O Clímax da Expectativa Apocalíptica

Clique AQUI para a Página -Raiz. Esta página é parte de um estudo maior.

“Aquele que dá testemunho destas coisas diz: ‘Sim, venho em breve!’ Amém, Vem, Senhor JESUS! A graça do Senhor JESUS seja com todos. Amém.” (Apoc. 22:20 e 21)

A humanidade vai de mal a pior. Os problemas se multiplicam e se agigantam. Perspectivas de soluções humanas são cada vez menos prováveis, diante do terrorismo, do tráfico de armas, de drogas, de pessoas humanas, da violência sem controle… Aumenta dia a dia a confusão de doutrinas religiosas. Em meio a isto, sofrem os bons e os maus, os animais e as plantas. Toda a natureza sofre. Está chegando a hora, e vai alto o tempo de uma intervenção da parte de quem tem a solução, para o sofrimento dos bons e dos maus. Todos são filhos do Criador, e Ele não tem prazer nem no sofrimento nem na morte dos ímpios. JESUS tem a solução instantânea para todos os problemas do mundo, e eles serão resolvidos por ocasião da Sua vinda. Para muitos, verdadeira solução, para outros, o fim da aventura pela geração de problemas.

Antes de escrever esse trecho, estive no hospital, vendo o meu pai. Ele agora precisa fazer duas ou três pontes de safena. Como é duro para um homem, cuja saúde está excelente, mas um órgão do corpo está em estado crítico. Lá, no hospital, encontrei outro homem, 55 anos, com o cérebro afetado pela diabete. Um trabalhador, pessoa de bons princípios, mas um caso sem solução. E é só olhar um pouco em redor, e já se encontram vários doentes em estado ainda pior. Há aqueles cuja solução é só uma: a morte, para terminar com o sofrimento. Parece que a degeneração do gênero humano não encontra limites, apesar do desenvolvimento tecnológico.

Mas nem remédios, nem equipamentos, nem a ciência é a solução, senão paliativo temporário, para dar à pessoa uma pequena sobre-vida. A solução é JESUS! Enquanto Ele não volta, como é agradável saber que Ele está por voltar! É o sonho da fé, que nos mantém fortalecidos por uma realidade prometida que logo se tornará possível vivenciar. E quando Ele estiver voltando, como serão esses momentos para os salvos? Será uma experiência indescritível! Nunca mais a incerteza, nunca mais a doença, nunca mais a dor, nunca mais a morte. Tudo terá passado para aqueles que se entregaram ao Salvador, e que mantiveram a fé n’Ele, obedecendo aos Seus mandamentos de amor. O milênio que passaremos no Céu, nesse tempo ainda teremos que estar em contato com os temas do pecado. Estaremos revisando os livros dos registros dos atos de todos os que se perderam. Veremos a absoluta justiça de DEUS, e, principalmente, o quanto Ele fez, para que esses outros também se salvassem. Na verdade Ele fez tudo. Mas durante o milênio, nos familiarizaremos mais intensamente com o que aconteceu nos bastidores da luta, os movimentos que hoje não são visíveis para nós, e veremos em toda a sua extensão, o quanto satanás é mau, e quão grande é o amor de JESUS.

As provas finais ainda estão pela frente. Há batalha à vista. Mas, desta vez, embora seja a mais dura e intensa, será de curta duração. A próxima batalha é precisamente a última, a que antecede a volta do Senhor. Nesse momento em que estou escrevendo, desejo, sinceramente expressar meus sentimentos. Quero ir embora deste mundo escuro. Sinto forte desejo de ver JESUS nas nuvens. Quero experimentar no meu corpo, a sensação de estar sendo recriado, ou seja, sendo transformado. Como será essa experiência? Vejo, ao redor, bem perto, por todos os lados, dor e sofrimento. Ainda há aqueles que não sentem nem percebem nada disso. São felizes, pensam eles, mas vivem na utopia do engano. Não se pode mais ficar tranqüilo diante da situação em que milhões de pessoas se encontram. Na África, Afeganistão e Corréia do Norte, nesse momento, estão a beira da morte por falta de alimento, 10 milhões de pessoas. No mundo, 815 pessoas passam fome, segundo a ONU. Como deve ser sofrido morrer de fome! E na reunião que esta ocorrendo nesses dias, em Roma, sobre o assunto, dos países ricos, apenas dois compareceram. Não há interesse em resolver a questão da fome. Além de palavras e projetos, a intenção não vai muito longe. No entanto, há alimento sobrando no mundo, mas ele tem preço, e é alto. Os países ricos reduziram em 50% a ajuda aos países pobres, durante a década de 90. E, incrível, fala-se em reduzir o número de famintos em 50% até o ano 2015.

