Analisando Hebreus 9:12: Jesus Entrou no Lugar Santo ou Santíssimo?

Clique Aqui para a Página Principal

Santuário Celeste Santíssimo

Jesus Oficiando Oniscientemente no Lugar Santíssimo Celeste pós 1844.

A tradução de João Ferreira de Almeida Revista e Atualizada de Hebreus 9:12 afirma que Jesus entrou no Lugar Santíssimo por ocasião de sua ascenção aos Céus:

Hebreus 9:12: não por meio de sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, tendo obtido eterna redenção.

Esta edição da Almeida se enganou em sua tradução do grego. Para fazer prova inequívoca deste fato iremos citar 10 traduções bíblicas que não concordam com a tradução da Almeida Revista e Atualizada:

A Edição em Espanhol Reina Valera afirma:

Hebreus 9:12: Y no por sangre de machos cabríos ni de becerros, mas por su propia sangre, entró una sola vez en el santuario, habiendo obtenido eterna redención.

A tradução mais exaltada da lingua inglesa, a King James, afirma que Jesus entrou no Lugar Santo:

Hebreus 9:12: Neither by the blood of goats and calves, but by his own blood he entered in once into the holy place, having obtained eternal redemption for us.

A tradução Italiana de Giovanni Diodati (1649) afirma:

Hebreus 9:12: e non per sangue di becchi e di vitelli; ma per lo suo proprio sangue, è entrato una volta nel santuario, avendo acquistata una redenzione eterna.

A própria João Ferreira de Almeida Atualizada, afirma:

Hebreus 9:12: e não pelo sangue de bodes e novilhos, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez por todas no santo lugar, havendo obtido uma eterna redenção.

A Tradução das Testemunhas de Jeová (Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas de 1986) dizem:

Hebreus 9:12: ele entrou no lugar santo, não, não com o sangue de bodes e novilhos, mas com o seu próprio sangue, de uma vez para sempre e obteve [para nós] um livramento eterno.

A maior prova, no entanto, vem das traduções católicas que foram feitas por pessoas que passaram a vida estudando grego e latim:

A Bíblia AVE MARIA diz:

Hebreus 9:12: sem levar consigo o sangue de carneiros ou novilhos, mas com seu próprio sangue, entrou de uma vez por todas no santuário, adquirindo-nos uma redenção eterna.

A Bíblia da CNBB afirma:

Hebreus 9:12: Ele entrou no Santuário, não com o sangue de bodes e bezerros, mas com seu próprio sangue, e isto, uma vez por todas, obtendo uma redenção eterna.

The New American Bible (Católica)

Hebreus 9:12: he entered once for all into the sanctuary, not with the blood of goats and calves but with his own blood, thus obtaining eternal redemption.

A Revised Standart Version diz:

Hebreus 9:12: he entered once for all into the Holy Place, taking not the blood of goats and calves but his own blood, thus securing an eternal redemption.

A Bíblia Latino Americana atesta:

Hebreus 9:12: Y no fue la sangre de chivos o de novillos la que le abrió el santuario, sino su propia sangre, cuando consiguió de una sola vez la liberación definitiva.

Como podemos ver as traduções de Hebreus 9:12 constam que Jesus entrou no LUGAR SANTO ou no SANTUÁRIO por ocasião de sua ascenção. A razão é simples: quando se entra no Santuário o primeiro compartimento é o lugar santo. A Tradução Almeida Revista e Atualizada no Brasil está errada como mostra as demais edições internacionais, com destaque para a King James, que é exaltada por todas as igrejas dos países de fala inglesa. O testemunho das Bíblias católicas e da Bíblia das testemunhas de jeová é deveras interessante pois estas igrejas não possuem uma doutrina do Santuário e não sabem que Jesus apenas entrou no lugar santíssimo 18 séculos depois de sua ascenção.

Para saber mais: Bíblia de 1681 Confirma a Doutrina do Santuário.

Anúncios
Esse post foi publicado em Santuário e Juízo Investigativo e marcado , , , . Guardar link permanente.

49 respostas para Analisando Hebreus 9:12: Jesus Entrou no Lugar Santo ou Santíssimo?

  1. Pingback: O Juízo Pré-Advento do Santuário Celestial « Adventismo em Foco

  2. Carlos Alberto disse:

    Mesmo com tantas traduções, fica ainda a dúvida: Em todas as versões citadas é declarado que quando de Sua ascensão aos céus Ele entrou uma vez por todas no santuário, e não só 18 séculos mais tarde.
    Assim, fica a dúvida: Paulo se enganou ao escrever aos Hebreus tal frase?

