O Mandamento de Lúcifer: Guardar Domingos e Festas

Deus criou o mundo em 6 dias e no Jardim do Éden, colocou uma benção e santificou o dia sétimo, o sábado:

(Gênesis 2:3) – E abençoou Deus o dia sétimo, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que Deus criara e fizera.

Deus tornou SANTO, ou seja, santificou o dia SÉTIMO. Mais de 2 mil anos depois, colocou a santidade do Sétimo dia entre os 10 mandamentos. E disse o motivo de sua santidade em detalhes, formulando uma das leis mais detalhistas e extensas da Bíblia e talvez a MAIS EXTENSA entre os 10 mandamentos:

(Êxodo 20:8-11) Lembra-te do dia do sábado, para o santificar.  Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do SENHOR teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o SENHOR o dia do sábado, e o santificou.

Mais de 1500 anos depois Jesus se declarou o Deus que formulou essa lei:

(Lucas 6:5) –  E Jesus dizia-lhes: O Filho do homem é Senhor até do sábado.

Jesus ensinou-lhes que deveriam obedecer os fariseus em tudo, porque eles estavam sentados na cadeira de Moisés:

(Mateus 23:2) – Dizendo: Na cadeira de Moisés estão assentados os escribas e fariseus. Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem;

Os fariseus eram um dos maiores guardadores do sábado. Seu erro era que “Dizem mas não fazem”. Ensinam a não matar e ajudaram a matar Jesus. Ensinavam a não roubar e roubavam a viúva pobre. Ensinavam a guardar o sábado, mas conspiravam contra o Senhor do sábado: Jesus.

Jesus ensinou que seus discípulos deveriam ORAR para que a perseguição não viesse nos dias duros do inverno ou no sagrado dia de sábado:

(Mateus 24:20) –  E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado;

O Apóstolo Paulo repetidamente guardou o sábado:

(Atos 13:42) – E, saídos os judeus da sinagoga, os gentios rogaram que no sábado seguinte lhes fossem ditas as mesmas coisas.
(Atos 13:44) – E no sábado seguinte ajuntou-se quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus.

(Atos 16:13) – E no dia de sábado saímos fora das portas, para a beira do rio, onde se costumava fazer oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que ali se ajuntaram.

(Atos 17:2) – E Paulo, como tinha por costume, foi ter com eles; e por três sábados disputou com eles sobre as Escrituras,

(Atos 18:3) – E, [Paulo] como era do mesmo ofício, ficou com eles, e trabalhava; pois tinham por ofício fazer tendas. (de primeira a sexta feira)
(Atos 18:4) – E todos os sábados disputava na sinagoga, e convencia a judeus e gregos.

Paulo fazia tendas e no único dia que deixava seu trabalho de sustento e ia exclusivamente pregar era no dia de sábado.

O físico Isaac Newton em sua obra “As profecias do Apocalipse” declarou que a Igreja Católica é a culpada de alterar a lei de Deus. É criminosa, impostora:

Isaac Newton não foi qualquer pessoa. Muito estudioso, de nome renomado até hoje, em reconhecimento recebeu o título de SIR, da Monarquia da Inglaterra.

O primeiro dia da semana não se tornou sagrado porque Jesus ressuscitou nele. Isso não existe na Bíblia. É argumento da igreja do mal, saído da mente de Lúcifer.

Venha adorar o único Deus verdadeiro. Não o Senhor do Domingo, nem o Senhor do Islã e da Sexta Feira. Mas o SENHOR DO SÁBADO, o Deus Hebreu: JESUS CRISTO:

(I João 3:22) – E qualquer coisa que lhe pedirmos, dele a receberemos, porque guardamos os seus mandamentos, e fazemos o que é agradável à sua vista.

(I João 5:20) – E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.

Esse post foi publicado em Lei de Deus. Bookmark o link permanente.

13 respostas para O Mandamento de Lúcifer: Guardar Domingos e Festas

  1. Pingback: As 7 Pragas virão por causa da violação do SÉTIMO DIA: a guarda do sábado | Adventismo em Foco

  2. Pingback: Livro Ágape de Padre Marcelo Rossi- Analisando as Mentiras do Livro À Luz da Bíblia Sagrada | Adventismo em Foco

  3. Nos tempos de Jesus, a forma como os fariseus viam o sábado foi motivo para eles questionarem a origem divina da pregação de Cristo e julgarem-no como falso profeta. Atualmente, para o adventismo, o sábado é motivo para julgar que outros segmentos cristãos sejam falsos, por supostamente guardarem o domingo. Mesmo sabendo-se que, na verdade, nenhuma igreja cristã impõe a guarda do domingo ou de qualquer outro dia da semana a seus seguidores; apenas reconhece nesse dia um dia especial, já que nele ocorreu o evento sem o qual seria vã a fé cristã e vazia a pregação do evangelho; pois sem a ressurreição o cristianismo não seria nada além de uma corrente ideológica que seguiria ensinamentos de um mestre que viveu há pouco mais de dois mil anos, e morrendo teria se tornado figura ilustre da história – mas nada, além disso, (ver 1Cor 15,14). Porém, é a fé no evento do domingo de Páscoa que fez do cristianismo mais do que mera corrente ideológica. Ignorar isso é ignorar a própria fé cristã e a força motriz de seu movimento ( a ressurreição).
    Assim, no lugar da imposição de um dia de guarda, apenas orienta-se que os cristãos de hoje façam o que já faziam os cristãos do primeiro século: celebrem o Cristo Vivo em comunidade de fé, especialmente no dia em que se revelou ao mundo o mistério de nossa redenção, ocorrido pela cruz, mas testificado pela Ressurreição do Senhor, pois “Deus ressuscitou a este Jesus, do que todos nós somos testemunhas.” (At 2,32)
    Da forma como o adventismo lida com a questão, até parece que a orientação de Jesus a seus discípulos foi: ide pelo mundo e pregai a guarda do sábado. Ou que se Deus abençoou o sétimo dia teria amaldiçoado o primeiro.
    É claro que a importância que dá hoje o adventismo à guarda de um dia não foi objeto de pregação cristã em nenhum dos livros sagrados escritos após a Ressurreição. O que até seria de se estranhar, já que muitos desses textos tinham como primeiros destinatários os pagãos, que antes de serem cristãos, certamente não guardavam o sábado. E apesar disso, nada se diz no Novo Testamento quanto à necessidade de guarda de um dia, embora não se condene quem assim o faça, pois, “Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz” (Rm 14,6). Isto é, se alguém guarda algum dia em especial, o fazendo para o SENHOR, nenhum mal há nisso, mas aqueles que julgam serem todos iguais em importância para o culto ao Senhor, é para Ele que o fazem.
    De fato, os primeiros cristãos, segundo nos relato o livro de Atos, cultuavam diariamente, não somente no sábado ou no domingo. E o ponto alto desse culto, já não era a liturgia judaica, mas nas casas, a celebração da memória da ceia, no partir do pão, instituído por Jesus: “E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração” (At 2,46)
    Mesmo que o adventismo faça uma leitura diferente de muitas passagens relacionadas a dias de guarda no Novo Testamento, fato é que a guarda de dias, como norma, é sempre vista negativamente (veja Gl 4,10; Cl 2,16 Rm 14,6.13), sem que nunca se tenha o cuidado de advertir que apesar disso o sábado devesse ser guardado, mesmo sabendo-se que muitos de seus primeiros leitores não eram judeus e que sabidamente não se viam obrigados a guardar um dia, cuja orientação era cultivada entre judeus, mas não entre os não-judeus. Seria isso um descuido dos autores sagrados cristãos? – Claro que não.