O mundo não suporta mais. Estamos gemendo, as pessoas, a natureza, a própria Terra. “Até quando estará de luto a Terra, e se secará a erva do todo o campo? Por causa da maldade dos que habitam nela, perecem os animais e as aves; porquanto dizem: Ele não verá o nosso fim.” (Jer. 12:4). Senhor JESUS, por favor, volte logo, És a única solução. João, em seu tempo já exclamava: “Ora, vem Senhor…”

Da nossa parte, como humanidade, quase tudo o que fazemos, resulta em algum mal. As potentes armas não garantem a paz. Elas garantem apenas uma coisa: destruição. É para isso que elas servem. Só para isso. No entanto, os grandes líderes, enlouquecidos, as constróem na intenção de com elas, garantir “paz e segurança”. Não podem discernir que elas farão parte da “repentina destruição” que se aproxima à velocidade acelerada. Que bom que existe a “bendita esperança” agora mais desejada que nunca.

Quem está por vir

Ele virá, visível por todos. Alguns olharão para Ele satisfazendo a sua imensa saudade, mas outros, tentarão desviar seu rosto do rosto do Salvador. O próprio homem que uma vez esteve entre pecadores, esse voltará outra vez (cf. atos 1:11).

O espetáculo foi interrompido, mas será retomado, tal como foi interrompido. Os discípulos olhavam para cima, tendo-se Ele afastado deles, em direção às alturas, desaparecendo numa nuvem. Mas eles, depois que não mais O podiam ver, ainda assim, olhavam para cima. Como pode haver separação de alguém que é puro amor, que se tornara tão íntimo? Foram de tal maneira agradáveis aqueles três anos e meio com JESUS que a separação foi dura. Mas, no mesmo instante em que só restava a saudade, lhes foi adicionada a promessa: “Esse JESUS que dentre vós foi assunto ao céu, assim virá do modo como O vistes subir” (Atos 1:11 up).

O anjo anunciara que o espetáculo apenas fora interrompido, estando eles a olhar para cima. Agora, aproxima-se o tempo de outra vez olhar para cima, e logo retomar o espetáculo, para ve-Lo descer, conforme a promessa. Relativo ao cenário anteriormente descrito sucintamente em Lucas 21:25 e 26, ele nos convida a meditar nas palavras dos dois versículos seguintes: “Então se verá o Filho do homem vindo numa nuvem, com poder e grande glória. Ora, ao começarem estas cousas a suceder, exultai e erguei as vossas cabeças; porque a vossa redenção se aproxima.” Enquanto aumenta o ódio contra o Salvador e seus servos fiéis, por parte de muitos, paralelamente, aumenta a necessidade de outros poderem vê-Lo. Feliz foi Jó, que em sua dor máxima, sentiu o desejo de ver o Salvador com seus próprios olhos quando se manifestasse na segunda vinda (Jó 19: 25 a 27) mas, qual não foi sua surpresa, ele pode ver o Salvador ainda em vida (Jó 42:5). Como DEUS é bom!!!

Uma presença gloriosa e global

Ele será visto por todas as pessoas que estiverem vivas nessa época. Via ocorrer uma ressurreição especial, um pouco antes da ressurreição dos justos, para que os grandes servos da verdade também possam ter o privilégio de vê-Lo voltando desde a pequena nuvem no espaço. Por certo, os apóstolos deverão ter esse privilégio, eles que tiveram interrompida visão de JESUS, que subia distanciando-se deles. Como esses apóstolos se sentirão recompensados, a sua alegria será plena, pois desta vez se reencontrarão com O Mestre do amor, para nunca mais seres separados. Eles olhavam para cima, vendo-O afastar-Se deles, agora, olharão para cima, vendo-O regressar. Como eles irão rir de alegria! Que privilégio terão esses homens!

