fé aos jovens, e reforçou a capacidade deles, em melhor condição, serem testemunhas de DEUS em império estrangeiro. Veja bem, DEUS deu o sonho, satanás aproveitou-se da situação para tentar matar os representantes do Reino de DEUS em seu império, mas, DEUS reverteu a situação mediante as orações dos quatro, e não só os salvou como, ainda por cima, revelou que o império de satanás teria fim, que não permaneceria para sempre, e ainda exaltou, em meio ao império do inimigo seus representantes, tornando-os importantes estadistas ali. Era uma batalha em andamento entre DEUS e satanás. Não é uma história que nos deixa seguros estando diante do desfecho da guerra entre satanás e nosso Senhor? Conosco, ao enfrentarmos a última batalha será da mesma forma: os ataques de satanás reverterão em vitórias para o povo de DEUS e para a Sua igreja. Até já sabemos disso, também pelas profecias.

4. Terça-feira: O testemunho de Daniel (Dan. 2:24 a 30)

Daniel e seus amigos oraram a DEUS, então este revelou tanto o sonho como a interpretação a Daniel, em uma visão, na noite. Isso foi naquela mesma noite, em que eles estavam orando. Não sabemos se eles oraram e foram dormir, provavelmente não dormiram. Pode ser que, estando a orar, Daniel assim recebesse a visão do sonho e da sua interpretação. O fato é que DEUS esteve com eles, atendendo aos seus pedidos.

Agora vem a parte mais emocionante. O que você acha de um rapaz, agora ainda com menos de 20 anos, diante do rei do império que deveria ser de satanás, ousadamente referir-se ao DEUS do qual satanás é máximo inimigo? Pois Daniel não vacilou. Pediu para ser introduzido perante o rei. Lá chegando, saudou o rei dizendo que o mistério não poderia ser revelado por magos e encantadores (Dan. 2:27), nisso ele enfrentou diretamente os sábios de satanás. Disse mais, que só o DEUS dos céus poderia revelar tais coisas, no que foi ainda mais forte em sua repreensão a satanás, exaltando o seu DEUS perante o trono de um império inimigo. Mas Daniel estava confiante, ele vinha em nome do Senhor. Daniel ainda disse que, em razão da preocupação do rei quanto ao futuro, o DEUS dos céus decidiu revelar a ele o que seria no futuro.

Enfim, diante do rei de Babilônia, o que seria hoje o equivalente estar diante de João Paulo II e dar testemunho sobre a verdade bíblica a ele e seus grandes. Foi algo assim que fez o pastor Baquioque, quando fez seu doutorado em Roma, numa universidade do Vaticano, justamente sobre a santificação do sábado. Há ‘Daniels’ também nos dias de hoje. Muitos de nós seremos levados também a tais experiências, bem logo, um pouco antes de JESUS retornar.

5. Quarta-feira: A imagem e sua interpretação (Dan. 2:28 a 45)

Dois aspectos a lição nos apresenta para debate no estudo de hoje: a abrangência da profecia da imagem da estátua e o que foi por ela revelado. Quanto a abrangência, está declarada no verso 28 (Dan. 2:28), onde diz que DEUS “fez saber ao rei Nabucodonosor o que há de ser nos últimos dias”. É fácil entender o significado da expressão “últimos dias”. A própria profecia o revela. A abrangência vai, desde os dias de Daniel (tempo da cabeça de ouro de Babilônia), em que o sonho ocorreu, até o fim do mundo com a segunda volta de JESUS (a pedra que abrangeu o mundo todo). Observe-se que ao longo do texto de Daniel, e em outros lugares, refere-se ao fim dos tempos, sempre culminando com a segunda vinda de CRISTO. O motivo da sucessão profética é assegurar que vai haver um reino cujo governante será JESUS, que passou pela cruz para conquistar o direito a esse reino. As profecias garantem o sucesso da instalação desse reino, e esse sucesso seria conquistado de modo dramático na cruz. A batalha pelo direito de ser Rei na Terra ocorreria quando JESUS viesse à Terra para viver entre os humanos, e vencer por eles e para eles.

