Alienígenas, Anjos, ou Adotados? Quem São os Filhos de Deus?

30 outubro de 1938. Era noite de Halloween, e grande parte da América tinha seus rádios sintonizados com a Columbia Broadcasting System, que tinha acabado de informar sobre o clima e começava a tocar música. Dentro de instantes, a transmissão foi interrompida por um flash de notícias sobre estranhas explosões em Marte. O locutor assegurou ao público que quando mais informação se tornasse disponível, mais anúncios seriam feitos. Em seguida, a música continuou.

Conforme a noite avançava, a música era interrompida com freqüência, agora com relatos terríveis de uma invasão. Alienígenas de Marte teriam desembarcado em Nova Jersey e em cidades ao redor do mundo. A Terra estava sob ataque. O pânico tomava conta das ruas com muitas pessoas fugindo de suas casas.

Mas era tudo ficção.

O jovem Orson Wells havia adaptado o livro “A Guerra dos Mundos” de H.G.Wells e modificou o script para apresentar a história como se estivesse acontecendo em tempo real. Muitos ouvintes acreditaram que a história ficcional trasmitida pela rádio fosse mesmo real.

Aqueles que entraram em pânico estavam operando com informações incompletas. Eles não conseguiram ouvir a estação anunciar no início e no fim da transmissão, que tudo se tratava de um mero drama. Sintonizando no meio da notícia e ouvindo apenas uma parte da história, sem nenhum contexto, saíram correndo pensando que o céu estivesse desabando.

Similarmente, uma passagem do Gênesis quando lida fora do seu contexto têm levado muitos a acreditarem que a Terra foi invadida por alienígenas do espaço sideral. Vamos dar uma olhada neste versículo desafiador:

“E aconteceu que, como os homens começaram a multiplicar-se sobre a face da terra, e lhes nasceram filhas, Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram.” (Gênesis 6:1-2)

Alguns acreditam que o termo “filhos de Deus” refere-se aos invasores extraterrestres. Eles acreditam que esses seres são anjos caídos ou alienígenas do espaço que tomaram as fêmeas humanas como esposas e produziram descendência. Eles racionalizam essa crença dizendo que os filhos gerados como resultado dessas uniões eram “gigantes” (Verso 4). Eles acreditam que essas uniões profanas foram responsáveis pelo aumento da maldade do homem.

Na superfície, esta parece ser uma explicação razoável das Escrituras. Mas, como veremos, sem entender o contexto que rodeia esta passagem, você pode realmente ficar confundido e acreditar que certas ficções sejam reais. Felizmente, podemos esclarecer qualquer confusão sobre os filhos de Deus muito facilmente reunindo mais informações da Bíblia.

Os anjos são espíritos

A Bíblia King James usa o termo “filhos de Deus” 11 vezes em duas formas principais. No entanto, ela nunca usa o termo para se referir a um ser angelical.

“Faz dos seus anjos espíritos …” (Salmos 104:4). Os anjos são espíritos, não são carne. Todos eles estão em torno de nós agora, mas não podemos vê-los. Eles geralmente permanecem em sua forma espiritual e não têm integração física em nosso mundo, eles não vão à escola, conseguem emprego, ou constituem família. Eles estão aqui para “servir a favor daqueles que hão de herdar a salvação” (Hebreus 1:14).

Mesmo que quisessem se casar e ter filhos, eles não poderiam, pois não possuem DNA humano. Seria mais fácil para uma água-viva se casar com uma cabra da montanha do que os anjos se casarem com pessoas. Assim, não faz sentido prático acreditar que a nossa passagem em Gênesis refere-se à união de anjos, caídos ou santos, com os seres humanos.

Anjos não nascem, eles são criados. Se Deus quisesse mais anjos, Ele não teria necessidade de casá-los com os seres humanos ou outros anjos para se reproduzir. Ele poderia criá-los do zero. Falando de Lúcifer, Deus disse: “Seus engastes e guarnições eram feitos de ouro; tudo foi preparado no dia em que você foi criado.” (Ezequiel 28:13 NVI, ênfase adicionada).