Também ressuscitarão alguns dos maus, que O traspassaram, e que combateram ferozmente a verdade. Estes não terão nenhum privilégio. Será para eles uma cena de condenação, embora maravilhoso, não O saudarão, mas fugirão d’Ele e da cena. Mas queiram ou não, a Sua glória que excede a todo brilho do Sol, se manifestará por todos os lugares do planeta Terra, em honra àqueles que tanto O desejam ver ou rever. Eu e minha casa queremos ser participantes desta experiência.

Uma presença poderosa para Seu povo

A volta de JESUS será uma demonstração real de Seu poder. Desta vez virá com Sua glória e em Seu poder. A Terra toda será imensamente iluminada, reflexos da luz se estenderão Universo afora. É o maior espetáculo de todos os tempos. Nunca nada igual aconteceu na história do Universo: um resgate colossal de ínfimos seres humanos, mas a tal ponto amados que nem a morte os poderia separar de seu Criador. Pela sua morte o Criador deu a Sua vida, e, em pessoa, os salvou substituindo-os, e, em pessoa, os resgata para sempre. Será oportunidade única para ver o contraste entre a escuridão horrível do ambiente de pecado e a luz da glória do Criador. Aqueles que estão sendo salvos, verão o que ganharam, os outros, o que perderam, contrastado com o que tanto amaram: um mundo que para nada serve.

Pelo espaço sideral avança a nuvem, em direção à Terra. O Universo observa, e os homens na Terra, alguns olham para cima sem desviar dela seus rostos, outros buscam fugir da face do todo poderoso Criador. Será uma aparição global, de todos os lugares do planeta Ele Se tornará visível. Não vai haver canto nem esconderijo onde a luz não penetre, e de onde não seja possível vê-Lo. Uma maravilha, um espetáculo único, jamais isso acontecerá outra vez, pois nunca mais vai ocorrer outra vez tal experiência de pecado. Isso nunca mais, que bom.

A volta de JESUS é também uma demonstração de amor. Ele vem para os Seus, os que O aguardam ansiosos desde a fundação do mundo. À ordem dada, perante os olhos dos vivos, manifesta-se o poder da Sua palavra, e eis que os mortos santos ressuscitam transformados, e de imediato, os que estavam vivos, percebem-se também transformados. Desse momento em diante, ouvem-se as aclamações de alegria em todos os recantos do planeta, e as pessoas se abraçam numa manifestação de alegria indescritível. Ao os mortos se levantarem, foi derrotada a morte. Ela não pôde contê-los, foi impotente diante da glória, do poder e do amor do todo poderoso, que de “tão puro de olhos, não pode ver o mal” (Hab. 1:13, pp). Os anjos que por toda a vida nos protegeram se mostram visíveis, pois, transformados, estaremos vivendo os primeiros minutos num corpo perfeito, sem pecado e sem possibilidade de sofrimento. Enquanto os abraços se multiplicam, vemo-nos sendo elevados aos ares, e na nuvem, com CRISTO, viajando em direção da Nova Jerusalém. Eis a eternidade pela frente.

Uma presença poderosa contra Seus inimigos

Descrever a aplicação do castigo sobre os ímpios não é nada agradável. Coloquemo-nos no lugar de DEUS, que é amor, mas que precisa, além de castigar os ímpios, eliminá-los a ponto de não restar conceito deles. Ele não tem prazer na morte do ímpio, mas que se salve. DEUS é pai de amor, ama a todos, porém, a escolha pela vida ou pela morte compete a cada ser criado com inteligência. Eles, no entanto, deverão ser inteiramente consumidos, como palha seca (Naum 1:10), e, para isso, “O Senhor será terrível contra eles (Sof. 2:11), por causa do contraste do amor com o ódio. Quem é do amor, ao contemplar o ódio em ação, sente-se fortemente abalado, e quem é do ódio, ao contemplar o amor em ação, sente-se fortemente contrariado. Um não pode estar na presença do outro, são opostos. Imagine-se a sensação dos ímpios quando com eles se fizer justiça, justamente naquilo que eles provocaram!

