Jesus é Deus, Jesus é Allah!

A Bíblia, a fonte mais antiga e a mais historicamente confiável, diz na verdade que Jesus é Deus? O que a Bíblia nos diz sobre Jesus e Sua identidade?

Vamos dar uma olhada em algumas das muitas passagens que claramente e consistentemente respondem a essa pergunta, direto das páginas das Escrituras. Vamos começar voltando uns 700 anos antes da vida de Cristo, ao livro do Velho Testamento chamado de Isaías.

Jesus é Deus – Profecias

  • Messias Divino predito no Velho Testamento
    Isaías 7:14: “Portanto o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel.”1

    “Emanuel” literalmente significa: “Deus conosco”. Veja também Mateus 1:23; Jesus era “Deus conosco”.

  • Esse Messias seria um filho humano, mas teria uma natureza superior
    Isaías 9:6: “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz.”

    Essa declaração era bem radical vindo de um profeta judeu e monoteísta– principalmente ao chamar um ser humano de “Deus Forte”; essa foi uma declaração que Deus realizou séculos depois em Cristo.

  • Uns 200 anos depois, mas ainda mais de 500 anos antes de Jesus andar na terra, mais foi predito sobre a natureza divina do Messias
    Daniel 7:13-14: “Eu estava olhando nas minhas visões noturnas, e eis que vinha com as nuvens do céu um como filho de homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e foi apresentado diante dele. E foi-lhe dado domínio, e glória, e um reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído.”

    “Filho do Homem” foi o primeiro título que Jesus usou sobre Si mesmo – e essa passagem mostra que esse título foi uma clara e forte afirmação de Sua divindade. Em Marcos, o primeiro Evangelho a ser escrito, Ele também incluiu a frase: “vindo com as nuvens do céu” (Marcos 14:62). Seus ouvintes entenderam a mensagem, recusaram-se nela acreditar e a usaram como mais um motivo para matá-lO.

Jesus é Deus – Seu ministério terreno

  • O bebê Jesus foi adorado pelos Reis Magos
    Mateus 2:11: “E entrando na casa, viram o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, o adoraram; e abrindo os seus tesouros, ofertaram-lhe dádivas: ouro incenso e mirra.”

    Além de terem sido guiados ao local onde Jesus tinha nascido, esse Magos aparentemente tinham sido informados por Deus sobre a identidade divina de Jesus, por isso responderam apropriadamente com adoração.

  • Jesus aceitou adoração dos Seus discípulos Mateus 14:32-33: “E logo que subiram para o barco, o vento cessou. Então os que estavam no barco adoraram-no, dizendo: Verdadeiramente tu és Filho de Deus.'”

    Na cultura judaica, apenas o único Deus verdadeiro pode ser adorado; as ações dos discípulos mostram que reconheciam Jesus como sendo divino. Veja que Jesus não os corrigiu ou disse: “Vocês não estão vendo que sou apenas um profeta mortal? Parem de me adorar!” Ao invés, Ele aceitou o seu louvor, sabendo que realmente era Deus em carne humana.

  • A exclamação de Jesus sobre Si mesmo
    João 8:58-59: “‘Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou. Então pegaram em pedras para lhe atirarem; mas Jesus ocultou-se, e saiu do templo.”

    Essa é uma afirmação duplamente poderosa de Jesus: primeiro, que Ele já existia antes de obter a forma humana e que Ele já vivia e estava presente (como Deus) antes de Abraão; segundo, que Seu título era “Eu sou” –o mesmo título usado por Deus Jeová em Êxodo 3:14. Seus ouvintes novamente compreenderam a mensagem e apanharam pedras para executá-lO.

  • Mais uma afirmação de Jesus sobre Sua divindade
    João 10:30-33: “‘Eu e o Pai somos um. Os judeus pegaram então outra vez em pedras para o apedrejar. Disse-lhes Jesus: Muitas obras boas da parte de meu Pai vos tenho mostrado; por qual destas obras ides apedrejar-me?Responderam-lhe os judeus: Não é por nenhuma obra boa que vamos apedrejar-te, mas por blasfêmia; e porque, sendo tu homem, te fazes Deus.”

    Essa passagem não poderia ter deixado mais claro que os ouvintes altamente educados de Jesus compreenderam Sua declaração de divindade. Eles só tinham duas respostas possíveis: humilhar-se e prostrar-se diante dEle como os reis Magos e os discípulos tinham feito, ou rejeitar Sua afirmação e acusá-lO de blasfêmia. Infelizmente escolheram a segunda opção. Note que Jesus não nega a sua acusação porque estavam corretos. Ele realmente estava afirmando ser Deus!

