25 motivos para os santos deixarem de comer carne

25 MOTIVOS PARA UM ADVENTISTA DEIXAR DE COMER CARNE
“Amado, acima de tudo, faço VOTOS por tua prosperidade e SAÚDE, assim como é prospera a tua ALMA” (III João 1:2)
“O regime cárneo é a questão séria. Hão de seres humanos viver da carne de animais mortos? A resposta, segundo a luz dada por Deus, é: não, decididamente não” (EGW, CRA, pág. 388).
“A criação animal está enferma, e é difícil determinar o grau de enfermidade na família humana resultante do regime cárneo. Lemos constantemente nos jornais diários acerca da inspeção da carne. Açougues estão continuamente sendo esvaziados; a carne que se vende é condenada como imprópria para o uso” (EGW, CRA, pág. 413).  
MOTIVO 1: JAMAIS FOI O PLANO DE DEUS

“Deus não providenciou carne de animais mortos como parte do regime alimentício do homem” (EGW, Carta 2, 1884). “A carne não é essencial para a saúde e a resistência, do contrário o Senhor haveria cometido um erro ao prover o alimento para Adão e Eva antes de sua queda. Todos os elementos de nutrição se acham contidos nas frutas, verduras e cereais” (EGW, CRA, pág. 395). “Deus deu aos nossos primeiros pais o alimento que pretendia que a humanidade comesse. Era contrário ao Seu plano que se tirasse a vida a qualquer criatura. Não devia haver morte no Éden. Os frutos das árvores do jardim eram o alimento que as necessidades do homem requeriam. Deus não deu ao homem permissão para comer alimento animal, senão depois do dilúvio” (EGW, CRA pág. 373).
POR QUE ENTÃO DEPOIS DO DILÚVIO?

“Fora destruído tudo que pudesse servir para a subsistência do homem, e diante da necessidade deste, o Senhor deu a Noé permissão de comer dos animais limpos que ele levara consigo na arca. Mas o alimento animal não era o artigo de alimentação mais saudável para o homem” (EGW, CRA pág. 373). Porém: “O povo que viveu antes do dilúvio comia alimento animal e satisfazia suas concupiscências até encher-se sua taça de iniquidade, e Deus purificou a Terra de sua poluição moral, por um dilúvio” (EGW, CRA pág. 373). Portanto, Deus permitiu o alimento animal pela ocasião do dilúvio, necessidade especial, mas os antediluvianos já comiam a carne sem permissão de Deus. E: “Depois do dilúvio o povo comeu à vontade do alimento animal. Deus viu que os caminhos do homem eram corruptos, e que o mesmo estava disposto a exaltar-se orgulhosamente contra seu Criador, seguindo as inclinações de seu coração. E permitiu Ele que aquela raça de gente longeva comesse alimento animal, a fim de abreviar sua vida pecaminosa. Logo após o dilúvio o gênero humano começou a decrescer rapidamente em tamanho, e na extensão dos anos” (EGW, CRA pág. 373).
 E QUANTO AOS ISRAELITAS, DEUS NÃO DEU CARNE PARA ELES?

“Escolhendo a comida do homem, no Éden, mostrou o Senhor qual era o melhor regime; na escolha feita para Israel, ensinou Ele a mesma lição… Tirou os israelitas do Egito, e empreendeu educá-los, a fim de serem um povo para Sua possessão própria. Desejava, por intermédio deles, abençoar e ensinar o mundo inteiro… Proveu-lhes o alimento mais adaptado ao Seu desígnio; não carne, mas o maná, ‘o pão do Céu’. João 6:31” (EGW, CRA pág. 374). Portanto, a vontade de Deus era que os israelitas não comessem carne! Mas eles comeram. Por que comeram? “Foi unicamente devido a seu descontentamento e murmuração em torno das panelas de carne do Egito, que lhes foi concedido alimento cárneo, e isto apenas por pouco tempo. Seu uso trouxe doença e morte a milhares. Todavia a restrição a um regime sem carne não foi nunca aceita de coração. Continuou a ser causa de descontentamento e murmuração, franca ou secreta, e não ficou permanente” (EGW, CRA pág. 374). E “Quando se estabeleceram em CANAÃ, foi permitido aos israelitas o uso de alimento animal, mas com restrições cuidadosas, que tendiam a diminuir os maus resultados” (EGW, CRA pág. 374).
E QUAL FOI O RESULTADO POR COMEREM CARNE?