Por sua vez, a seqüência dos reinos, nessa profecia limitou-se a dar as características deles. Evidentemente o reino em andamento foi bem identificado por Daniel, afirmando que com Babilônia se iniciava a sucessão dos reinos ou impérios do sonho, e que viriam mais três. Os dois reinos seguintes foram identificados pelo nome em outra visão dada a Daniel, relatados no cap. 8:20 e 21, revelando que os próximos dois reinos seriam, respectivamente, Medo-Pérsia e Grécia, e dando as características do quarto reino, englobando numa só descrição Roma pagã como Roma papal. Então a profecia é clara, não haveria mais outro império. Mas, se estudarmos a história, devemos ter cuidado com essa afirmação, pois na verdade houve outros impérios. O Império Romano foi sucedido, na Europa, pelo Império Merovíngio e depois pelo Império Carolíngio, que resultou no Sacro Império Romano Germânico, o famoso Primeiro Reich, um império de mil anos, (que Hitler queria restaurar). Mas, há uma observação a acrescentar, ao contrário dos impérios que Daniel previra, estes não tiveram mais poder sobre as questões religiosas. Veja bem, caro leitor, isso é sumamente importante: os impérios antigos sempre, sem exceção, valiam-se do misticismo pagão para dominar. O último império a fazer isto foi o Império Romano. Seus imperadores ostentavam, entre outros títulos, o de “Pontifex Máximos” ou seja, aquele que faz a ponte entre o reino e os deuses pagãos. Portanto, eles eram impérios duplos, de dominação civil-militar e de dominação religiosa. Só houve uma exceção, o reino de Israel, em que a parte religiosa não estava nas mãos do rei, e sim, de humildes profetas e sacerdotes. Esse não foi um império como satanás projetara. Portanto, os impérios pagãos do passado tinham por objetivo “IMPOR UM MODO DE ADORAÇÃO”, todos eles, em qualquer tempo e lugar tentara isto, TODOS! Com esse feitio, o último foi o Império Romano. O Império Merovíngio e o Carolíngio foram transitórios para o Sacro Império Romano-Germânico (Primeiro Reich), em que não eram os imperadores que controlavam os assuntos religiosos, mas o papado de Roma, esse sim, um novo e diferente tipo de império. Aqueles Impérios Merovíngio e Carolíngio não tiveram poder sobre as questões religiosas, pelo contrário, dele dependiam, e a dependência aumentava cada vez mais. Vez por outra algum imperador ousava contrapor o papa, e sempre se dava mal. Já durante o Império Carolíngio era o papa que ungia os imperadores para que tivessem poder, o poder religioso e místico se destacou, e se fez maior que o poder secular. Isso durou, desde a sua instalação até ser derrubado, 1260 anos, de 476 a 1798. Esse foi, a rigor, o primeiro império na história da humanidade em que era o poder místico que dominava o poder secular. Estava previsto profeticamente. Foi a primeira Ordem Mundial, que durou desde o ano 800 com Coroação de Carlos Magno pelo papa) ou 962 (coroação de Otão I pelo papa), varia conforme os autores, até 1648, quando no tratado de Versalhes se criou o conceito de Soberania (nenhum poder acima do governo de uma nação, como nos tempos da superioridade papa). Não confundir a primeira ordem mundial com os 1260 anos de supremacia papal, são conceitos diferentes. Mas o poder da Igreja Medieval continuou, embora moribundo, até 1798, quando foi quase eliminado por Napoleão. Em 1814 tentou retornar com o tratado de Viena, pela Santa Aliança (e esta foi a terceira Ordem Mundial), mas não obteve grande força, e a guerra da unificação italiana, em 1870 interrompeu a tentativa de ascensão do retorno ao poder, com o confisco das terras do Vaticano na Itália, pelo exército italiano, em pleno Concílio Vaticano I, apenas dois meses após a proclamação da infalibilidade papal, uma afronta contra DEUS prevista em Daniel 7:25 e 8:25. O sistema de império religioso sempre governou com a força de poderes seculares à sua disposição, isto é a união do estado com a igreja, e é isto que os Estados Unidos farão em pouco tempo.

A grande profecia da imagem ainda está em vigor. Estudaremos isto mais adiante.

6. Quinta-feira: A promoção de Daniel

Nabucodonosor ficou impressionado. Nunca vira, nem ouvira falar de tal poder: saber o que ele havia sonhado, e dar a interpretação. Conclusão do rei: o DEUS de Daniel é superior aos deuses da Babilônia, precisa ser respeitado. O rei ficou tão extasiado diante do que todos os sábios disseram ser impossível, que entendeu algo que eles lhe haviam dito: só um DEUS que não habita entre os homens para revelar tais coisas. Pois Daniel tinha contato com esse DEUS.