  • A resposta de Tomé ao Jesus ressurreto
    João 20:27-29: “Depois disse a Tomé: Chega aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; chega a tua mão, e mete-a no meu lado; e não mais sejas incrédulo, mas crente. Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu, e Deus meu! Disse-lhe Jesus: Porque me viste, creste? Bem-aventurados os que não viram e creram.”

    Esse discípulo reconheceu, por causa da ressurreição de Jesus, quem Jesus realmente era – e humildemente adorou a Jesus e declarou Sua verdadeira identidade: “Senhor meu, e Deus meu!” Jesus não só aceitou essa declaração, mas abençoa a todos os discípulos – e a todos nós hoje – que chegam à mesma conclusão e demonstram humildemente o seu louvor.

Jesus é Deus – Ele é Adorado

  • Jesus aceitou adoração antes de Sua ascensão
    Mateus 28:16-17: “Partiram, pois, os onze discípulos para a Galileia, para o monte onde Jesus lhes designara. Quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram.”

    Note que Jesus foi adorado quando nasceu, durante o Seu ministério, depois de Sua ressurreição e novamente aqui – bem antes de Sua ascensão física aos céus. Sua natureza divina como um membro da Trindade (juntamente com o Pai e o Espírito Santo) nunca foi questionada por Ele ou por aqueles que O seguiam e sabiam quem Ele realmente era.

  • A compreensão de Paulo como um apóstolo e líder da igreja
    Colossenses 1:15-16; 2:9: “o qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; porque nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele….. porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade”.

    Em Tito 2:13-14, Paulo se refere a ele como o “nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus, que se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade…..”

    As cartas de Paulo foram umas das primeiras escrituras Cristãs, com algumas delas tendo sido escritas antes dos quatro Evangelhos – mesmo assim, essas cartas fazem declarações fortes sobre como a primeira igreja compreendeu que Jesus era o Criador; Deus em forma humana.

  • Jesus vai ser adorado por toda criatura no céu Apocalipse 5:13-14: “Ouvi também a toda criatura que está no céu, e na terra, e debaixo da terra, e no mar, e a todas as coisas que neles há, dizerem: Ao que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glória, e o domínio pelos séculos dos séculos: e os quatro seres viventes diziam: Amém. E os anciãos prostraram-se e adoraram.”

    O último livro da Bíblia aponta profeticamente a quando todo ser vivente vai conhecer e reconhecer que Jesus, o “Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (João 1:29), também é o Deus que devemos adorar, honrar e louvar – que certamente não foi um homem qualquer!

Jesus é Deus – Por que isso é tão importante
Jesus e seus seguidores deixaram bem claro, como vimos nas páginas das Escrituras, quem Ele era e é – – e como precisamos compreender e aceitar essa verdade. Leia algumas passagens sobre a importância de Sua identidade.

“Eu sou a luz do mundo; quem me segue de modo algum andará em trevas, mas terá a luz da vida….”

“Ainda que eu dou testemunho de mim mesmo, o meu testemunho é verdadeiro; porque sei donde vim, e para onde vou; mas vós não sabeis donde venho, nem para onde vou. Não me conheceis a mim, nem a meu Pai; se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai. Eu me retiro; buscar-me-eis, e morrereis no vosso pecado.”

“Dizia, pois, Jesus aos judeus que nele creram: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sois meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

— Jesus, registrado em João capítulo 8.

Fonte

Esse post foi publicado em Islamismo, Jesus. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Jesus é Deus, Jesus é Allah!

  1. Identificação de Deus pela Bíblia é clara, compreensível

    João 4:24, Al “Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em Espírito e em ver

    1 Cor. 8:6, Al “Para nós há um só Deus, o Pai.”

    Deu. 6:4, Brasileira “Jeová nosso Deus é o único Deus [é um só Jeová, NM].”

    Sal. 83:18, Al “Para que saibam que tu, a quem só pertence o nome de JEOVÁ, és o Altíssimo sobre toda a terra.”

    Jesus Cristo não é o mesmo Deus que o Pai

    1 Cor. 8:6, ALA “Para nós há um só Deus, o Pai de quem são todas as cousas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as cousas, e nas também por ele.”

    O Pai é Deus de Jesus

    João 20:17, Al “Disse-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu Pai, mas vai para meus irmãos, e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus.”