“Afastando-se do plano divinamente indicado para seu regime, sofreram os israelitas grande prejuízo. Desejaram um regime cárneo, e colheram-lhe os resultados. Não atingiram ao divino ideal quanto ao seu caráter, nem cumpriram os desígnios de Deus” (EGW, CBV, pág. 312).
E HOJE, DEUS QUER QUE COMAMOS CARNE?

“A carne nunca foi o alimento melhor; seu uso agora é, todavia, duplamente objetável… Estou instruída a dizer que, se em algum tempo foi seguro comer carne, não o é agora” (EGW, CRA, pág. 374). “Refiro-me outra vez à questão do regime. Não podemos fazer agora como nos arriscamos a fazer no passado quanto ao comer carne. Esta tem sido sempre uma maldição à família humana, mas em nossos dias isto se torna particularmente a maldição pronunciada por Deus sobre os rebanhos do campo em razão da transgressão e pecado do homem. A doença nos animais está-se tornando mais e mais comum, e nossa única segurança agora é deixar a carne inteiramente de lado. Dominam hoje as doenças em seu estado mais agravado, e a última coisa que médicos esclarecidos devem fazer é aconselhar doentes a comer carne. É por comer carne em tão alta escala neste país que homens e mulheres estão ficando desmoralizados, o sangue corrompido, as doenças implantadas no organismo. Por causa do comer carne muitos morrem, e não compreendem a causa. Fosse a verdade conhecida, daria testemunho de que fora a carne de animais que passaram pela morte. O pensamento de alimentar-se de carne de animais mortos é repulsivo, mas há alguma coisa além disto. Ao comer carne, partilhamos de carne morta enferma, e esta semeia a semente da corrupção no organismo humano” (CRA, pág. 412). E na nova terra, haverá carnívoros?
MOTIVO 2: NO CÉU NÃO HAVERÁ CARNIVORO

Acostume-se, pois assim como foi no éden assim será no éden restaurado: “E a todos os animais da terra, a todas as aves do céu e a todo ser vivente que se arrasta sobre a terra, tenho dado todas as ervas verdes como mantimento. E assim foi.” (Gên. 1:30). “O regime dos animais é verdura e cereais… Um animal não devia destruir outro para sua manutenção” (EGW, Carta 72, 1896). “O lobo e o cordeiro pastarão juntos, e o leão comerá palha como o boi” (Isaías 65:25).
MOTIVO 3: A CARNE É FRACA

“É erro supor que a força muscular dependa do uso de alimento animal. As necessidades do organismo podem ser melhor supridas, e mais vigorosa saúde se pode desfrutar, deixando de usá-lo. Os cereais, com frutas, nozes e verduras, contêm todas as propriedades nutritivas necessárias à formação de bom sangue. Esses elementos não são tão bem ou tão plenamente supridos pelo regime cárneo. Houvesse sido o uso da carne essencial à saúde e à força, e o alimento animal haveria sido incluído no regime do homem desde o princípio” (EGW, CBV, pág. 316).
MOTIVO 4: DEUS QUER NOS LEVAR DE VOLTA AO REGIME ORIGINAL

“Tem-me sido repetidamente mostrado que Deus está procurando levar-nos de volta, passo a passo, a Seu desígnio original – que o homem subsista com os produtos naturais da terra…Verduras, frutas e cereais, devem constituir nosso regime. Nem um grama de carne deve entrar em nosso estômago. O comer carne não é natural. Devemos voltar ao desígnio original de Deus ao criar o homem” (EGW, CRA, pág. 380). 
MOTIVO 5: DEUS QUER UM POVO SANTO

