Toda pessoa pode vencer o pecado como Cristo venceu

​Eis a resposta em um banquete de inspiradas referências :). Deus abençoe.
Muitos dizem, porém, que Jesus não era como nós, que Ele não era como nós somos no mundo, que era divino, e que não podemos vencer como Ele venceu. Mas Paulo escreve: “Pois Ele, evidentemente, não tomou a natureza dos anjos; mas tomou sobre Si a descendência de Abraão. Por isso mesmo convinha que, em todas as coisas, Se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote nas coisas referentes a Deus, e para fazer propiciação pelos pecados do povo. Pois naquilo que Ele mesmo sofreu, tendo sido tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados.” Hebreus 2:16-18. “Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-Se das nossas fraquezas, antes foi Ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.” Cap. 4:15, 16. Jesus declara: “Ao vencedor, dar-lhe-ei sentar-se comigo no Meu trono, assim como também Eu venci, e Me sentei com Meu Pai no Seu trono.” Apocalipse 3:21. (Mensagens Escolhidas 3, p. 197.3: https://egwwritings.org/?ref=pt_ME3.197.3)
Quando alguém, dia a dia, se acha diligentemente empenhado em vencer os defeitos em seu caráter, está acalentando a Cristo no templo da alma; a luz de Cristo encontra-se nessa pessoa. Sob os brilhantes raios da luz do semblante de Cristo, todo o seu ser é elevado e enobrecido. Ele tem a paz do Céu na alma. Muitos dão rédeas soltas à paixão, avareza, egoísmo e engano, e o tempo todo se justificam, lançando a culpa nas circunstâncias que trouxeram provas sobre si mesmos. Esse tem sido o seu caso. Deus permitiu que tais circunstâncias existissem para desenvolver o caráter. Entretanto, você poderia ter determinado suas circunstâncias; pois por resistir ou suportar à tentação, as circunstâncias são controladas pela força da vontade em nome de Jesus. Isto é vencer como Cristo venceu. “Esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé.” 1 João 5:4. (Testemunhos para a Igreja 4, p. 346.1: https://egwwritings.org/?ref=pt_T4.346.1)
Os cristãos genuínos terão uma experiência semelhante à de Cristo no deserto da tentação, especialmente aqueles que se empenham em resgatar pessoas das ciladas de Satanás. Enfrentarão os assaltos do inimigo de toda justiça; e assim como Cristo venceu, possam eles vencer mediante a Sua graça. Os cristãos não deveriam sentir que foram abandonados por Deus por estarem sujeitos a penosas tentações. Se permanecerem inabaláveis diante das tentações, Satanás os deixará, e virão anjos para ministrar-lhes como o fizeram com Jesus. Não há conforto igual àquele que os cristãos desfrutam quando a pessoa tentada sofreu com paciência e Satanás foi derrotado. Foram testemunhas de Jesus, apoiando-se totalmente na Palavra de Deus — “Está escrito” — e repelindo assim cada ataque de Satanás, até fazerem com que ele retrocedesse, e obtivessem a vitória. (Cristo Triunfante , p. 229.5: https://egwwritings.org/?ref=pt_CT.229.5)
Devemos enfrentar as tentações e transpor obstáculos através de labutas e sofrimentos e, em nome de Jesus, vencer como Ele venceu. (No Deserto da Tentação, p. 78.2: https://egwwritings.org/?ref=pt_DT.78.2)
Tão plenamente estava Cristo submetido à vontade de Deus, que unicamente o Pai aparecia em Sua vida. Embora tentado em todos os pontos como nós, manteve-Se diante do mundo imaculado do mal que O rodeava. Assim também nós devemos vencer como Cristo venceu. (O Desejado de Todas as Nações, p. 270.1: https://egwwritings.org/?ref=pt_DTN.270.1)
Jesus permaneceu com Seus discípulos quarenta dias, ocasionando-lhes isto gozo e alegria de coração, ao desvendar-lhes Ele mais amplamente as realidades do reino de Deus. Ele os comissionara a dar testemunho das coisas que tinham visto e ouvido, concernentes aos Seus sofrimentos, morte e ressurreição; de que Ele fizera um sacrifício pelo pecado, e que todos que o quisessem poderiam vir a Ele e encontrar vida. Com fiel ternura disse-lhes que seriam perseguidos e angustiados; mas que encontrariam alívio recordando-se de sua experiência, e lembrando-se das palavras que Ele lhes falara. Contou-lhes que tinha vencido as tentações de Satanás e obtido vitória através de provações e sofrimentos. Satanás não mais poderia ter poder sobre Ele, e faria suas tentações recaírem mais diretamente sobre eles, e sobre todos os que cressem em Seu nome. Mas poderiam vencer, assim como Ele venceu. (História da Redenção, p. 237.2: https://egwwritings.org/?ref=pt_HR.237.2)
Cristo venceu as tentações de Satanás como homem. Toda pessoa pode vencer como Cristo venceu. Ele humilhou-Se por causa de nós. Foi tentado em todas as coisas à nossa semelhança. Remiu o ignominioso fracasso e queda de Adão, e foi vitorioso, demonstrando assim a todos os mundos não caídos, e à humanidade decaída, que o homem podia guardar os mandamentos de Deus pelo poder divino que lhe é concedido pelo Céu. Jesus, o Filho de Deus, humilhou-Se por causa de nós, suportou a tentação por nós, venceu em nosso favor para mostrar-nos como podemos ser vitoriosos. Ele ligou assim os Seus interesses com a humanidade pelos laços mais íntimos e deu a positiva certeza de que não seremos tentados além das nossas forças, pois juntamente com a tentação proverá livramento. (Mensagens Escolhidas 3, p. 136.3: https://egwwritings.org/?ref=pt_ME3.136.3)
Amplas providências foram tomadas para todos os que sincera, fervorosa e ponderadamente se dedicam à obra de aperfeiçoar a santidade no temor de Deus. Força, graça e glória foram providas por meio de Cristo, para serem levadas por anjos ministradores aos herdeiros da salvação. Ninguém é tão baixo, tão corrupto e vil, que não possa encontrar em Jesus, que morreu por ele, força, pureza e justiça, se abandonar seus pecados, deixar sua conduta de iniqüidade e volver-se de todo o coração para o Deus vivo. Ele está à espera de todos para tirar-lhes a vestimenta manchada e poluída pelo pecado e cobri-los com o branco e resplandecente manto da justiça; e ordena que vivam, e não pereçam. NEle podem prosperar. Seus ramos não murcharão nem serão infrutíferos. Se permanecerem nEle, dEle poderão extrair vitalidade e nutrição, ser imbuídos de Seu Espírito, andar assim como Ele andou, vencer assim como Ele venceu e ser exaltados à Sua destra. (Testemunhos para a Igreja 2, p. 453.2: https://egwwritings.org/?ref=pt_T2.453.2)