  4. Desculpem-me, onde se lê: “se viam obrigados a guardar um dia”, leia-se
    : si viam…”

  5. urso10000 disse:

    A Troca do Sábado pelo Domingo na Igreja Adventista

    “Diz o grande enganador . . . ‘o sábado é a grande questão que decidirá o destino das almas. Devemos exaltar o sábado de nossa criação. Temos feito com que seja aceito tanto pelos mundanos como pelos membros da igreja; agora a igreja precisa ser levada a unir-se ao mundo em seu apoio . . . deixar de lado a razão e o temor a Deus, e seguir o costume e a tradição”. Spirit of Prophecy, vol. 4, pág. 337-338 (O Grande Conflito original de 1884).
    http://egwdatabase.whiteestate.org/nxt/gateway.dll/egw-comp/section00000.htm/book05012.htm/chapter05041.htm

    “O Senhor tem uma controvérsia com seu povo professo nestes últimos dias. Nesta controvérsia, homens em posição de responsabilidade tomarão um curso diretamente oposto àquele seguido por Neemias… Em igrejas e em grandes concentrações ao ar livre ministros irão instar com o povo a necessidade de guardar o “primeiro dia da semana”. (Ellen White, Adventist – Rewiew and Sabbath Herald, Volume 61, #12, Tuesday, March 18, 1884: ênfase acrescentada.

    Urso10000@gmail.com

  6. fabiozerolg disse:

    Ô DAMIÃO ANTES NÃO SE PREGAVA A GUARDA DO SÁBADO PQ IGRJA NENHUMA HAVIA TROCADO ELE PELO DOMINGO E MAIS A IGREJA ADVENTISTA NÃO VIVE EM PROL DO SÁBADO.ELE É APENAS UMA DAS DOUTRINAS DE NOSSA IGREJA QUE SEGUE OS MANDAMENTOS QUE DEUS ORDENOU QUE FOSSEM GUARDADOS,OU VC ACHA QUE ELE NÃO VAI COBRAR A LEI QUE ELE ORDENOU QUE FOSSE RESPEITADA? E VC ACHA QUE ELE VAI EXCLUIR ALGUM MANDAMENTO?

    Pois qualquer que guardar toda a lei, mas tropeçar em um só ponto, tem-se tornado culpado de todos.
    Porque o mesmo que disse: Não adulterarás, também disse: Não matarás. Ora, se não cometes adultério, mas és homicida, te hás tornado transgressor da lei
    Tiago 2:10-11

  7. Senhor Fábio Zerolg, até aprece que o autor de Tg 2,10-11 está preocupado com a guarda dos Dez Mandamentos, não do amor. Em Tg 2, a critica não é a quem não guarda o sábado, mas a quem se ufana de guardar a Lei, mas negligenciado o amor (a lei régia, segundo Tg 2,8), não se dá conta que pela mesma lei que diz viver, torna-se culpado de toda a Lei, pois que o amor ao próximo fazia parte da “Lei” (Lv 19,18), a qual, para o judeu, era algo mais do que 10 mandamentos. Assim, quem acreditava que guardando os dez mandamentos estaria em dia com a Lei, não vivendo o amor, era culpado de todos os mandamentos (leia Tg 2, desde o verso 5 até o 13, e não isole versos para tirar conclusões fora de contexto). Essa passagem é uma crítica a comportamentos judaizantes dentro do cristianismo, e nela deixa-se claro que esses que o promoviam na Igreja eram incoerentes com a própria Lei que dizem cumprir.

    Considere ainda, que Tg 2,10 faz alusão ao mesmo texto que fez Paulo em Gl 3,10 (mas esse texto, os senhores não gostam de citar).Porém, se levam a sério mesmo Tg 2,10, levem também Gl 3,10, porque o texto a que ambos fazem referência é o memso (Dt 27,26), embora, para Gl 3,10, o senhores tenham por hábito distorcê-lo, só para não ter que reconhcer sua crítica a quem quer guardar a Lei, mas ignora que, pela Lei, é maldito quem não a observa na íntegra (e é claro que nem Paulo, nem judeu algum que conhecesse os 613 preceitos (mandamentos) da Torah acharia que tudo se resolvia guardando-se só 10 mandamentos. Tanto que Tiago critica quem guarda mandamentos do decálogo, mas neglicencia o maior dos mandamentos (contido em Lv 19,18), em complemento do primeiro expresso, em Dt 6,5. Assim, diz Tiago: “Se cumpris a Lei régia segundo a Escritura: ‘AMARÁS O TEU PRÓXIMO COMO A TI MESMO’, agis bem. Mas se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado e incorreis na condenação da Lei…” (Tg 2,8-9).

    Ou seja, sua citação de Tg 2,10-11 está desconsiderando o contexto e o assunto que realmente interessa a Tiago (que não é o sábado, mas o amor).

  8. Jean Lucas disse:

    É SIMPLES: Os católicos romanos adulteraram os 10 mandamentos (Êxodo 20:2-17 e Deuteronômio 5:6-21) e os adventistas ignoram a posição neotestamentária sobre a guarda do sábado (Romanos 14).
    Qual a dificuldade de entender isso?

    Pros adventistas: Leiam Romanos 14 e parem de achar que todo cristão tem que guardar o sábado! O cristão PODE guardar o sábado!

    Pros católicos: é adulteração clara da Bíblia mudar os 10 mandamentos! O pior são as desculpas esfarrapadas para mudar a Bíblia: autoridade da igreja, dia que Jesus ressuscitou, síntese de toda lei de Deus, ou qualquer outra! Isso é invencionice, desculpa esfarrapada para fugir da Bíblia! Jesus já fez uma síntese da Lei de Deus! A igreja católica sempre usando textos sem contexto pra explicar seu paganismo! Vergonha!