“O Senhor deseja levar Seu povo a uma situação em que não toquem nem provem carne de animais mortos” (EGW, CRA, pág. 411). “Não é tempo de que todos visem dispensar a carne na alimentação? Como podem aqueles que estão buscando tornar-se puros, refinados e santos a fim de poderem fruir a companhia dos anjos celestes, continuar a usar como alimento qualquer coisa que exerça tão nocivo efeito na alma e no corpo?” (EGW, CRA, pág. 380).
MOTIVO 6: É UMA QUESTÃO DE REFORMA DE SAÚDE

“Como um povo, foi-nos dada a obra de tornar conhecidos os princípios da reforma de saúde. Alguns há que pensam que a questão do regime alimentar não seja de importância suficiente para ser incluída em seu trabalho evangélico. Mas esses cometem um grande erro. A Palavra de Deus declara: ‘Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus.’ I Cor. 10: 31. O assunto da temperança, em todas as suas modalidades, tem lugar importante na obra da salvação” (EGW, CRA, pág. 450). “A Reforma da Saúde é um ramo da grande obra que deve preparar um povo para a vinda do Senhor. Ela se acha tão ligada à terceira mensagem angélica, como as mãos o estão para com o corpo” (EGW, CRA, pág. 69).
MOTIVO 7: É UMA CRUELDADEE COM AS CRIATURAS DE DEUS

“Pensai na crueldade que o regime cárneo envolve para com os animais, e seus efeitos sobre os que a infligem e nos que a observam. Como isso destrói a ternura com que devemos considerar as criaturas de Deus!” (EGW, CBV, pág. 315). “Como podem eles tirar a vida às criaturas de Deus a fim de consumirem a carne como uma iguaria? Volvam eles antes à saudável e deliciosa comida dada ao homem no princípio, e a praticarem eles próprios e ensinarem a seus filhos, a misericórdia para com as mudas criaturas que Deus fez e colocou sob nosso domínio” (EGW, CRA, pág. 380). “Alguns animais levados ao matadouro parecem entender, pelo instinto, o que vai acontecer, e tornam-se furiosos, literalmente loucos… Alguns animais são tratados desumanamente quando são levados ao matadouro. São literalmente torturados, e depois de terem suportado longas horas de padecimentos extremos, são abatidos” (EGW, CRA, pág. 386).
MOTIVO 8: OS ANIMAIS ESTÃO CADA VEZ MAIS DOENTES

“Tem chegado a ser questão muito séria se é seguro usar de algum modo alimento cárneo nesta época do mundo. Melhor nunca usar carne, do que usar a carne de animais que não sejam sadios” (EGW, CRA, pág. 394) “Por motivo de as doenças nos animais estarem aumentando na mesma proporção do aumento da impiedade entre os homens. Aproxima-se o tempo em que, por motivo da iniquidade da raça caída, toda a criação animal gemerá com as doenças que amaldiçoam a nossa Terra” (CRA, pág. 366). “A carne nunca foi o alimento melhor; seu uso agora é, todavia, duplamente objetável, visto as doenças nos animais estarem crescendo com tanta rapidez. Estão-se os animais tornando mais e mais enfermos, e não demorará muito até que o alimento cárneo tenha que ser abandonado por muitos, além dos adventistas do sétimo dia” (EGW, CRA, pág. 384). “A doença no gado está tornando o comer carne coisa perigosa. A maldição do Senhor está sobre a Terra, o homem, os animais e os peixes no mar; e à medida que a transgressão se torna quase universal, será permitido à maldição tornar-se tão ampla e profunda como a própria transgressão. Contrai-se doença pelo uso da carne. A carne enferma desses animais mortos é vendida nos mercados, e o seguro resultado é a doença entre os homens” (EGW, CRA, pág. 411). “A luz que Deus me tem comunicado é que Sua maldição está sobre a terra, o mar, o gado, os animais. Dentro em pouco não haverá garantia na posse de rebanhos ou gados. A terra está em decadência sob a maldição de Deus” (EGW, Carta 84, 1898).
MOTIVO 9: O CAPITALISMO TRAZ VENENO PARA MESA