Como se poderia descrever a perplexidade dos ímpios, do momento em que perceberem claramente que erraram de estratégia, e que escolheram o senhor da morte, que foram enganados. Na realidade, perceberão que tiveram suficientes condições de informação para a outra escolha. No entanto, brincaram com a sua vida, desprezaram a verdade da Bíblia, e a trataram como coisa de fanáticos, de lunáticos, de “crentes”, de gente sem conhecimento. Pelo fato de assim se terem comportado, sua condenação é justa, e eles percebem isso claramente, embora não o aceitem. Seu ódio aumenta contra os santos, e o ódio alimenta mais ódio, num circulo vicioso que não acaba, senão em loucura. Será uma cena terrível, da qual os santos, em grande parte, certamente serão poupados de contemplar. Será terrível observar o mal em agonia final. Pode-se imaginar uma cena em que ocorre ao mesmo tempo, a perplexidade, o ódio, o terror, o furor, a sede de vingança, a angústia…? Como as pessoas reagirão nessas condições? Nem é bom demorar-se nisso, se não é esse o nosso destino.

O Senhor destruirá o iníquo (sistema papal) com o sopro da Sua boca, e também a besta (a igreja que sustenta o sistema papal) e o falso profeta (o protestantismo que parou de avançar rumo às descobertas da verdade bíblica e retorna às origens do sistema papal). Ele destruirá com o poder da Sua palavra também a satanás. Isso tudo acontecerá após o milênio. Os humanos ímpios estarão estendidos sobre a face da terra, mortos, durante o milênio em que os santos estiverem no Céu examinando os livros. Mas satanás e seus anjos, esses estarão presos durante o milênio. Sua ocupação sempre foi enganar pela mentira, agora não terão ninguém para enganar. Deverão, por força das circunstâncias, observar o fruto de seu trabalho, a destruição e a morte, por todo lado. Uma vez decidiram abandonar o lar de amor de DEUS para formar seu próprio reino, agora pode contemplar o seu reino, no que deu: um desastre total. Nessa cadeia, por certo, satanás e seus anjos se recriminarão mutuamente, pois não se acredita que entre eles haja paz e harmonia. Poderão dedicar-se em lutas entre si, pois, entre eles, quase tudo se resolve na base da ofensa, da imposição e da guerra; assim como tornaram o planeta todo. Mas a sua mais importante atividade, a tentação para obter adeptos pela mentira, essa não poderão mais fazer.

Então, resumindo, as condições na Terra durante os mil anos serão assim:

a) Caos completo, tudo destruído pelos terremotos, vendavais, enxurradas, guerras, pragas, etc.;

b) Devido a reação atômica das armas hoje armazenadas, o que tiver restado com vida, plantas e alguns animais por certo, estarão deformados com as pestes que os afetam, principalmente o câncer, e isso criará um estado terrível para se observar;

c) Não vai haver quem faça a limpeza no planeta, isso é trabalho que satanás não sabe fazer, portanto, ao longo dos séculos, a terra se tornará numa gigantesca ruína cheia de ossos de pessoas e animais, a morte, final da aventura do pecado, estará livre para completar o seu trabalho;

d) A Terra retornará, de certa forma, ao seu estado primitivo, porém com as marcas do pecado, então, nela, se formarão grandes tempestades, terremotos, e outros cataclismas incontroláveis, o Espírito do Senhor não vai fazer mais nada para manter a natureza sob controle durante o milênio.

e) Satanás estará aqui, sem ter a quem enganar nem a quem acusar;

f) mas apenas para contemplar o resultado de sua loucura;

g) ele contemplará, verá seu erro, se sentirá terrivelmente angustiado pelo estado a que chegou, mas não se arrependerá.

h) Enquanto isso, os santos, estarão a salvo no céu;

i) verificando os registros nos livros que contam os atos dos que se perderam, e percebendo a infalibilidade da justiça de DEUS.