  3. IASD disse:

    Carlos Alberto
    Não são todas as versões que dizem que Jesus entrou no Santuário. Algumas, inclusive a King James dizem que ele entrou no Lugar Santo. Como foi explicado, entrar no Santuário é entrar no primeiro compartimento, ou seja, no lugar santo. Jesus entrou no lugar santo na sua ascenção por volta de Abril do ano 31 e entrou no Santíssimo apenas em 22/10/1844. Estes dados possuem significado dentro do Ritual do Santuário que Deus explicou aos Hebreus. Não é questão de apenas trocar de compartimento (Santo ou Santíssimo), mas sim do trabalho que se faz em cada compartimento (que são diferenciados). O lugar Santo é o serviço diário, o santíssimo é a sala do julgamento, alterando o trabalho de Deus, de Cristo e dos Anjos. Este trabalho foi alterado após 1844.
    Deus, em sua graça, nos deixou explicado o que fez no Céu até o século 18 e o que está fazendo agora. O Ministério celeste de Jesus era explicado em símbolos nos rituais do Templo de Jerusalém.
    Até mais.

  4. Romeu Carlos Araujo disse:

    Se as biblias estao erradas tudo bem. todas estao erradas. e qual a biblia de voces? a biblia correta é da tradução Waitista.

    Que dizer de Jesus ao lado de Deus?
    O que Estevão viu? é mentira tambem. ele errou?
    consultando a tradução reina Valera 1960 diz lugar santissimo. tambem erraram?

    Marcos:16.19 De fato, o Senhor Jesus, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu e assentou-se à destra de Deus. — Tambem é mentira? erraram?

  5. Romeu Carlos Araujo disse:

    As 70 semanas tambem esta errado.
    nao é 70 semanas estao determinadas sobre o teu povo. isso esta errado conforme voces.

    o correto é 70 semanas serao tiradas sobre o teu povo. Daniel se enganou. nao! nao se enganou. foi enganado pelo Espírito Santo. ou melhor houve um equivoco.
    Agora o Espirito Santo concerto dando-lhe a visão a Ellem. que maravilha!

    Que Deus tenha misericordia.

  6. kaio disse:

    e dificiu de achar as festas dos hebreus e rituais as luzes

  7. Décio disse:

    QUAIS OS CRITÉRIOS DA MODERAÇÃO DESTE SITE? PELO VISTO NÃO É UMA QUESTÃO DE PALAVRAS DE BAIXO CALÃO, OU COISA PARECIDA. A “MODERAÇÃO” ATUA, QUANDO AS RESPOSTAS REFULTAM OS ESTUDOS. ISSO SÓ ME DÁ MAIS CERTEZA AINDA DA FRAGILIDADE DESSES ENSINAMENTOS! (MINHA RESPOSTA NUNCA É PUBLICADA).

    Eu gostaria de esclarecer que a palavra grega(hagion),traduzida por santo dos santos, segundo o léxico de Strong(dicionário Bíblico), significa: coisa sagrada, santo(de todos), lugar sagrado, santuário.
    Não diz literalmente “lugar santo”, como o Sr Alexandro afirma ser a tradução King James. Talvez até se possa usar essa expressão(lugar santo) para algum caso, mas devemos ser coerentes e analisar pelo contexto, qual o significado mais apropriado para cada caso.
    No caso de Hebreus 9:12, qual seria o significado mais coerente? Vamos analisar o contexto desde o início do captítulo:
    O autor de Hebreus(provavelmente Paulo),inicia o capítulo explicando sobre os lugares do santuário, o santo e o santíssimo(ou santo dos santos) e as coisas que haviam nesses compartimentos(versos 1 a 5). Depois o autor explica que no primeiro lugar(santo) os SACERDOTES entram continuamente. E que no lugar santíssimo, somente o SUMO SACERDOTE entrava uma vez por ano, NÃO SEM SANGUE(veros 6 e 7). A partir daí, Vemos que o autor Bíblico faz uma nítida comparação entre o sumo sacerdote terrestre, e Jesus Cristo o Sumo Sacerdote Eterno. Notem que a comparação mostra o sumo sacerdote entrando no santíssimo com sangue de animais, e depois diz que Jesus entrou no santuário(ou lugar sagrado, ou santo dos santos,etc.) COM SEU PRÓPRIO SANGUE. Ora, se o sumo sacerdote terrestre entrava no santíssimo oferecendo sangue de animais, Jesus Cristo ia oferecer seu sagrado sangue onde? No lugar santo????? A comparação nítida e clara que o autor mostra neste capítulo, é entre: a entrada e oferta que só o sumo sacerdote fazia uma vez por ano no lugar santíssimo com sangue de animais, e a entrada e oferta de Jesus com seu próprio sangue.