“Muitas vezes são levados ao mercado e vendidos para alimento animais que se acham tão doentes, que os donos receiam conservá-los por mais tempo. E alguns dos processos de engorda para venda produzem enfermidade. Excluídos da luz e do ar puro, respirando a atmosfera de imundos estábulos, engordando talvez com alimentos deteriorados, todo o organismo se acha contaminado com matéria imunda. Os animais são muitas vezes transportados a longas distâncias e sujeitos a grandes sofrimentos para chegar ao mercado. Tirados dos verdes pastos e viajando por fatigantes quilômetros sobre cálidos e poentos caminhos, ou aglomerados em carros sujos, febris e exaustos, muitas vezes privados por muitas horas de alimento e água, as pobres criaturas são guiadas para a morte a fim de que seres humanos se banqueteiem com seu cadáver” (EGW, CBV, pág. 314). “São muitas vezes sacrificados animais que foram guiados de longas distâncias, para o matadouro. Seu sangue se tornou quente. São gordos, e foram privados de salutar exercício, e depois de haverem assim viajado muito, tornam-se cansados e exaustos, e nessas condições são abatidos para o mercado. Seu sangue acha-se altamente inflamado, e os que se alimentam de sua carne, ingerem veneno…São vendidos para o mercado da cidade muitos e muitos animais que os que os vendem sabem estar doentes, e os que os compram nem sempre ignoram o caso. Especialmente nas cidades maiores isto é praticado em grande escala, e os comedores de carne não sabem que estão comendo carne de animais doentes… Alguns animais levados ao matadouro parecem entender, pelo instinto, o que vai acontecer, e tornam-se furiosos, literalmente loucos. São mortos enquanto se acham nesse estado, e sua carne é preparada para o mercado. Essa carne é tóxica, e tem produzido nos seus consumidores, câimbras, convulsões, apoplexia e morte súbita. Entretanto não se atribui à carne a causa de todo esse sofrimento… Alguns animais são tratados desumanamente quando são levados ao matadouro. São literalmente torturados, e depois de terem suportado longas horas de padecimentos extremos, são abatidos” (EGW, CRA, pág. 385, 386).

As declarações de EGW tem a ver com o sistema do seu tempo. E hoje?
MOTIVO 10: DOENÇAS SÃO PASSADAS POR MEIO DA CARNE

“Os animais estão doentes, e participando de sua carne, plantamos as sementes de enfermidades em nossos tecidos e sangue” (EGW, CRA, pág. 386). “Os que comem alimentos cárneos mal sabem o que estão ingerindo. Frequentemente, se pudessem ver os animais ainda vivos, e saber que espécie de carne estão comendo, iriam repelir enojados. O povo come continuamente carne cheia de micróbios de tuberculose e câncer. Assim são comunicadas essas e outras doenças” (EGW, CBV, pág. 313). “Pudessem os irmãos conhecer exatamente a natureza da carne que comem, pudessem ver, vivos, os animais dos quais é tirada a carne quando mortos, e desviar-se-iam com repugnância de seu alimento cárneo. Os próprios animais cuja carne comem, estão com frequência tão doentes que morreriam por si mesmos se os houvessem deixado; mas enquanto neles está o fôlego da vida, são mortos e levados para o mercado. Os irmãos recebem diretamente no organismo humores e venenos da pior espécie, e todavia não o compreendem” (CRA, pág. 385).
MOTIVO 11: CARNE ADOECE O ORGANISMO