No final dos mil anos, os ímpios culpados ressuscitarão, e com o mesmo pensamento de maldade com que morreram, virão à vida, e assim, se também comportarão. Como rejeitaram, não puderam ser transformados. Eles, capitaneados por satanás, numa tentativa louca, arregimentar-se-ão para assaltar a cidade santa, dentro da qual estão O Cordeiro e os santos salvos. Satanás então reagirá.

a) Reunidos, em enorme multidão, diante da cidade santa, “a uma voz, as hostes dos ímpios exclamam: ‘bendito O que vem em nome do senhor!’” (GC. 662).

b) Satanás argumentará que eles são muitos e que os santos são poucos, que podem vencer, e que foi ele que lhes devolveu a vida.

c) Os ímpios, cativos de satanás, vendo nele sua única esperança, olham-no como líder. Ele, manifesta diante deles seu poder, operando maravilhas, como dando força ao fraco, curando doenças, concedendo capacidades, etc. Garante que é capaz de derrotar os de dentro da cidade, e esse é um novo confronto entre as forças do mal contra as do bem, o último confronto, a segunda parte do Armagedon, iniciada antes do milênio.

d) Todos os grandes comandantes de toda a história das guerras, os construtores de armas mortíferas, eles trabalharão com intensidade para preparar-se para a batalha final, terão algum tempo para isso (e nisso demonstram o quanto é imprescindível que sejam destruídos).

e) Preparados, finalmente organizam-se em exércitos com o comando de satanás e seus anjos, nesse tempo por certo visíveis, e cercam a cidade santa.

f) JESUS ordena que as portas da cidade sejam fechadas, vai iniciar-se a última batalha, Ele, o Cordeiro, agora em Seu santo monte, contra as forças de satanás, os santos apenas serão expectadores.

g) CRISTO aparece diante de seus inimigos, e todos podem vê-Lo, em Sua glória, em Seu trono, muito acima da cidade.

h) Ele está assentado sobre o trono e rodeado de Seus súditos, uma multidão que ninguém podia contar;

i) Os remidos acham-se seguros próximo de JESUS, e podem contemplar o inimigo lá fora, quão terrível é seu semblante, e quão ameaçadora a sua fúria;

j) O Filho de DEUS é coroado na presença de todos, bons e maus, tornando-se ali Rei dos reis;

k) Abrem-se outra vez os livros com os pecados dos ímpios, e instantaneamente, estes se tornam cônscios de seus pecados;

l) Por sobre o trono de CRISTO, surge uma cena, como um filme, e nela são revelados os principais acontecimentos da história do pecado, desde a queda de Adão e Eva, principalmente as cenas da crucifixão de JESUS.

m) Fica flagrante o amor do Cordeiro que está no trono, em contraste com os pensamentos, as palavras e os atos dos que estão de fora da cidade.

n) As cenas do calvário são vistas e todos percebem a razão da culpa na morte do Salvador, principalmente os atores diretos.

o) Satanás curva-se, e reconhece sua culpa, mas não se arrepende, e toda a multidão dos ímpios, dessa maneira, reverenciam o Rei do Universo, mas nenhum deles se arrepende.

p) Satanás retoma seu espírito de maldade e com fúria de um que realiza sua última tentativa de obter vitória, em desespero, arremessa-se no meio de seus súditos para os reanimar a tomar a cidade santa;

q) No entanto, agora o ódio dos ímpios, e eles somente sabem odiar, volta-se contra aquele que os enganou, e como demônios, furiosos, atacam satanás.

r) Desce fogo do céu, e inicia-se o processo para consumir todos os pecadores que pecavam conscientemente, sabendo que o que faziam era mau e que seria punido;

s) dentre os quais, alguns de imediato serão mortos, outros, pagarão por mais tempo, de acordo com sua maldade, e satanás, que deve pagar também pelos pecados dos justos, será o último a morrer (ver GC, p. 673).

t) Pelo fogo, todo o vestígio do mal é eliminado, mas, resta um vestígio, o do amor em meio ao mal para resgatar os seus amados: “nosso redentor sempre levará os sinais de Sua crucifixão” (GC, 674). “E os sinais de Sua humilhaão são a Sua mais elevada honra; através das eras intermináveis os ferimentos do Calvário Lhe proclamarão o louvor e declararão o poder.” (GC. 674). São as marcas do amor enfrentando o ódio, e vencendo pelo método do amor, ou seja, amando.