  9. urso10000 disse:

    A LEI MORAL E A LEI CERIMONIAL

    Encontramos às vezes pessoas perplexas sobre certas declarações que se encontram nas Sagradas Escrituras sobre a lei de Deus. Existem textos que declaram positivamente que a lei de Deus é eterna, que se não pode mudar, e que todos devem obedecer-lhe. Ora, também outros textos existem que parecem significar que a lei foi dada por um determinado tempo apenas, que se havia de mudar, e que não nos encontramos agora na obrigação de obedecer-lhe. Estas declarações parecem causar confusão no espírito de certas pessoas; mas a Palavra de Deus é verdadeira, e nela não há contradições. O que nos dá essa impressão, deve ser apenas falta de boa compreensão de nossa parte. Podemos ser sinceros em nossa opinião, e todavia enganar-nos por falta de perfeita compreensão do assunto.
    A Bíblia é a Palavra viva. São as palavras do Deus vivo, dadas por intermédio do homem. Trata das realidades eternas. Encontram-se nela alturas e profundidades além da compreensão da mente finita do homem. Mas esse mesmo fato não é senão outra evidência de que ela é de Deus. Quando se nos deparam aí aparentes contradições, devemos estudar cuidadosamente o assunto e, com humildade, buscar o auxílio do Senhor para compreendê-lo, e o Espírito Santo nos esclarecerá a mente. Nesse breve estudo que vamos fazer da lei de Deus, temos esperança de poder auxiliar algumas almas sinceras de modo a que sejam iluminadas naquilo que lhes possa haver parecido antes obscuro.
    Um estudo atendo das Santas Escrituras revelará que na Palavra de Deus se acham mencionadas várias leis. Uma destas é denominada a lei de Deus, os Dez Mandamentos, ou a lei moral. Outra é a lei dos sacrifícios e ofertas, à qual chamamos lei cerimonial, e que é muitas vezes chamada a lei de Moisés. Ainda outra é a lei civil dos judeus, isto é, a lei nacional deles, da mesma maneira que todos os países têm suas leis para reger os súditos. Outras leis são mencionadas, mas no presente estudo limitar-nos-emos às duas principais.
    Estas duas leis são inteiramente diversas, e observaremos algumas das distinções que se fazem entre elas. Faríamos de certo mau uso das Escrituras, se apanhássemos os textos que se referem a uma dessas leis, e os aplicássemos à outra. Imaginai que eu tivesse dois pedaços de pano em minha secretaria; um deles, branco e limpo, e outro escuro e sujo. Nem todas as declarações que se fizessem de um se poderiam aplicar ao outro. Alguma coisa se poderia dizer de ambos, mas aplicar tudo que se dissesse unicamente a um, trar-nos-ia certamente confusão e dificuldade. O mesmo se dá com as duas leis. Temos de fazer entre elas a mesma distinção que a Palavra de Deus faz ou nos veremos em dificuldade, sendo levados a pensar que há contradições nas Escrituras.
    A lei moral, os Dez Mandamentos, chamamos Lei de Deus. Essa lei vem da eternidade. Los princípios dessa lei são a base do governo de Deus. São imutáveis como o trono de Jeová. A lei é por natureza indestrutível, adaptando-se ao governo de seres morais responsáveis em todos os séculos, em todo o universo de Deus. Nem um mandamento pode ser tirado do Decálogo. Permanece, todo ele, irrevogado, e assim permanecerá para sempre. Essa lei não pode ser ab-rogada, nem por homens na Terra, nem por seres no Céu. Nem, mesmo seu Autor – com reverência o dizemos – a pode ab-rogar, a menos que mudasse Sua natureza, e a forma de Seu governo. Disse Jesus: “É mais fácil passar o céu e a Terra do que cair um til da lei.” Lucas 16:17. Deus ordena aos homens em toda parte que obedeçam a essa lei. Ele diz: “De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os Seus mandamentos; porque este é o dever de todo o homem.” Eclesiastes 13:13. Jamais houve tempo, nem nunca há de vir, em que seja direito que criaturas responsáveis, quer sejam homens, quer anjos, mintam, matem ou roubem, ou façam qualquer coisa proibida pela lei. Essa lei permanece para sempre.
    O mesmo não se dá com a lei cerimonial, frequentemente chamada a lei de Moisés. Veio a existir depois da queda do homem. Essa lei “consistindo somente em manjares e bebidas, e várias abluções e justificações da carne” e sacrifícios, destinava-se a chamar a atenção para a primeira vinda de Jesus; e em vindo Ele passou, pois Nele teve seu cumprimento. Aí se encontraram o tipo e o antítipo; a sombra encontrou o corpo. Quando Cristo, o Cordeiro de Deus, morreu na cruz, “o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo.” Mat. 27:51. Os serviços do templo deixaram então de ter lugar. O sistema sacrifical cessou, e a lei que a ele pertencia deixou de existir. Foi cravada na cruz, roscada; Colossensses 2:14 . Foi dada para satisfazer condições temporárias, locais, e uma vez que essas condições mudaram em virtude da entrada em nova dispensação, os estatutos cerimoniais não tinham mais razão de ser.
    A fim de que ninguém fique em confusão quanto às duas leis, em suas relações mútuas, fazemos a seguinte comparação entre elas. Ver-se-á que a distinção existente entre os dois sistemas é muito saliente, e que os textos que se referem a um, não devem ser confundidos com os textos que têm referência a outro. Devemos estudar com cuidado estes textos, e havemos de evitar aparentes contradições e confusão.

    A seguir vamos fazer duas séries de citações:
    A primeira série refere-se à Lei Moral ou os Dez Mandamentos.
    A segunda série refere-se à Lei Cerimonial ou Lei de Moisés
    – Haverá uma equivalência numérica entre as duas séries. Por exemplo: o número 1 da primeira série deverá contrapor-se ao número 1 da segunda série, o número 2 contrapor-se ao número 2, e assim por diante, para ser feitas análises e chegar-se à conclusão correta :

    Primeira série, Lei Moral – Os Dez Mandamentos:

    1 – É denominada a lei do Senhor:
    “Tem o seu prazer na lei do Senhor, e na Sua lei medita de dia e de noite.” – Salmo 1:2.
    “A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma.” – Salmo 19:7.

    2 – É chamada a lei real:
    “Se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis.” – Tiago 2:8

    3 – Existia antes da queda do homem:
    “Onde não há lei também não há transgressão.” Romanos 4:15.
    “Como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram… mas o pecado não é imputado não havendo lei.” – Romanos 5:12-13.