Além disso, Jesus nos diz claramente que os anjos não se casam. O casamento é uma instituição exclusivamente humana, reservado para a humanidade. “Porque na ressurreição nem casam nem são dados em casamento; mas serão como os anjos de Deus no céu” (Mateus 22:30). Marcos e Lucas sugerem a mesma coisa: “e não podem mais morrer, pois são como os anjos. São filhos de Deus” (Lucas 20:36). Observe aqui que Jesus faz uma distinção entre anjos e filhos de Deus. Eles são classificados separadamente, o que significa que eles não são a mesma coisa.

Então, se os filhos de Deus não são anjos, quem são eles?

Vida Cósmica?

Embora os filhos de Deus não sejam invasores do espaço, a Bíblia parece ensinar que há outras formas de vida no cosmos. É claro nas Escrituras que Jesus fez outros planetas: Deus “nestes últimos dias falou-nos por meio do Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e por meio de quem fez o universo” (Hebreus 1:2).

Na parábola da ovelha perdida, a Terra representa a ovelha perdida, um mundo errante que se extraviou, o qual Cristo veio para salvar. É fácil imaginar que Deus, em Sua existência infinita, criou outros mundos com outros seres físicos. Assim, em um mínimo, sabemos que existe, pelo menos, essas criaturas extraterrestres. “Pois, nele, foram criadas todas as coisas que estão nos céus e que estão na terra” (Colossenses 1:16). “Então ouvi todas as criaturas existentes no céu, na terra, debaixo da terra e no mar, e tudo o que neles há, que diziam: Àquele que está assentado no trono e ao Cordeiro sejam o louvor, a honra, a glória e o poder, para todo o sempre!” (Apocalipse 5:13).

No entanto, a maioria desses outros seres criados não visitam este mundo. A Terra está infectada com uma doença mortal e contagiosa chamada pecado, e nós estamos provavelmente ​​em quarentena. Os únicos autorizados a entrar em uma enfermaria de hospital em quarentena são os funcionários do hospital, neste caso, os anjos de Deus. Eles são espíritos ministradores.

Príncipes de Planetas

Milhares de anos atrás, uma reunião intrigante aconteceu no céu. “E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, veio também Satanás entre eles”(Jó 1:6).

Estiveram presentes nesta reunião os filhos de Deus, assim como o próprio Satanás. Satanás disse que veio da Terra. Os filhos de Deus estavam lá representando seus mundos não-caídos no universo de Deus. Satanás estava lá para representar a Terra.

Por que Satanás estava representando o nosso mundo? Originalmente, Adão tinha domínio sobre a Terra. Ele foi criado por Deus para subjugá-la e gerenciá-la. Deus disse a Adão e Eva “dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra” (Gênesis 1:28).

Enquanto Adão esteve em obediência a Deus, ele gozava domínio sobre o mundo. Mas uma vez que Adão pecou e obedeceu a Satanás, este domínio foi perdido para o inimigo. “A quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, seja do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça” (Romanos 6:16).

Até mesmo Jesus se referiu a Satanás como “príncipe deste mundo” (João 12:31). No Evangelho de Lucas, a genealogia de Jesus é traçada de volta até Adão. Observe o que Lucas diz sobre esta linhagem: “filho de Enos, que era filho de Seth, que era filho de Adão, que era o filho de Deus” (Lucas 3:38, grifo nosso).

A diferença entre Seth e Adão é o umbigo. Adão foi criado pela mão de Deus; Seth nasceu de Eva. Adão era o filho de Deus, criado para ter domínio sobre a Terra. Assim, uma definição para Filhos de Deus é que esses seres o próprio Deus criou para terem domínio sobre os mundos que Ele fez. Esses seres não nasceram, mas foram criados diretamente por Deus.