“A possibilidade de contrair doenças é dez vezes aumentada pelo uso da carne. Os médicos mundanos não podem explicar o rápido aumento das doenças entre a família humana. Mas sabemos que muito desse sofrimento é causado por comer carne de animais mortos. (EGW, Carta 83, 1901; CRA, pág. 386).
MOTIVO 12: CONSUMO DE CARNE PODE LEVAR A MORTE

 “Muitos morrem de doenças devidas unicamente à ingestão de carne, quando a causa mal é suspeitada por eles ou outros. Alguns não sentem imediatamente seus efeitos, mas isto não é prova de que ela não os prejudique. Pode estar seguramente operando no organismo, todavia no presente a vítima talvez não compreenda coisa alguma a esse respeito” (EGW, CRA, pág. 391).
MOTIVO 13: COMER CARNE PREJUDICA O VIGOR MORAL 

“Tem-me sido comunicado por muitos anos o conhecimento de que a carne não é boa para a saúde nem a moral” (EGW, CRA, pág. 413). “As faculdades intelectuais, morais e físicas são prejudicadas pelo uso habitual de alimentos cárneos. Esse uso desarranja o organismo, obscurece o intelecto e embota as sensibilidades morais” (EGW, CRA, pág. 391).
MOTIVO 14: COMER CARNE AFETA A MENTE

“Os males morais do regime cárneo não são menos assinalados do que os físicos. A comida de carne é prejudicial à saúde, e seja o que for que afete ao corpo, tem seu efeito correspondente na mente e na alma” (EGW, CBV, pág. 315).
MOTIVO 15: COMER CARNE DIMINUI A ATIVIDADE INTELECTUAL

 “Constituímo-nos daquilo que comemos, e comer muita carne diminui a atividade intelectual. Os estudantes efetuariam muito mais em seus estudos se nunca provassem carne” (EGW, CRA, pág. 389). 
MOTIVO 16: COMER CARNE PREJUDICA A ESPIRITUALIDADE

“A comida prejudicial introduzida no estômago fortalece os apetites que combatem contra a alma, desenvolvendo as propensões inferiores. Um regime de carne tende a desenvolver a sensualidade. O desenvolvimento da sensualidade diminui a espiritualidade, tornando a mente incapaz de compreender a verdade” (EGW, CRA, pág. 382). “A vida religiosa pode ser obtida e mantida com mais êxito se a carne for descartada, pois esse regime estimula intensamente as tendências concupiscentes e enfraquece a natureza moral e espiritual. ‘A carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne.’ Gál. 5:17” (EGW, CRA, pág. 389). 
MOTIVO 17:  CARNE ENTORPECE AS SENSIBILIDADES ESPIRITUAIS

“Os que usam alimentos cárneos à vontade, nem sempre têm cérebro desanuviado e ativo intelecto, pois que o uso da carne de animais tende a tornar pesado o corpo e a entorpecer as finas sensibilidades do espírito” (EGW, CRA, pág. 389). “Quanto mais largamente for a carne artigo do regime de professores e alunos, tanto menos susceptível será a mente para compreender as coisas espirituais. São fortalecidas as propensões sensuais, ficando embotadas as finas sensibilidades da mente” (EGW, CRA, pág. 395).
MOTIVO 18:  COMER CARNE FORTALECE O ANIMALISMO

“O regime cárneo muda a disposição e fortalece o animalismo” (EGW, CRA, 389). “Pelo uso de alimentos cárneos a natureza animal é fortalecida e enfraquecida a espiritual” (Carta 48, 1902). “Fui instruída quanto a ter o uso do alimento cárneo a tendência de animalizar a natureza, e subtrair homens e mulheres do amor e simpatia que devem sentir uns pelos outros. Somos constituídos daquilo que ingerimos, e aqueles cujo regime compõe-se amplamente de alimento animal são levados a uma condição em que permitem às paixões subalternas assumir o domínio das mais elevadas faculdades do ser” (EGW, CRA, pág. 390).
MOTIVO 19:  CARNE ESTIMULA AS PAIXÕES INFERIORES