    4 – Foi falada pelo Senhor:
    “Então o Senhor vos falou do meio do fogo… Então vos anunciou Ele o Seu concerto, que vos prescreveu, os Dez Mandamentos, e os escreveu em duas tábuas de pedra.” – Deuterenômio 4:44 – 45.

    5- Foi escrita pelo dedo de Deus.
    “E aquelas tábuas eram obra de Deus; também a escritura era a mesma escritura de Deus, esculpida nas tábuas.” Exodo 32:16
    “E deu a Moisés… duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas com o dedo de Deus.” Exodo 31:18

    6- Foi escrita em tábuas de pedra.
    “E deu Moisés… duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas com o dedo de Deus.” Exoso 31:18

    7- Foi colocada na arca.
    “E virei-me e desci do monte, e pus as tábuas na arca que fizera: e ali estão, como o Senhor me ordenou.” Deuteronômio 10:5

    8- É uma lei perfeita.
    “A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma.” Salmo 19:7

    9- É uma lei eterna.
    “Em verdade vos digo que, até que o céu e a Terra passem, nem um jota ou til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido.” Mat.5:18

    10- É santa, justa e boa.
    “Assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom.” Rom.7:12
    “O mandamento do Senhor é puro, e alumia os olhos.” Salmo 19:8

    11- É uma lei espiritual.
    “Porque bem sabemos que a lei é espiritual: mas eu sou carnal, vendido sob o pecado.” Rom. 7:14

    12 – É uma lei que dá prazer.
    “Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus.” Rom.7:22
    “Oh! Quanto amo a Tua lei! É a minha meditação em todo o dia.” Salmo 119:97

    13 – Não se pode mudar.
    “É mais fácil passar o céu e a Terra do que cair um til da lei.” Lucas 16:17

    14 – Não foi ab-rogada por Cristo.
    “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim ab-rogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a Terra passem, nem um jota se omitirá da lei sem que tudo seja cumprido.” Mat.5:17 e 18.

    15 – Não foi abolida.
    “Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei.” Rom. 3:31

    16 – Contém um Sábado semanal.
    Lembra-te do dia do Sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra, mas o sétimo dias é o Sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a Terra, o mar e tudo que nele há, e ao sétimo dias descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do Sábado, e o santificou.” Êxodo 20:8-11.

    17 – O Sábado semanal é um monumento comemorativo da criação, e é eterno.
    “O sétimo dia é o Sábado do Senhor teu Deus… Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a Terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou.” Exodo 29:10 e 11.
    “Entre Mim e os filhos de Israel será um sinal para sempre: porque em seis dias fez o Senhor os céus e a Terra, e ao sétimo dias descansou, e restaurou-Se”. Exodo 31:17.

    18 – Cristo veio engrandecer a lei.
    “O Senhor Se agradou à causa da justiça Dele: engrandecerá Ele a lei, e a fará ilustre.” Isaías 42:21 (Trinitária.)

    19 – Deve ser observada por todos.
    “Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos.” Mat. 19:17.
    “A circunsisão é nada, e a incircuncisão nada é, mas sim a observância dos mandamentos de Deus.” I Cor. 7:19.
    20 – É a norma do juízo.
    “Porque qualquer que guardar tôda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Porque Aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás. Se tu pois não cometeres adultério, mas matares, estás feito transgressor da lei. Assim falai, e assim procedei, como devendo ser julgado pela lei da liberdade.” Tiago 2:10 e 12.

    Segunda série – A lei cerimonial ou a Lei de Moisés.

    1 – Foi denominada a lei de Moisés.
    “Disseram a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da lei de Moisés, que o Senhor tinha ordenado a Israel.” Neemias 8:1.
    “Alguns, porém, da seita dos fariseus, que tinham crido, se levantaram, dizendo que era mister circuncidá-los e mandar-lhes que guardassem a lei de Moisés.” Atos 15:5.

    2 – Foi chamada a cédula das ordenanças.
    “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.” (nota – a tradução Trinitária diz: “Riscado o escrito que havia contra nós em ordenanças, o qual nos era contrário: e o tirou do meio, encravando-o na cruz.”)
    “Na Sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos que consistia em ordenanças.” Efésios 2:15

    3 – Foi dada depois da queda do homem.
    “Sendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam.” Hebreus 10:1.
    “Que é uma alegoria para o tempo presente, em que se oferecem dons e sacrifícios… consistindo somente em manjares, e bebidas, e várias abluções e justificações da carne, impostas até o tempo da correção.” Hebreus 9:9e 10.

    4 – Foi promulgada por Moisés.
    “Esta é pois a lei que Moisés propôs aos filhos de Israel. Estes são os testemunhos, e os estatutos, e os juízos, que Moisés falou aos filhos de Israel, havendo saído do Egito.” Deut. 4: 44 e 45.

    5 – Foi escrita por Moisés.
    “Moisés escreveu todas as palavras do Senhor.” Exodo 24:4.
    “E Moisés escreveu esta lei, e a deu aos sacerdotes, filhos de Levi.” Deut. 31:9

    6 – Foi escrita num livro.
    “E aconteceu que, acabando Moisés de escrever as palavras desta lei num livro, até de todo as acabar.” Deut.31:24.

    7 – Foi colocada ‘ao lado’ da arca.
    “Deu ordem Moisés aos levitas que levavam a arca do concerto do Senhor, dizendo: Tomais este livro da lei, e ponde-o ao lado da arca, do concerto do Senhor vosso Deus, para que ali esteja por testemunho contra ti.” Deut. 31: 25e 26.

    8 – Nenhuma coisa aperfeiçoou.
    “Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou, e desta sorte é introduzida uma melhor esperança.” Hebreus 7:19

    9 – Era uma sombra das coisas futuras.
    “Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas”. Hebreus 10:1.

    10- Tinha apenas a sombra dos bens. –
    “Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os a que a eles se chegam.” – Hebreus 10:1.

    11 – Não era espiritual –
    “Consistindo somente em manjares, e bebidas, e várias abluções e justificações da carne, impostas até ao tempo da correção.” – Hebreus 9:10.

    12 – Era-nos contrária –
    “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.” – Colossenses 2:14.

    13 – Foi mudada por necessidade –
    “Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz tambem mudança na lei.” – Hebreus 7:12

    14 – Foi cravada na cruz –
    “Havendo riscado a cédula que era contra nós, nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.” – Colossenses

    15 – Foi desfeita por Cristo –
    “Na Sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças.” – Efésios 2:15

    16 – Tinha sábados anuais –
    “No mês sétimo, ao primeiro do mês, tereis descanso (Sábado), memória de jubilação, santa convocação.” – Levítico 23:24.
    “Mas aos dez deste mês sétimo, será o dia da expiação: tereis santa convocação.” – Levítico 23:27
    “Sábado de descanso vos será; então afligireis as vossas almas: aos nove do mês à tarde.” – Levítico 23:32
    “Porém aos quinze dias do mês sétimo… celebrareis a festa do Senhor por sete dias; ao dia primeiro haverá descanso, e ao dia oitavo heverá descanso (Sábado). “ – Levítico 23:39

    17 – O Sábado anual cessou com a cruz –
    “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando na cruz.”
    “Portanto ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da Lua nova, ou dos sábados, que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.” – Colossenses 2:14 e 17.