Continuação
A obediência e a submissão às reivindicações de Deus são as condições apresentadas pelo inspirado apóstolo para nos tornarmos filhos de Deus, membros da família real. Toda criança e jovem, todo homem e mulher foi por Jesus, mediante Seu próprio sangue, salvo do abismo da ruína a que Satanás os impelia. Pelo fato de os pecadores não aceitarem a salvação que lhes é oferecida, ficam eles livres de sua obrigação? O fato de preferirem permanecer no pecado e ousada transgressão não lhes diminui a culpa. Jesus pagou o preço por eles, e eles Lhe pertencem. São propriedade dEle; e se não prestarem obediência Àquele que por eles deu a vida, mas consagrarem seu tempo, suas forças e talentos ao serviço de Satanás, estão recebendo seu salário, que é a morte. Glória imortal e vida eterna são a recompensa oferecida por nosso Redentor aos que Lhe forem obedientes. Ele lhes tornou possível aperfeiçoarem caráter cristão mediante o Seu nome, e vencer por si mesmos como Ele venceu em benefício deles. Ele lhes deu o exemplo na própria vida, mostrando-lhes como podem vencer. “O salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.” Romanos 6:23. (Testemunhos para a Igreja 3, p. 365.1: https://egwwritings.org/?ref=pt_T3.365.1)
Vocês, jovens amigos, levantar-se-ão e desprender-se-ão desta indiferença e estupor assustadores que os harmonizam com o mundo? Ouvirão a voz de advertência que lhes diz que a destruição jaz no caminho daqueles que estão à vontade nesta hora de perigo? A paciência de Deus não esperará para sempre por vocês, pobres seres frívolos. Aquele que tem em Suas mãos nosso destino não Se deixará zombar para sempre. Jesus declara que há um pecado maior do que o que causou a destruição de Sodoma e Gomorra. É o pecado daqueles que têm a grande luz da verdade nestes dias e que não são levados ao arrependimento. É o pecado de rejeitar a luz da mensagem mais solene de misericórdia ao mundo. É o pecado daqueles que vêem a Jesus no deserto da tentação, curvado como se estives-se em agonia mortal por causa dos pecados do mundo, e que assim mesmo não são levados a um arrependimento cabal. Ele jejuou quase seis semanas para vencer, em favor dos homens, a condescendência com o apetite, a vaidade e o desejo de ostentação e honra mundana. Ele lhes mostrou como podem vencer para o próprio benefício como Ele venceu; mas não é agradável à sua natureza suportar conflito e injúria, escárnio e vergonha por amor dEle. Não é agradável negar o eu e estar sempre procurando fazer o bem a outros. Não é agradável vencer como Cristo venceu, assim eles se voltam do exemplo que lhes é claramente dado para copiar e recusam imitar o exemplo que o Salvador lhes deixou ao vir das cortes celestes. (Testemunhos para a Igreja 3, p. 380.1: https://egwwritings.org/?ref=pt_T3.380.1)
Apoderar-se-á o homem do poder divino e, com decisão e perseverança resistirá a Satanás, como Cristo lhe deu o exemplo em Seu conflito com o inimigo no deserto da tentação? Deus não pode, contra a vontade do homem, salvá-lo do poder das artimanhas de Satanás. O homem deve agir com sua força, ajudado pelo poder de Cristo, de modo a resistir e vencer seja qual for o custo para si mesmo. Em suma, o homem deve vencer como Cristo venceu. E então, pela vitória que é seu privilégio obter pelo todo-poderoso nome de Jesus, pode-se tornar herdeiro de Deus e co-herdeiro de Jesus Cristo. Tal não seria o caso, se Cristo sozinho alcançasse a vitória. O homem deve fazer sua parte; ele deve ser vencedor por si mesmo, mediante a força e a graça que lhe são dadas por Cristo. O homem precisa ser cooperador de Cristo na obra de vencer, e então será co-participante de Cristo em Sua glória. (Testemunhos para a Igreja 4, p. 32.3: https://egwwritings.org/?ref=pt_T4.32.3)