“Há uma alarmante apatia quanto à questão do sensualismo inconsciente. É costume comer a carne de animais mortos. Isto estimula as paixões inferiores do organismo humano. (EGW, CRA, pág. 389).
MOTIVO 20:  CARNE PODE CONTAMINAR E ENVENAR O SANGUE

“Tal regime contamina o sangue em suas veias, e estimula as paixões sensuais inferiores. Enfraquece a viva percepção e o vigor do pensamento para a compreensão de Deus e da verdade, e o conhecimento de si mesmos (EGW, Manuscrito 3, 1897). “Os efeitos do regime cárneo podem não ser imediatamente experimentados; isto, porém, não é nenhuma prova de que não seja nocivo. A poucas pessoas se pode fazer ver que é a carne que ingerem o que lhes tem envenenado o sangue e ocasionado os sofrimentos” (EGW, CBV, pág. 315). 
MOTIVO 21:  CARNE TENDE A IRRITAR OS NERVOS 

“O alimento cárneo também é prejudicial. Seu efeito, por natureza estimulante, deveria ser argumento suficiente contra o seu uso, e o estado doentio quase geral entre os animais torna-o duplamente objetável. Tende a irritar os nervos e despertar as paixões, fazendo assim com que a balança das faculdades penda para o lado das propensões baixas” (Educação, pág. 203).
MOTIVO 22:  CARNE É UM ESTIMULANTE QUE VICIA

“Quando se deixa o uso da carne, há muitas vezes uma sensação de fraqueza, uma falta de vigor. Muitos alegam isto como prova de que a carne é essencial; mas é devido a ser o alimento desta espécie estimulante, a deixar o sangue febril e os nervos irritados, que assim se lhes sente a falta. Alguns acham tão difícil deixar de comer carne, como é ao alcoólatra o abandonar a bebida; mas se sentirão muito melhor com a mudança.” (EGW, CBV, pág. 316).
MOTIVO 23:  PORQUE NÃO DEVEMOS DAR CARNE AOS FILHOS

“Não devemos pôr carne diante de nossos filhos. Sua influência é reavivar e fortalecer as mais baixas paixões, tendo a tendência de amortecer as faculdades morais.” (EGW, TS, Vol. 1, pág. 262). 
MOTIVO 24:  CARNE É REPULSIVO AO OLFATO

 “Que há de mais repulsivo ao olfato do que um açougue onde se encontram carnes à venda? O cheiro da carne crua é repugnante a todos cujos sentidos não foram pervertidos pelo cultivo dos apetites não naturais. Que coisa mais desagradável à vista, para um espírito refletido, do que os animais mortos para serem devorados?” (EGW, CRA, pág. 401).
MOTIVO 25: CARNE É UM ALIMENTO DE SEGUNDA MÃO

“Os que se alimentam de carne, não estão senão comendo cereais e verduras em segunda mão; pois o animal recebe destas coisas a nutrição que dá o crescimento. A vida que se achava no cereal e na verdura passa ao que os ingere. Nós a recebemos comendo a carne do animal. Quão melhor não é obtê-la diretamente, comendo aquilo que Deus proveu para nosso uso!” (EGW, CBV, pág. 313).
E OS PEIXES?

“Em muitos lugares os peixes ficam tão contaminados com a sujeira de que se nutrem, que se tornam causa de doenças. Isto se verifica especialmente onde o peixe está em contato com os esgotos de grandes cidades. Peixes que se alimentam dessas matérias, podem passar a grandes distâncias, sendo apanhados em lugares em que as águas são puras e boas. De modo que, ao serem usados como alimento, ocasionam doença e morte naqueles que nada suspeitam do perigo” (EGW, CBV, págs. 314 e 315). 
PARE E PENSE!