    18 – Cristo veio para ab-rogá-la.
    “Porque o precedente mandamento é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade. (Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou) e desta sorte é introduzida uma melhor esperança.” – Hebreus 7:18 e 19.

    19 – Não necessita de ser guardada –
    “Levantaram-se, porém, alguns que tinham crido, da seita dos fariseus, dizendo: “Que é necessário circundidá-los, e mandar-lhes que guardem a lei de Moisés.”
    “Porquanto ouvimos, que alguns, que saíram dentre nós, vos perturbaram com palavras, pevertendo as vossas almas, dizendo que devieis circuncidar-vos, e guardar a lei, aos quais não demos ordem.” Atos 15:5 e 24. (Trinitária.)

    20 – Não é a norma do juízo –
    “Portanto ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da Lua nova, ou dos sábados, que são sombras as coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.” – Colossenses 2: 16-17

    Podemos fazer uma comparação simples para entender mais claramente a questão da existência ou não Lei de Deus.
    A Bíblia fala que “pecado é a transgressão da LEI”.
    Ora, se a Lei tivesse sido abolida por Jesus, não haveria mais pecadores (pela simples inexistência da Lei, segundo presumem alguns mal informados) porque aonde não há Lei também não há pecado. Então, se fosse assim, a salvação seria automática para todos, independente de qualquer atitude religiosa ou a ausência dela. E nem de um Salvador nós necessitaríamos, por não sermos nós então, pecadores. No entanto alguns andam pervertendo e ensinando que não há Lei a ser obedecida. Imagine a Terra depois de restaurada pelo Criador depois de Sua Segunda vinda para o dia do Juízo e Salvação, vivendo sem a Lei de Deus. Você vai poder matar, roubar, etc, na Nova Terra? Terra sem Lei? Só nos filmes de faroeste!

    Da comparação acima (em destaque nos quadros) vemos claramente que a Palavra de Deus fala de duas leis, uma imutável e eterna, e a outra temporária e provisória. Uma se baseia nos eternos princípios que fundamentam o governo de Deus, ao passo que a outra era a “lei dos mandamentos que consistia em ordenanças” e necessariamente desapareceu quando o sistema sacrifical cessou, na cruz. Estas duas leis não podem ser a mesma, pois uma lei não pode aos mesmo tempo ser eterna e ser abolida.
    Deus deseja um serviço voluntário e obediente. Diz Ele “Se quiserdes, e ouvirdes, comereis o bem desta terra. Mas se recusardes, e fordes rebeldes, sereis devorados à espada; porque a bôca do Senhor o disse.” – Isaías 1:19-20. Ele não nos impele por violência, mas mediante Seu Espírito, suplica-nos que Lhe obedeçamos.
    Não somos salvos pela observância dos mandamentos; mas guardamo-los porque estamos sendo salvos. A obediência é o fruto da salvação. Disse Jesus: Vós sereis Meus amigos, se fizerdes o que Eu vos mando.” – João 15:14. Nossa esperança de vida eterna resume-se em Jesus Cristo, cujo sangue, unicamente, nos pode purificar de nossos pecados. Ele é o nosso único Salvador; mas quando nos entregamos a Ele, a obervância de Seus mandamentos se tornará para nós um gôzo, pois temos prazer em obedecer-Lhe. Disse o salmista: “!Oh quanto amo a Tua lei! É a minha meditação em todo o dia.” Salmo 119:97.

  10. “Lei Moral” e “lei Cerimonial”, nada mais do que divisão didática de algo que para o AT e qualquer judeu anterior, contemporâneo ou posterior a Jesus é único: a Lei. “Lei”, para o judeu é uma só. E assim como há um só Deus, há uma só Lei. Um pouco mais de senso de pesquisa evitaria aos sabatistas usarem textos como Sl 1,2, na tentativa de convencer o maior numero possível de desavisados e de desinformados acerca da Lei usando um texto que na verdade não fala de 10 Mandamentos,mas da Instrução Sagrada contida na Torah. Esse texto, se traduzido corretamente, se diz: “Feliz o homem… que medita constantemente a INSTRUÇÃO de Yahweh”, porque é isso que Torah significa. Mas “Urso 1000” , achando que pelo fato de na tradução portuguesa constar a palavra “Lei, o salmista estaria falando do Decálogo. No caso do texto citado, no hebraico consta “be tora”, que é referência à Torah, a parte da Escritura mais prezada pelos judeus, e que se refere aos cinco primeiros livros da Bíblia cristã, isto é, Gn, Ex, Lv, Nm e Dt. Essa parte da Escritura os judeus chamam de TORAH (a Instrução Sagrada), um termo que é mal traduzido em português por “lei”, por influência do grego “NOMOS”.
    A maioria dos textos que falam de “Lei”, na verdade, são referências claras à Torah, não aos 10 mandamentos (que não é usado como sinônimo de “Lei”, apesar de os adventistas insistirem em entendê-lo assim, o que é na verdade, é erro exegético e um equivoco que pode ser corrigido, desde que o bom senso e a pesquisa falem mais alto do que a doutrina). Outro texto mal usado é Tg 2,8, cuja simples leitura atenta demonstra ser o que autor chama de “Lei Real”, ou “Régia” a que o cristão será julgado , a Lei do amor. E isso o autor da carta diz porque procura desmontar que muitos se ocupam em cumprir inúmeras leis religiosas, mas negligenciam a que realmente é a mais importante, e abandonam quem precisa de amparo, ignorando a lei régia: “Ama a teu próximo como a ti mesmo”, o que segundo ele, quem o faz age.
    Uma pena que muitos além de desconhecerem os textos que citam (caso da péssima aplicação do Sl 1,2 e outros tantos, só para falar de vigência da Lei, na verdade em favor do sábado, numa equivocada conclusão que desconsidera o texto hebraico,supondo que ali se fala dos 10 mandamentos, quando a fidelidade ao texto hebraico prova que a referência é à Torah (Bem traduzida por “Instrução”) ou o descuido de ler o que realmente está escrito em Tg 2,8, que é suficiente para fazer entender que o autor está falando do amor ao próximo como lei régia e não dos 10 mandamentos, faz que muitos usem tais textos descontextualizados. Os adventistas podem até discordar disso, mas se pesquisarem o que é “Lei” para o Sl 1,2, considerando o texto hebraico, ou lerem com mais atenção Tg 2,8, podem até citar outros textos para falar de guarda do sábado, menos esses, porque em ambos, o assunto não é esse. E “Lei”, para o AT e NT, não é sinônimo de Dez Mandamentos.
    Não falo isso para criticar os adventistas (quem têm, como qualquer instituição, o direito de defenderem sua doutrina. Mas para isso, não precisam aplicar textos que na verdade não servem de base para defenderem tais pontos, ainda que seja tradicional seu uso para um fim que na verdade eles não se prestam).