Jó 38:7 nos diz que quando o nosso mundo foi criado, “as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus rejubilavam.” As “estrelas da alva” são anjos, enquanto que “os filhos de Deus” são os líderes de outros mundos. (Ver Apocalipse 1:20).

Com isso esclarecido, vamos falar sobre a segunda forma que o termo “filhos de Deus” é usado.

Herdeiros da Justiça

O outro significado de filhos de Deus refere-se a seres humanos que foram recriados pelo Espírito de Deus. “Pois todos quantos são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus” (Romanos 8:14). Mateus 5:9 acrescenta: “Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus” (NVI).

Aqui Jesus está, obviamente, referindo-se a seres humanos, mas não é qualquer ser humano, estes são os pacificadores, os filhos justos de Deus. De nenhuma maneira isso deve ser interpretado para se referir a anjos ou alienígenas.

“Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus, aos que crêem no seu nome” (João 1:12). Note-se que havia aqueles que não eram filhos de Deus, mas que através de recebê-Lo tornaram-se filhos de Deus.

Deve ser mencionado que “filhos de Deus” não significa apenas machos. Muitas traduções da Bíblia vertem a frase “filhos de Deus.” Gálatas 3:26 diz: “Todos vós sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus.” É pela fé que um homem ou uma mulher se torna “filho de Deus” (Ver também Isaías 56:5; Filipenses 2:15).

A conclusão inevitável a partir destes versos e outros é que a expressão filhos de Deus em Gênesis 6 refere-se aos filhos justos de Deus.

Filhas dos Homens

O termo “filhas dos homens”, portanto, refere-se aos filhos dos homens injustos, aqueles seres humanos que não invocam o nome do Senhor. No contexto da nossa passagem da Bíblia, “filhas dos homens” refere-se a descendência de Caim e sua esposa.

Originalmente, Adão e Eva tiveram dois filhos, Caim e Abel. Caim matou Abel, então Deus deu a Adão e Eva outro filho, Seth. Ele começou a ter seus próprios filhos, e eles “começaram a invocar o nome do Senhor” (Gênesis 4:25, 26). E pelo que vimos na Bíblia, aqueles que invocam o nome do Senhor são chamados filhos de Deus.

Agora Caim tinha sido banido da presença de Deus. Instalou-se “na terra de Node, à leste do Éden. Caim teve relações com sua mulher, e ela engravidou e deu à luz Enoque. Depois Caim fundou uma cidade, à qual deu o nome do seu filho Enoque” (Gênesis 4:16-18).

Aqui, antes do dilúvio, temos os descendentes de Caim vivendo em cidades e os descendentes de Seth vivendo no interior. Enquanto eles permaneceram separados, os filhos de Deus permaneceram puros em suas crenças e práticas religiosas.

No entanto, eventualmente, eles começaram a misturar-se. Talvez os filhos de Deus precisassem de suprimentos que poderiam ser facilmente obtidos nas cidades onde as filhas dos homens residiam. Os filhos de Deus e as filhas dos homens tornaram-se familiarizados uns com os outros, até mesmo amigáveis. Seja qual for o caso, logo os descendentes de Seth, ou filhos de Deus, começaram a se casar com as filhas dos homens, ou os descendentes de Caim.

Os Casamentos Mistos

É até bem possível que os filhos de Deus entraram nesta situação com boas intenções. Talvez eles acreditassem que poderiam converter estas filhas de Caim, apresentando-lhes ao Senhor seu Deus. No entanto, o conselho de Deus é claro:

“Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; pois que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? pois sois o templo do Deus vivo” (2 Coríntios 6:14-16).

Deus não quer que Seus filhos se casem com os não convertidos ou incrédulos, mesmo que tenham um rosto bonito, a mais agradável disposição, ou uma crença apaixonada em outra religião. Não faz diferença, Deus diz que o relacionamento terá problemas.