Em nome e no poder de Jesus, todo jovem pode vencer hoje o inimigo no que concerne ao apetite pervertido. Meus jovens amigos, avançai passo a passo, até que todos os vossos hábitos estejam em harmonia com as leis da vida e da saúde. Aquele que venceu no deserto da tentação, declara: “Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no Meu trono; assim como Eu venci, e Meu assentei com Meu Pai no Seu trono.” (Temperança, p. 190.2: https://egwwritings.org/?ref=pt_Te.190.2)
Só estais seguros ao confiar em Deus. Temos um inimigo vigilante a combater. … Ele [Cristo] viu que não era possível ao homem vencer o poderoso inimigo em sua própria força; assim, veio em pessoa das cortes do Céu e suportou em favor do homem a prova a que Adão deixara de resistir. … Cristo venceu Satanás tornando possível ao homem vencer em benefício dele próprio, em nome de Cristo. Mas a vitória só pode ser obtida em nome de Cristo, mediante Sua graça. Quando opresso, quando premido pela tentação, quando os sentimentos e desejos do coração natural clamam pela vitória, a oração sincera, fervorosa, insistente, feita em nome de Cristo traz Jesus ao vosso lado como auxiliador, e mediante Seu nome obtendes a vitória e Satanás é derrotado. (Nossa Alta Vocação, p. 20.2: https://egwwritings.org/?ref=pt_AV.20.2)
Cristo jamais deve ser esquecido. Os anjos disseram a respeito dEle: “E Lhe porás o nome de Jesus, porque Ele salvará o Seu povo dos pecados deles”. Mateus 1:21. Jesus, precioso Salvador! Certeza, solicitude, segurança e paz, se acham todas nEle. Ele dissipa todas as nossas dúvidas, o penhor de todas as nossas esperanças. Quão precioso é o pensamento de que verdadeiramente podemos tornar-nos participantes da natureza divina, e assim vencer como Cristo venceu! (Refletindo a Cristo, p. 13.5: https://egwwritings.org/?ref=pt_RC.13.5)
O ideal do caráter cristão, é a semelhança com Cristo. Como o Filho do homem foi perfeito em Sua vida, assim devem Seus seguidores ser perfeitos na sua. Jesus foi em todas as coisas feito semelhante a Seus irmãos. Tornou-Se carne, da mesma maneira que nós. Tinha fome, sede e fadiga. Sustentava-Se com alimento e refrigerava-Se pelo sono. Era Deus em carne. Ele compartilhou da sorte do homem; não obstante, foi o imaculado Filho de Deus. Seu caráter deve ser o nosso. … Cristo é a escada que Jacó viu, tendo a base na Terra, e o topo chegando à porta do Céu, ao próprio limiar da glória. Se aquela escada houvesse deixado de chegar à Terra, por um único degrau que fosse, teríamos ficado perdidos. Mas Cristo vem ter conosco onde nos achamos. Tomou nossa natureza e venceu, para que, revestindo-nos de Sua natureza, nós pudéssemos vencer. Feito “em semelhança de carne pecaminosa” (Romanos 8:3), viveu uma vida isenta de pecado. Agora, por Sua divindade, firma-Se ao trono do Céu, ao passo que, pela Sua humanidade, Se liga a nós. Manda-nos que, pela fé nEle, atinjamos à glória do caráter de Deus. Portanto, devemos ser perfeitos, assim como “perfeito é o vosso Pai celeste”. Mateus 5:48. (Refletindo a Cristo, p. 16.2

: https://egwwritings.org/?ref=pt_RC.16.2)

Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Toda pessoa pode vencer o pecado como Cristo venceu

  1. Jerónimo Junior disse:

    DEUS,,É NOSSO PAI ,,AMADO ALELUIA,,

  2. Helena Silva de Jesus disse:

    Eu preciso tanto desse poder! !! Tenho feito o meu Jesus sofrer tanto! !! Estou com uma angústia enorme dentro de mim, já cheguei a pensar que não há mais saída pra mim.

    Ore por mim. Não quero perder o céu! !!

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s