  11. urso10000 disse:

    A LEI MORAL E A LEI CERIMONIAL

    Encontramos às vezes pessoas perplexas sobre certas declarações que se encontram nas Sagradas Escrituras sobre a lei de Deus. Existem textos que declaram positivamente que a lei de Deus é eterna, que se não pode mudar, e que todos devem obedecer-lhe. Ora, também outros textos existem que parecem significar que a lei foi dada por um determinado tempo apenas, que se havia de mudar, e que não nos encontramos agora na obrigação de obedecer-lhe. Estas declarações parecem causar confusão no espírito de certas pessoas; mas a Palavra de Deus é verdadeira, e nela não há contradições. O que nos dá essa impressão, deve ser apenas falta de boa compreensão de nossa parte. Podemos ser sinceros em nossa opinião, e todavia enganar-nos por falta de perfeita compreensão do assunto.
    A Bíblia é a Palavra viva. São as palavras do Deus vivo, dadas por intermédio do homem. Trata das realidades eternas. Encontram-se nela alturas e profundidades além da compreensão da mente finita do homem. Mas esse mesmo fato não é senão outra evidência de que ela é de Deus. Quando se nos deparam aí aparentes contradições, devemos estudar cuidadosamente o assunto e, com humildade, buscar o auxílio do Senhor para compreendê-lo, e o Espírito Santo nos esclarecerá a mente. Nesse breve estudo que vamos fazer da lei de Deus, temos esperança de poder auxiliar algumas almas sinceras de modo a que sejam iluminadas naquilo que lhes possa haver parecido antes obscuro.
    Um estudo atendo das Santas Escrituras revelará que na Palavra de Deus se acham mencionadas várias leis. Uma destas é denominada a lei de Deus, os Dez Mandamentos, ou a lei moral. Outra é a lei dos sacrifícios e ofertas, à qual chamamos lei cerimonial, e que é muitas vezes chamada a lei de Moisés. Ainda outra é a lei civil dos judeus, isto é, a lei nacional deles, da mesma maneira que todos os países têm suas leis para reger os súditos. Outras leis são mencionadas, mas no presente estudo limitar-nos-emos às duas principais.
    Estas duas leis são inteiramente diversas, e observaremos algumas das distinções que se fazem entre elas. Faríamos de certo mau uso das Escrituras, se apanhássemos os textos que se referem a uma dessas leis, e os aplicássemos à outra. Imaginai que eu tivesse dois pedaços de pano em minha secretaria; um deles, branco e limpo, e outro escuro e sujo. Nem todas as declarações que se fizessem de um se poderiam aplicar ao outro. Alguma coisa se poderia dizer de ambos, mas aplicar tudo que se dissesse unicamente a um, trar-nos-ia certamente confusão e dificuldade. O mesmo se dá com as duas leis. Temos de fazer entre elas a mesma distinção que a Palavra de Deus faz ou nos veremos em dificuldade, sendo levados a pensar que há contradições nas Escrituras.
    A lei moral, os Dez Mandamentos, chamamos Lei de Deus. Essa lei vem da eternidade. Los princípios dessa lei são a base do governo de Deus. São imutáveis como o trono de Jeová. A lei é por natureza indestrutível, adaptando-se ao governo de seres morais responsáveis em todos os séculos, em todo o universo de Deus. Nem um mandamento pode ser tirado do Decálogo. Permanece, todo ele, irrevogado, e assim permanecerá para sempre. Essa lei não pode ser ab-rogada, nem por homens na Terra, nem por seres no Céu. Nem, mesmo seu Autor – com reverência o dizemos – a pode ab-rogar, a menos que mudasse Sua natureza, e a forma de Seu governo. Disse Jesus: “É mais fácil passar o céu e a Terra do que cair um til da lei.” Lucas 16:17. Deus ordena aos homens em toda parte que obedeçam a essa lei. Ele diz: “De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os Seus mandamentos; porque este é o dever de todo o homem.” Eclesiastes 13:13. Jamais houve tempo, nem nunca há de vir, em que seja direito que criaturas responsáveis, quer sejam homens, quer anjos, mintam, matem ou roubem, ou façam qualquer coisa proibida pela lei. Essa lei permanece para sempre.
    O mesmo não se dá com a lei cerimonial, frequentemente chamada a lei de Moisés. Veio a existir depois da queda do homem. Essa lei “consistindo somente em manjares e bebidas, e várias abluções e justificações da carne” e sacrifícios, destinava-se a chamar a atenção para a primeira vinda de Jesus; e em vindo Ele passou, pois Nele teve seu cumprimento. Aí se encontraram o tipo e o antítipo; a sombra encontrou o corpo. Quando Cristo, o Cordeiro de Deus, morreu na cruz, “o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo.” Mat. 27:51. Os serviços do templo deixaram então de ter lugar. O sistema sacrifical cessou, e a lei que a ele pertencia deixou de existir. Foi cravada na cruz, roscada; Colossensses 2:14 . Foi dada para satisfazer condições temporárias, locais, e uma vez que essas condições mudaram em virtude da entrada em nova dispensação, os estatutos cerimoniais não tinham mais razão de ser.
    A fim de que ninguém fique em confusão quanto às duas leis, em suas relações mútuas, fazemos a seguinte comparação entre elas. Ver-se-á que a distinção existente entre os dois sistemas é muito saliente, e que os textos que se referem a um, não devem ser confundidos com os textos que têm referência a outro. Devemos estudar com cuidado estes textos, e havemos de evitar aparentes contradições e confusão.

    A seguir vamos fazer duas séries de citações:
    A primeira série refere-se à Lei Moral ou os Dez Mandamentos.
    A segunda série refere-se à Lei Cerimonial ou Lei de Moisés
    – Haverá uma equivalência numérica entre as duas séries. Por exemplo: o número 1 da primeira série deverá contrapor-se ao número 1 da segunda série, o número 2 contrapor-se ao número 2, e assim por diante, para ser feitas análises e chegar-se à conclusão correta :

    Primeira série, Lei Moral – Os Dez Mandamentos:

    1 – É denominada a lei do Senhor:
    “Tem o seu prazer na lei do Senhor, e na Sua lei medita de dia e de noite.” – Salmo 1:2.
    “A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma.” – Salmo 19:7.