“Há entre os adventistas do sétimo dia pessoas que não darão ouvidos à luz a eles dada relativamente a essa questão. Fazem da carne parte de seu regime dietético. Sobrevêm-lhes doença. Enfermos sofrendo em resultado de seu errôneo procedimento, pedem orações dos filhos de Deus. Mas como pode o Senhor operar em seu favor quando eles não estão dispostos a fazer-Lhe a vontade, quando se recusam a dar ouvidos as Suas instruções no que concerne à reforma de saúde? (EGW, Carta 200, 1903). Não o adventista que vai cumprir essa profecia!  “Por trinta anos [hoje, mais de um século] tem a luz sobre a reforma de saúde sido comunicada ao povo de Deus; muitos, porém, têm-na tornado objeto de zombaria” (Carta 200, 1903). Cuidado! “Se a luz dada por Deus quanto à reforma de saúde é menosprezada, Ele não operará um milagre para conservar com saúde os que prosseguem na direção que os torna doentes” EGW, CRA, pág. 401). “Se em face da luz que Deus tem dado acerca do efeito de comer carne sobre o organismo, continuais ainda a fazê-lo, deveis sofrer as consequências” (EGW, Carta 48, 1902).  “Todo aquele que transgride as leis da saúde será certamente visitado com o desagrado de Deus. Oh! quanto do Espírito Santo poderíamos ter dia a dia, caso andássemos circunspectamente, renunciando ao próprio eu, e praticando as virtudes do caráter de Cristo!” (EGW, CRA, pág. 402). “Os que dão crédito à Palavra de Deus, e Lhe obedecem os mandamentos de todo o coração, serão abençoados. Ele será seu escudo protetor. Mas com o Senhor não se brinca. Desconfiança, desobediência, afastamento da vontade de Deus e de Seu caminho, colocará o pecador em situação em que o Senhor não pode dar-lhe Seu divino favor” (EGW, CRA, pág. 411). 
PORTANTO:

“Quanto ao alimento cárneo, podemos todos dizer: Deixai-o em paz.” (EGW, CRA, pág. 402).  “A alimentação cárnea é prejudicial ao bem-estar físico e devemos aprender a passar sem ela.” (CRA, pág. 403).  “Que todos quantos conhecem a verdade, digam: ‘Que vos abstenhais das concupiscências carnais, que combatem contra a alma.’ I Ped. 2:11.” (Ellen G. White, CRA, pág. 373). No entanto: “Se nosso apetite clama pela carne de animais mortos, é uma necessidade jejuar e orar para que o Senhor dê Sua graça para negar-se às concupiscências carnais que combatem contra a alma.” (EGW, Carta 73, 1896). Não esqueças que “É para o bem deles próprios que o Senhor aconselhe a igreja remanescente a rejeitar o uso de alimentos cárneos…” (EGW, CRA, pág. 381). 
ATENÇÃO:

Sabe-se que alguns motivos destacados acima têm a ver com um consumo exagerado de carne e que EGW não nega situações atípicas e passiveis de consumo de carne. Por exemplo, onde a possiblidade de alimentação de uma pessoa carente inclua a carne. Mas, no geral, deixar de comer carne é uma decisão pessoal e necessária para um adventista. Para evitar os efeitos colaterais, não tente fazer isso em casa, de forma apressada; sem conferir esses textos, buscar informações sobre a alimentação vegetariana, procurar profissionais de saúde e poder repor com outras fontes saudáveis. Sem desculpas: “Quando Satanás toma posse da mente, quão pronto a luz e as instruções, benignamente dadas pelo Senhor, se desvanecem e perdem a força! Quantos formulam desculpas e forjam necessidades que não existem, a fim de apoiá-los em sua errônea direção em pôr de lado a luz e pisá-la a pés! Falo com segurança. A maior das objeções à reforma de saúde é que este povo não a vive; e ainda dirão seriamente que não podem viver a reforma de saúde e conservar seu vigor” (EGW, CRA, pág. 398). E muito menos sem uma entrega a Deus e ao poder do Espírito Santo!

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s