O maior erro do pastor Samuel Ramos

O pastor Adventista aposentado Samuel Ramos é famoso na internet por suas pregações. Ele sugere que a volta de Jesus praticamente será nessa geração. E tem algumas interpretações proféticas que se diferenciam da interpretação Adventista do século 19 sobre as 7 trombetas do apocalipse e os 3 anos literais de perseguição no tempo do fim. Confesso que são boas e não invalidam a doutrina Adventista mas até a enriquecem.

No entanto o pior erro de suas pregações foi quando pegou a doutrina evangélica das 10 super nações ou blocos econômicos. Apocalipse 17 diz que os 10 reis entregarão o poder a besta. Geralmente os 10 reis são interpretados como a Europa com base nos 10 chifres do império romano (daniel 7) e os 10 dedos dos pés da estátua de Nabucodonosor ( Daniel 2). No entanto alguns interpretam que é a totalidade das nações do mundo especialmente no tempo do fim de apocalipse 17. Não há mal em dizer que são todas as nações do mundo.

O problema surgiu quando fizeram um mapa nos anos 70 e dividiram em 10 blocos:

O problema está em defender que esse mapa desatualizado é uma verdade bíblica. O mapa não era viável nem na época que foi feito quanto mais hoje

Problemas óbvios:

O bloco 5 retrata a antiga URSS. Só que hoje o leste europeu não está mais sob domínio russo. Quase todos os países ali estão alinhados ao ocidente (com excessão da Belarus). Mas o mapa não foi consertado. Seria má fé?

No bloco 9, Índia e Paquistão estão sob governo único. Só que essas nações são inimigas por conta da região da Caxemira! O Afeganistão também está inserido no bloco. É possível uma aliança Afeganistão- Paquistão.

No bloco 4 estão juntos África do Sul e Austrália e Nova Zelândia. Seria um sonho de união de ex colônias inglesas? Virou só sonho mesmo porque a União é inviável pela distância e diferença cultural. (Principalmente com a queda do governo racista dos brancos na África do Sul nos anos 1990).

No bloco 7 estão juntos Irã e Arábia Saudita. Inimigos regionais! Nos anos 2020 o Irã está a ponto de conseguir sua bomba atômica, o que vai colocar Arábia Saudita e Israel em maus lençóis.

No bloco 6, América do Sul, temos um Brasil separado do resto por uma floresta amazônia, um Pantanal e um diferença cultural. O brasileiro não se importa com o que acontece na Bolívia, Peru ou Equador. E nem mesmo entende porque a Argentina é importante. A civilização brasileira é atlântica e separada por milhares de km do que acontece nos países andinos. As fronteiras são essencialmente rurais.

No norte da América do sul agora temos uma Venezuela que se tornou pária: não se enquadra em nada. Não seria aceita por razões políticas ou econômicas. Seria um peso a ser sustentado por países que não estão nadando em dinheiro para isso. Portanto esses são poucos pontos de porque é totalmente inviável um governo único na América do sul.

Se a América do sul que possui língua próxima (português e espanhol) é separada por várias razões, imagina um governo único na África central como mostra o bloco 8!! Quem criou o mapa não sabia o que fazer com essa região do mundo multi étnica e pobre e achou que seria fácil juntar tudo. Mas se passaram 50 anos da criação desse mapa, e nesse ínterim, Sudão do Sul se tornou independente, Somália se tornou um estado falido e dividido internamente e até a Etiópia está a beira de uma guerra civil em 2021 (Região de Tigré quer a independência ou o controle do país todo).

Enfim, poderia haver uma reunião em blocos econômicos mas não da maneira como esse mapa mostra. O mapa claramente foi feito por cabeças eurocêntricas (numa época que a Europa mandava no mundo) e que esperavam algo para sua época (mas já se passou 50 anos e a configuração mundial mudou). Hoje temos a China como segunda potência mundial, um Irã quase nuclear, uma Europa enfraquecida e dependente do gás russo, dezenas de nações independentes que não existiam até os anos 1980 etc.

Mas enquanto os evangélicos erraram nas interpretações proféticas a interpretação Adventista do sétimo dia está bem próxima da realidade. Os Adventistas centraram-se nos Estados Unidos como a besta descrita em apocalipse 13:11-17. Hoje eles são a potência profetizada e se envolvem em todos os problemas do mundo, como árbitro, policial e muitas vezes vilão. Não vamos largar nossas pérolas para revirar o lixo teológico fracassado de outras igrejas.

Esse post foi publicado em Apocalipse, Samuel Ramos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s