Então, como era o costume, Nabucodonosor, por reflexo, decidiu honrar a Daniel. Ele prostrou-se diante de Daniel, certamente para adora-lo. Não está registrado qual foi a reação de Daniel, mas podemos deduzir que ele o impediu. Em outra ocasião Daniel recusou até presentes. E também deduzimos isso porque ele era profeta, e um poderoso profeta, que orava diariamente, do qual não há registro de pecados. Pelo perfil de Daniel, ele deve ter feito algo para impedir que o rei o adorasse. Então o rei o honrou com manjares (presentes finos) e aromas suaves, uma maneira dos reis honrarem pessoas especiais naqueles tempos. Isso Daniel aceitou. Ele também aceitou a promoção para governador da província de Babilônia (que estava nos planos de DEUS), uma das províncias do império, e até pediu cargos também para seus três amigos. Note-se que isso tudo aconteceu antes de se vencer o prazo de três anos para sua preparação.

Aqui está o poder de DEUS em ação. Havia um plano divino em andamento. De início tudo parecia dar errado para esses quatro moços, mas, aos poucos, as portas se abriam, e eles foram guindados como elementos especiais de DEUS para estarem naquele império. DEUS colocara quatro jovens num império inimigo, e o fizera de forma impressionante, com o poder da Sua glória. Agora, como recompensa pela fidelidade deles, DEUS os constituíra sobre o império do inimigo, e já estava controlando esse império por meio de elementos humanos. E o próprio rei reconheceu a superioridade desse DEUS e a superioridade de seus elementos humanos.

7. Aplicação do estudo – Sexta-feira, dia da preparação para o santo sábado:

O que DEUS fez com esse episódio? Precisamos revisar alguns pontos:

ð Ele deu o sonho a Nabucodonosor, não a Daniel, e num dia em que o rei estava meditando sobre o que seria no futuro;

ð Ele fez que o rei esquecesse o sonho, mas restou-lhe a impressão de ser muito importante, e que deveria ser relembrado e interpretado;

ð O rei estava convencido de que se tratava de algo vindo dos deuses, e que respondia perguntas quanto ao futuro, ele se imaginava rei de um império eterno;

ð Os seus sábios falharam a ponto do rei vê-los como inúteis;

ð Daniel, um cativo, há pouco mais de um ano em Babilônia, teve então a oportunidade de entrar em cena, revelar o que o rei sonhou e dar também a interpretação, pelo que tudo era tido como fiel;

ð O DEUS de Daniel foi reconhecido por um rei do império de satanás como sendo o único e verdadeiro DEUS, DEUS dos deuses, isso deve ter sido terrível a satanás;

ð Assim será no final do juízo, todos reconhecerão que DEUS é único, verdadeiro e justo;

ð Daniel e seus companheiros, representantes de DEUS, foram honrados;

ð E DEUS, por meio de pessoas que deveriam ser apenas escravos a serviço do rei de um império inimigo, passou a governar esse reino, valendo-se de simples elementos humanos.

O que deduzimos? DEUS sempre está no controle; Ele não Se deixa escarnecer; Ele é superior a satanás e satanás precisa resignar-se ao controle e governo de DEUS; Ele coloca elementos humanos, nesse caso não passavam de adolescentes, nos impérios do inimigo; Ele conhece o futuro tão bem como o passado; e também revelou uma ciência, a ciência da profecia, que pode ser provada como algo que abre o futuro com absoluta precisão. Essa ciência pode atrair muitas pessoas de alta cultura para também se interessarem pela palavra de DEUS. Foi isso que aconteceu com Nabucodonosor, ele percebeu claramente que havia um poder superior em ação, e reconheceu esse poder. Hoje, mais do que nunca, podemos e devemos valer-nos do lado científico das profecias para atrair muitos que de outra forma veriam a religião apenas como fundamentada em fé cega e sem outro fundamento senão uma espécie de convicção vinda de dentro, não de cima.

Professor Sikberto Marks

Escrito entre: 01/09/2004 a 07/09/2004

Revisado em 10/09/2004

About these ads
Esse post foi publicado em Comentários de Sikberto R. Marks e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s