    2 – É chamada a lei real:
    “Se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis.” – Tiago 2:8

    3 – Existia antes da queda do homem:
    “Onde não há lei também não há transgressão.” Romanos 4:15.
    “Como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram… mas o pecado não é imputado não havendo lei.” – Romanos 5:12-13.

    4 – Foi falada pelo Senhor:
    “Então o Senhor vos falou do meio do fogo… Então vos anunciou Ele o Seu concerto, que vos prescreveu, os Dez Mandamentos, e os escreveu em duas tábuas de pedra.” – Deuterenômio 4:44 – 45.

    5- Foi escrita pelo dedo de Deus.
    “E aquelas tábuas eram obra de Deus; também a escritura era a mesma escritura de Deus, esculpida nas tábuas.” Exodo 32:16
    “E deu a Moisés… duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas com o dedo de Deus.” Exodo 31:18

    6- Foi escrita em tábuas de pedra.
    “E deu Moisés… duas tábuas do testemunho, tábuas de pedra, escritas com o dedo de Deus.” Exoso 31:18

    7- Foi colocada na arca.
    “E virei-me e desci do monte, e pus as tábuas na arca que fizera: e ali estão, como o Senhor me ordenou.” Deuteronômio 10:5

    8- É uma lei perfeita.
    “A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma.” Salmo 19:7

    9- É uma lei eterna.
    “Em verdade vos digo que, até que o céu e a Terra passem, nem um jota ou til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido.” Mat.5:18

    10- É santa, justa e boa.
    “Assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom.” Rom.7:12
    “O mandamento do Senhor é puro, e alumia os olhos.” Salmo 19:8

    11- É uma lei espiritual.
    “Porque bem sabemos que a lei é espiritual: mas eu sou carnal, vendido sob o pecado.” Rom. 7:14

    12 – É uma lei que dá prazer.
    “Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus.” Rom.7:22
    “Oh! Quanto amo a Tua lei! É a minha meditação em todo o dia.” Salmo 119:97

    13 – Não se pode mudar.
    “É mais fácil passar o céu e a Terra do que cair um til da lei.” Lucas 16:17

    14 – Não foi ab-rogada por Cristo.
    “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim ab-rogar, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a Terra passem, nem um jota se omitirá da lei sem que tudo seja cumprido.” Mat.5:17 e 18.

    15 – Não foi abolida.
    “Anulamos, pois, a lei pela fé? De maneira nenhuma, antes estabelecemos a lei.” Rom. 3:31

    16 – Contém um Sábado semanal.
    Lembra-te do dia do Sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra, mas o sétimo dias é o Sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a Terra, o mar e tudo que nele há, e ao sétimo dias descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do Sábado, e o santificou.” Êxodo 20:8-11.

    17 – O Sábado semanal é um monumento comemorativo da criação, e é eterno.
    “O sétimo dia é o Sábado do Senhor teu Deus… Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a Terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou.” Exodo 29:10 e 11.
    “Entre Mim e os filhos de Israel será um sinal para sempre: porque em seis dias fez o Senhor os céus e a Terra, e ao sétimo dias descansou, e restaurou-Se”. Exodo 31:17.

    18 – Cristo veio engrandecer a lei.
    “O Senhor Se agradou à causa da justiça Dele: engrandecerá Ele a lei, e a fará ilustre.” Isaías 42:21 (Trinitária.)

    19 – Deve ser observada por todos.
    “Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos.” Mat. 19:17.
    “A circunsisão é nada, e a incircuncisão nada é, mas sim a observância dos mandamentos de Deus.” I Cor. 7:19.
    20 – É a norma do juízo.
    “Porque qualquer que guardar tôda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Porque Aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás. Se tu pois não cometeres adultério, mas matares, estás feito transgressor da lei. Assim falai, e assim procedei, como devendo ser julgado pela lei da liberdade.” Tiago 2:10 e 12.

    Segunda série – A lei cerimonial ou a Lei de Moisés.

    1 – Foi denominada a lei de Moisés.
    “Disseram a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da lei de Moisés, que o Senhor tinha ordenado a Israel.” Neemias 8:1.
    “Alguns, porém, da seita dos fariseus, que tinham crido, se levantaram, dizendo que era mister circuncidá-los e mandar-lhes que guardassem a lei de Moisés.” Atos 15:5.

    2 – Foi chamada a cédula das ordenanças.
    “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.” (nota – a tradução Trinitária diz: “Riscado o escrito que havia contra nós em ordenanças, o qual nos era contrário: e o tirou do meio, encravando-o na cruz.”)
    “Na Sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos que consistia em ordenanças.” Efésios 2:15

    3 – Foi dada depois da queda do homem.
    “Sendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam.” Hebreus 10:1.
    “Que é uma alegoria para o tempo presente, em que se oferecem dons e sacrifícios… consistindo somente em manjares, e bebidas, e várias abluções e justificações da carne, impostas até o tempo da correção.” Hebreus 9:9e 10.

    4 – Foi promulgada por Moisés.
    “Esta é pois a lei que Moisés propôs aos filhos de Israel. Estes são os testemunhos, e os estatutos, e os juízos, que Moisés falou aos filhos de Israel, havendo saído do Egito.” Deut. 4: 44 e 45.

    5 – Foi escrita por Moisés.
    “Moisés escreveu todas as palavras do Senhor.” Exodo 24:4.
    “E Moisés escreveu esta lei, e a deu aos sacerdotes, filhos de Levi.” Deut. 31:9

    6 – Foi escrita num livro.
    “E aconteceu que, acabando Moisés de escrever as palavras desta lei num livro, até de todo as acabar.” Deut.31:24.

    7 – Foi colocada ‘ao lado’ da arca.
    “Deu ordem Moisés aos levitas que levavam a arca do concerto do Senhor, dizendo: Tomais este livro da lei, e ponde-o ao lado da arca, do concerto do Senhor vosso Deus, para que ali esteja por testemunho contra ti.” Deut. 31: 25e 26.

    8 – Nenhuma coisa aperfeiçoou.
    “Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou, e desta sorte é introduzida uma melhor esperança.” Hebreus 7:19

    9 – Era uma sombra das coisas futuras.
    “Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas”. Hebreus 10:1.

    10- Tinha apenas a sombra dos bens. –
    “Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os a que a eles se chegam.” – Hebreus 10:1.