    1 Ped. 1:3, Al “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.”

    Mar. 15:34, Al “A hora nona, Jesus exclamou com grande voz dizendo: Eloi, Eloi, lama sabactâni? que, traduzido, é: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”

    Apo. (Rev.) 1:1; 3:12, Al “Revelação de Jesus Cristo . . . A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre Ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus . . . que desce do céu, do meu Deus.”
    Jesus chamou seu Pai de “único Deus verdadeiro”, excluindo a si mesmo

    João 17:1, 3, ALA “Tendo Jesus falado estas causas, levantou os olhos ao céu, e disse: Pai, é chegada a hora, glorifica a teu Filho, para que o Filho te glorifique a ti. E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti o Único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.”
    Jesus é o Filho de Deus, não Deus Filho

    Mat. 16:16, 17, Al “Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai que está nos céus.”

    1 João 4:15, ALA “Aquele que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele.”

    Luc. 1:35, ALA “Respondeu-lhe o anjo: Descerá sobre ti o Espírito Santo e o poder do Altíssimo te envolverá com a sua sombra; por isso também o ente santo que há de nascer, será chamado Filho de Deus.”

    João 1:34, ALA “Eu [João Batista] de fato vi, e tenho testificado que ele é o Filho de Deus.”

    João 3:16, 17, Al “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.”

    João 20:29-31, Al “Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram. Jesus operou também em presença de seus discípulos muitos outros sinais, que não estão escritos neste livro. Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus.”

    Jesus não é o Deus, mas o mediador entre Deus e homens

    1 Tim. 2:5, 6, ALA “Há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem. O qual a si mesmo se deu em resgate por todos.”

    Jesus não firmava ser o Deus, mas, sim, o representante de Deus

    João 10:36, ALA “Daquele a quem o Pai santificou e enviou ao mundo, dizeis: Tu blasfemas, porque declarei: Sou Filho de Deus?”

    João 5:37, Al “O Pai, que me enviou, ele mesmo testificou de mim. Vós nunca ouvistes a sua voz, nem vistes o seu parecer.”

    João 8:17, 18, Al “Na vossa lei está também escrito que o testemunho de dois homens é verdadeiro. Eu sou o que testifico de mim mesmo, e de mim testifica também o Pai que me enviou.”

    João 14:1, 6, 9, Al “Credes em Deus, crede também em mim. . . Eu sou o caminho, e a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, senão por mim. . . . Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? quem me vê a mim vê o Pai: e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?” (Compare isso com João 1:14, 18.)

    Jesus não é igual ao Pai em poder e glória, mas está sujeito a ele

    João 14:28, Al “O Pai é maior do que eu.”

    João 13:16; 8:42, Al “Na verdade, na verdade vos digo que não é o servo maior do que o seu senhor, nem o enviado maior do que aquele que o enviou.” “Disse-lhes pois Jesus: Se Deus fosse o vosso Pai, certamente me amaríeis, pois que eu saí, e vim de Deus, não vim de mim mesmo, mas ele me enviou.”

    João 5:19, ALA “Em verdade, em verdade vos digo que o Filho nada pode fazer de si mesmo, senão somente aquilo que vir fazer o Pai.”

    Luc. 22:41, 42, Al “Apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-se de joelhos, orava. Dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálix, todavia não se faça a minha vontade, mas a tua.”

    Mesmo no céu está sujeito ao Pai

    1 Cor. 11:3, Al “Quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo o varão, e o varão a cabeça da mulher, e Deus a cabeça de Cristo.”

    Mat. 20:23, ALA “O assentar-se à minha direita e à minha esquerda não me compete concedê-lo; é, porém, para aqueles a quem está preparado por meu Pai.”

    Fil. 2:5-7 “Mantende em vós esta atitude mental que houve também em Cristo Jesus, o qual embora existisse em forma de Deus, não deu consideração a uma usurpação, a saber, que devesse ser igual a Deus. Não mas ele se esvaziou e assumiu a forma de escravo.”

    Só Jeová é de eternidade a eternidade

    Sal. 90:2, Al “Antes que os montes nascessem, ou que tu formasses a terra e o mundo, sim de eternidade a eternidade, tu és Deus.”

    Jer. 10:10 Versão Brasileira “Jeová [“Javé”, PIB] é o verdadeiro Deus; ele é o Deus vivo e o rei sempiterno.”

    Isa. 40:28, Versão Brasileira “O sempiterno Deus, Jeová, Criador dos fins da terra.”