Assim, o resultado desses casamentos mistos não eram apenas gigantes, mas tristes. Em vez de os filhos de Deus influenciarem as filhas dos homens, as filhas dos homens influenciaram os filhos de Deus.

“Nem te aparentarás com elas; não darás tuas filhas a seus filhos, e não tomarás suas filhas para teus filhos; Pois fariam desviar teus filhos de mim, para que servissem a outros deuses; e a ira do SENHOR se acenderia contra vós, e depressa vos consumiria” (Deuteronômio 7:3-4).

A Bíblia está repleta de histórias sobre os filhos de Deus misturando-se com as filhas dos homens e os desastres que seguiram como resultado. Sansão, escolhido por Deus, foi sabotado por uma mulher filistina. Seus pais suplicaram-lhe para que evitasse se casar com uma noiva pagã, mas ele insistiu em ter a que ele queria (Juízes 14:3).

Salomão, sem dúvida, acreditava que ele poderia se casar com as filhas das nações pagãs e convertê-las. No entanto, essas filhas pagãs afastaram o coração de Salomão de Deus. É por isso que Deus é tão inflexível quanto Seus filhos não se casarem com incrédulos. É quase sempre o caso que o crente é gradualmente transformado pelo incrédulo, e não o contrário.

Jesus também tem um aviso para nós nestes tempos finais:

“E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca” (Mateus 24:37-38)

Jesus aqui estava provavelmente referindo-se aos casamentos mistos de Gênesis 6, que trouxe a maldade universal levando à inundação.

Como nos dias de Noé, antes do dilúvio, as coisas que levaram à destruição do mundo com um dilúvio de água irão acontecer novamente. Elas são uma amostra do que vai acontecer antes da destruição do mundo por um dilúvio de fogo quando Jesus voltar. A história vai se repetir, mas não temos de estar entre os reincidentes.

Opção de Adoção

Nem todo mundo que pensa ser um filho ou filha de Deus realmente o é. Os fariseus se gabavam à Jesus que eles eram os filhos de Abraão. Jesus os corrigiu. “Se fôsseis filhos de Abraão, faríeis as obras de Abraão” (João 8:39). Este é um princípio simples para testar a nossa herança. Que “pai” que seguimos em nossas ações? Jesus disse aos líderes religiosos, “Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai” (João 8:44).

Quando nascemos de novo e somos adotados na família de Deus, vamos querer imitar o nosso Pai celestial. “Aquele que diz que permanece nEle, esse deve também andar assim como Ele andou” (1 João 2:6).

Se você não é um filho ou filha de Deus agora, a maravilhosa notícia é que você pode escolher uma nova família.

“Pela fé Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado; Tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa” (Hebreus 11:24-26).

Quando chamado por Deus, Moisés trocou sua adoção egípcia pela celestial. Através de Jesus, você também pode.

“Mas, quando chegou a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo da lei, a fim de redimir os que estavam sob a lei, para que recebêssemos a adoção de filhos. E, porque vocês são filhos, Deus enviou o Espírito de seu Filho aos seus corações, o qual clama: “Aba, Pai”. Assim, você já não é mais escravo, mas filho; e, por ser filho, Deus também o tornou herdeiro.” (Gálatas 4:4-7)

Agora mesmo você pode escolher ser um filho do Rei, um herdeiro da vida eterna, e se tornar um filho ou filha de Deus, em quem Ele se agrada! Basta pedir a Ele.

Texto de autoria do Pr. Doug Batchelor, extraído do site Amazing Facts. Crédito da Tradução: Blog Sétimo Dia http://setimodia.wordpress.com/

Esse post foi publicado em Jesus, Planetas Não Caídos. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Alienígenas, Anjos, ou Adotados? Quem São os Filhos de Deus?

  1. Agente será que alienígenas existem mesmo?

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s