    11 – Não era espiritual –
    “Consistindo somente em manjares, e bebidas, e várias abluções e justificações da carne, impostas até ao tempo da correção.” – Hebreus 9:10.

    12 – Era-nos contrária –
    “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.” – Colossenses 2:14.

    13 – Foi mudada por necessidade –
    “Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz tambem mudança na lei.” – Hebreus 7:12

    14 – Foi cravada na cruz –
    “Havendo riscado a cédula que era contra nós, nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz.” – Colossenses

    15 – Foi desfeita por Cristo –
    “Na Sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças.” – Efésios 2:15

    16 – Tinha sábados anuais –
    “No mês sétimo, ao primeiro do mês, tereis descanso (Sábado), memória de jubilação, santa convocação.” – Levítico 23:24.
    “Mas aos dez deste mês sétimo, será o dia da expiação: tereis santa convocação.” – Levítico 23:27
    “Sábado de descanso vos será; então afligireis as vossas almas: aos nove do mês à tarde.” – Levítico 23:32
    “Porém aos quinze dias do mês sétimo… celebrareis a festa do Senhor por sete dias; ao dia primeiro haverá descanso, e ao dia oitavo heverá descanso (Sábado). “ – Levítico 23:39

    17 – O Sábado anual cessou com a cruz –
    “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando na cruz.”
    “Portanto ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da Lua nova, ou dos sábados, que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.” – Colossenses 2:14 e 17.

    18 – Cristo veio para ab-rogá-la.
    “Porque o precedente mandamento é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade. (Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou) e desta sorte é introduzida uma melhor esperança.” – Hebreus 7:18 e 19.

    19 – Não necessita de ser guardada –
    “Levantaram-se, porém, alguns que tinham crido, da seita dos fariseus, dizendo: “Que é necessário circundidá-los, e mandar-lhes que guardem a lei de Moisés.”
    “Porquanto ouvimos, que alguns, que saíram dentre nós, vos perturbaram com palavras, pevertendo as vossas almas, dizendo que devieis circuncidar-vos, e guardar a lei, aos quais não demos ordem.” Atos 15:5 e 24. (Trinitária.)

    20 – Não é a norma do juízo –
    “Portanto ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da Lua nova, ou dos sábados, que são sombras as coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.” – Colossenses 2: 16-17

    Podemos fazer uma comparação simples para entender mais claramente a questão da existência ou não Lei de Deus.
    A Bíblia fala que “pecado é a transgressão da LEI”.
    Ora, se a Lei tivesse sido abolida por Jesus, não haveria mais pecadores (pela simples inexistência da Lei, segundo presumem alguns mal informados) porque aonde não há Lei também não há pecado. Então, se fosse assim, a salvação seria automática para todos, independente de qualquer atitude religiosa ou a ausência dela. E nem de um Salvador nós necessitaríamos, por não sermos nós então, pecadores. No entanto alguns andam pervertendo e ensinando que não há Lei a ser obedecida. Imagine a Terra depois de restaurada pelo Criador depois de Sua Segunda vinda para o dia do Juízo e Salvação, vivendo sem a Lei de Deus. Você vai poder matar, roubar, etc, na Nova Terra? Terra sem Lei? Só nos filmes de faroeste!

    Da comparação acima (em destaque nos quadros) vemos claramente que a Palavra de Deus fala de duas leis, uma imutável e eterna, e a outra temporária e provisória. Uma se baseia nos eternos princípios que fundamentam o governo de Deus, ao passo que a outra era a “lei dos mandamentos que consistia em ordenanças” e necessariamente desapareceu quando o sistema sacrifical cessou, na cruz. Estas duas leis não podem ser a mesma, pois uma lei não pode aos mesmo tempo ser eterna e ser abolida.
    Deus deseja um serviço voluntário e obediente. Diz Ele “Se quiserdes, e ouvirdes, comereis o bem desta terra. Mas se recusardes, e fordes rebeldes, sereis devorados à espada; porque a bôca do Senhor o disse.” – Isaías 1:19-20. Ele não nos impele por violência, mas mediante Seu Espírito, suplica-nos que Lhe obedeçamos.
    Não somos salvos pela observância dos mandamentos; mas guardamo-los porque estamos sendo salvos. A obediência é o fruto da salvação. Disse Jesus: Vós sereis Meus amigos, se fizerdes o que Eu vos mando.” – João 15:14. Nossa esperança de vida eterna resume-se em Jesus Cristo, cujo sangue, unicamente, nos pode purificar de nossos pecados. Ele é o nosso único Salvador; mas quando nos entregamos a Ele, a obervância de Seus mandamentos se tornará para nós um gôzo, pois temos prazer em obedecer-Lhe. Disse o salmista: “!Oh quanto amo a Tua lei! É a minha meditação em todo o dia.” Salmo 119:97.

  12. urso10000 disse:

    Veja o comentário anterior, Damião, não tem no que errar.
    A Lei de Deus é suprema e imutável!

  13. Ricardo Souza disse:

    É muito fácil guardar os mandamentos que convém e dizer de boca cheia, “estou salvo”.
    Já que é pra acreditar na bíblia, pq não fazem o que está escrito?
    Lá a lei é: Guardem os sábados.
    Se não quer obedecer então pq faz todo o resto?
    Sou ateu, mas essa discussão me incomoda, essa de que Jesus aboliu a lei é infundada, ele iria retirar só um mandamento?
    Com qual finalidade?
    Pra agradar quem? Silas malafaia, de certo?
    Ou excluiu tudo, liberou geral???
    O que está escrito é isso e isso é que vocês deveriam colocar em prática também, não excluir o mandamento.

    Ou o seu deus é indeciso, tipo:
    -É pra guardar o sábado…
    -Não, povo, agora não vai precisar mais, já que eu decidi respeitar o sábado até no dia de ressuscitar meu filho, mas é só um detalhe, pode esquecer o sábado tá…

    Que droga, é lei na igreja católica guardar domingos e festas se vocês, mal informados não sabem, a biblia da igreja católica é enfática.nesse ponto, só pra contrariar.

    A igreja católica controla o mundo, nada se faz sem o consentimento do papa…

    Evangélicos, mostrem que não são carniceiros assim como são os papas.

    Se for ter fé, sejam sinceros na leitura do seu livro sagrado, ou nem percam seu tempo.

    Pensem a respeito!

    Me tornei ateu após ler a bíblia duas vezes, e estudar por muito tempo essas escrituras…

    Não aconselho ninguém a se tornar ateu, a decisão foi minha, não acredito que seja real, pra mim é ficção, porém o que se lê não pode ser mudado a gosto de cada um!!!

    O Sábado deve ser guardado sim por aqueles que creem em Deus e na Bíblia!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s