u) Então, os santos salvos, verão o Criador em ação na Sua obra de criar pelo poder da palavra. Ele fará, diante deles, pelo poder do amor, tudo novo outra vez.

v) Tudo recriado, os santos saem da cidade santa, e tomam posse da Terra, que lhes é dada porque são muito amados. Foram fiéis no pouco, agora são colocados sobre o muito. Então eles levarão a cabo os mais grandiosos projetos do trabalho da inteligência humana. “Edificarão casas, e as habitarão; e plantarão vinhas, e comerão o seu fruto. … os Meus eleitos gozarão das obras das suas mãos.” (Isa. 65:21 e 22). Nunca mais trabalhar para ganhar o sustento pelo suor do rosto, para com isso, apenas sobreviver por pouco tempo, mas trabalhar para as grandes glórias da vida perfeita numa terra onde somente reina o amor.

w) “E ao transcorrerem os anos da eternidade, trarão mais e mais abundantes e gloriosas revelações de Deus e de Cristo. Assim como o conhecimento é progressivo, também o amor, a reverência e a felicidade aumentarão. Quanto mais aprendem os homens acerca de Deus, mais Lhe admiram o caráter. Ao revelar-lhes Jesus as riquezas da redenção e os estupendos feitos do grande conflito com Satanás, a alma dos resgatados fremirá com mais fervorosa devoção, e com mais arrebatadora alegria dedilharão as harpas de ouro; e milhares de milhares, e milhões de milhões de vozes se unem para avolumar o potente coro de louvor.” (GC, 678).

De volta para o Éden

“Então vi Novos Céus e Nota Terra, pois o primeiro céu e a primeira terra tinham passado; e o mar não existia.” (Apoc. 21:1).

Adão e Eva é que ficarão felizes. Depois de milhares de anos, finalmente, de volta ao lar. Os demais, não chegaram a conhecer o lar do primeiro casal, senão os antediluvianos, que podiam olhar para dentro, mas adentrar.

O Criador refez tudo conforme o projeto original. Agora, desfrutando em Sua companhia, lá estão os santos, em passeios de reconhecimento na Terra renovada. Há uma incrível felicidade em meio às belezas e encantos do que o infinito amor do Criador pode prover. O inimaginável agora tornou-se real (ver I Cor. 2:9). Enxugados dos olhos toda a lágrima, será perfeita e completa a felicidade, pela contemplação das obras do Criador. Então sim, seremos o Seu povo, e Ele será o nosso DEUS, para sempre. E o mal não mais se repetirá.

Conclusão

A contemplação, hoje pela fé, do que poderá ser a Nova Terra, é algo bom para o íntimo do nosso ser. Pensemos apenas numa cena: a vida entre os amigos nesse lugar perfeito. Como serão os amigos ali? Todos serão amigos, não vão haver inimigos. O conceito de inimigo não mais existirá, por falta de aplicação. Essa será uma palavra sem sentido, ela perderá a sua função, e deixará de existir.

Os amigos irão relacionar-se uns com os outros pelo amor. Sentirão tamanha afeição uns pelos outros que conversarão por longo tempo, e se deliciarão uns com as belas idéias dos outros. Como é agradável apreciar boas idéias! O ambiente fará brotar idéias nobres e criativas, e elas serão trocadas umas com as dos outros. Assim transcorrerá a vida, cheia de novidades a cada momento, cheia de desafios que podem ser alcançados, e que contribuem somente para o bem. “Todas as faculdades se desenvolverão, ampliar-se-ão todas as capacidades. A aquisição de conhecimento não cansará o espírito nem esgotará as energias.” (GC, 678).

Como será o primeiro dia na terra renovada? Pense sobre isso, vai fazer bem!

Um pensamento para reflexão: “Ter conhecimento do cumprimento profético é importante, mas sentir em nossa existência esse cumprimento, é dramático!”

Prof. Sikberto R. Marks

Escrito em: 12-06-2002

Esse post foi publicado em Comentários de Sikberto R. Marks e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s