    1 Tim. 1:17, ALA “Ao Rei eterno, imortal, invisível, Deus único honra e glória pelos séculos dos séculos.”

    O Filho de Deus teve princípio, foi criado

    Apo. (Rev.) 1:1; 3:14, Al “Revelação de Jesus Cristo . . . ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira o princípio da criação de Deus [ALA, NTR, “princípio das criaturas de Deus”, PIB, Soares].’”

    Col. 1:15, 16, Al “O qual é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; porque nele [“por ele”, Fi] foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades: tudo foi criado por ele e para ele.”

    João 1:18, Al “Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai este o faz conhecer.”

    Unidade entre Pai e Filho é tão pouco misteriosa como a unidade entre verdadeiros cristãos

    João 10:30; 17:20-22, Al “Eu e o Pai somos um.” “Eu não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim; para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste. E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um.”

    1 Cor. 1:10, ALA “Rogo-vos, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus, que faleis todos a mesma cousa, e que não haja entre vós divisões; antes sejais inteiramente unidos, na mesma disposição mental e no mesmo parecer.”

    João 8:23, 29, Al “Disse-lhes pois Jesus: Quando levantardes o Filho do homem, então conhecereis quem eu sou, e que nada faço por mim mesmo, mas falo como o Pai me ensinou. E aquele que me enviou esta comigo, o Pai não me tem deixado só, porque eu faço sempre o que lhe agrada.”

    The New Encyclopædia Britannica diz: “Nem a palavra Trindade, nem a doutrina explícita, como tal, aparecem no Novo Testamento, e nem Jesus ou seus seguidores tencionaram contradizer o Shema do Velho Testamento: ‘Ouve, ó Israel: O Senhor, nosso Deus, é um só Senhor’ (Deut. 6:4). . . . A doutrina desenvolveu-se gradualmente com o decorrer dos séculos, enfrentando muitas controvérsias. . . . Por volta do fim do 4.° século . . . a doutrina da Trindade tomou substancialmente a forma que desde então tem conservado.” — (1976), Micropædia, Vol. X, p. 126.

    A New Catholic Encyclopedia diz: “A formulação de ‘um só Deus em três Pessoas’ não foi solidamente estabelecida, de certo não plenamente assimilada na vida cristã e na sua profissão de fé, antes do fim do 4.° século. Mas, é precisamente esta formulação que tem a primeira reivindicação ao título o dogma da Trindade. Entre os Pais Apostólicos, não havia nada, nem mesmo remotamente, que se aproximasse de tal mentalidade ou perspectiva.” — (1967), Vol. XIV, p. 299.

    Em The Encyclopedia Americana lemos: “O cristianismo derivou-se do judaísmo, e o judaísmo era estritamente unitário [cria que Deus é uma só pessoa]. O caminho que levou de Jerusalém a Nicéia dificilmente foi em linha reta. O trinitarismo do quarto século de forma alguma refletiu com exatidão o primitivo ensino cristão sobre a natureza de Deus; foi, ao contrário, um desvio deste ensinamento.” — (1956), Vol. XXVII, p. 294L.

    Segundo o Nouveau Dictionnaire Universel: “A trindade platônica, que em si é meramente um rearranjo de trindades mais antigas, que remontam aos povos anteriores, parece ser a trindade filosófica racional de atributos que deram origem às três hipóstases ou pessoas divinas ensinadas pelas igrejas cristãs. . . . O conceito deste filósofo grego [Platão, do 4.° século AEC] sobre a trindade divina . . . pode ser encontrado em todas as religiões [pagãs] antigas.” — (Paris, 1865-1870), editado por M. Lachâtre, Vol. 2, p. 1467.

    O jesuíta John L. McKenzie, no seu Dictionary of the Bible, diz: “A trindade de pessoas dentro da unidade de natureza é definida em termos de ‘pessoa’ e de ‘natureza’, que são termos filosóficos gr[egos]; na realidade, esses termos não aparecem na Bíblia. As definições trinitárias surgiram em resultado de longas controvérsias, em que estes termos e outros, tais como ‘essência’ e ‘substância’, foram erroneamente aplicados a Deus por alguns teólogos.” — (Nova Iorque, 1965), p. 899.

  2. IASD disse:

    Seus comentários não ajudam para levar a verdade aos muçulmanos. Para eles, Deus não tem Filho. É isso que é enfocado nessa matéria: a divindade do filho, coisa que as testemunhas de jeová negam. Elas ensinam que Jesus é a primeira criatura de Jeová Deus.

  3. IASD disse:

    Jeová é Pai, Filho e Espírito Santo e não apenas o PAI.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s