    Se for por uma questão de simples tradução, amigo Alexandro, leia Hebreus 9:25; veja que a palavra para “santo dos santos”, é A MESMA de 9:12, (hagion), MAS O CONTEXTO MOSTRA NITIDAMENTE QUE SE TRATA DO LUGAR SANTÍSSIMO!! Veja: Hebreus 9:24-25: “Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para comparecer, agora, por nós, diante de Deus; nem ainda para se oferecer a si mesmo muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano entra no Santo dos santos(hagion) com sangue alheio.”

    Veja Alexandro, o SUMO SACERDOTE ENTRAVA CADA ANO, COM SANGUE, ONDE? NO LUGAR SANTO? SE VOÇE QUER ARGUMENTAR QUE A PALAVRA (HAGION) EM HEBREUS 9:12 NÃO PODE SER O SANTO DOS SANTOS, COMO FICA HEBREUS 9:25?????? NA BÍBLIA, NÃO É SECAMENTE SÓ UMA QUESTÃO DE TRADUÇÃO, MAS O SIGNIFICADO MAIS COERENTE COM O CONTEXTO!
    Além disso, Hebreus 9:24 diz que Jesus foi para DIANTE DE DEUS, OU PERANTE A FACE DE DEUS(cara a cara). Para isso, é necessário estar no santíssimo. E também é dito que Ele ENTROU(no passado); NÃO DIZ que Jesus ENTRARIA para diante de Deus após 18 séculos.

  8. Sheila disse:

    Sheila
    Oi, Participo de estudos em pequenos grupos, e estava analisando o estudo apresentado em pauta. Na palavra grega (hagion) do bíblia online, mostra que ela se apresenta também em Hebreus 9:25. Vimos isso no grupo de estudos; eu e outros estudantes questionamos sobre Hebreus 9:25, onde a palavra também é hagion, mas o próprio verso deixa claro que se trata do lugar santíssimo. Gostaria que alguém esclarecesse. Obrigada.

  9. IASD disse:

    Décio, vamos por partes:
    1- Sua resposta nunca é publicada pois tem como único objetivo denegrir a Igreja Adventista do Sétimo Dia.
    2- Algumas traduções dizem que Jesus entrou no Lugar Santissimo, mas no artigo acima foram mostradas 10 BÍBLIAS e inclusives católicas que dizem que Jesus entrou no Lugar santo ou no santuário. Não sou quem afirma isso, são Bíblias conceituadas como a King James.
    3- A teologia adventista não diz que Jesus ficou 18 séculos sem entrar na presença do Pai. Mas afirma que o Pai estava com Cristo no Lugar Santo. A diferença de compartimentos se deve AO TIPO DE TRABALHO QUE ESTÁ SENDO REALIZADO. O Pai caminha por todo o santuário e onde ele está é o lugar mais santo do Universo. O Lugar Santíssimo é a sala do julgamento (prefigurada pelo Dia da Expiação do Judaísmo), e realmente não era utilizada com este propósito até o século 18.
    4- Vc pode achar que a expressão lugar santissimo é a mais coerente. Mas os tradutores católicos não acharam e nem da versão king james.

    A Bíblia AVE MARIA diz:

    Hebreus 9:12: sem levar consigo o sangue de carneiros ou novilhos, mas com seu próprio sangue, entrou de uma vez por todas no santuário, adquirindo-nos uma redenção eterna.

    A Bíblia da CNBB afirma:

    Hebreus 9:12: Ele entrou no Santuário, não com o sangue de bodes e bezerros, mas com seu próprio sangue, e isto, uma vez por todas, obtendo uma redenção eterna.

    Portanto, o que vc acha ou deixa de achar não tem peso para os 15 milhões de adventistas que continuarão crendo que o Papa de Roma é o anticristo e o Julgamento apenas começou em 22/10/1844. Até.

  10. Décio disse:

    Antes de mais nada, OBRIGADO POR PUBLICAR(finalmente) minha resposta. A lealdade e transparência devem prevalecer. Agora responderei cada item citado:

    RESPOSTA 1 – Discordo, meu objetivo não é denegrir ninguém, é participar questionando, para que os leitores tenham o direito de ver que existem outras possibilidades de interpretação. E como vocês podem falar em denegrir igreja?? E qual é o objetivo de vocês quando falam da Igreja Católica???chamar de prostituta não é denegrir ???? dizer que o Papa é o anticristo… os católicos não ficam dizendo que Ellen White é o anticristo…!

    RESPOSTA 2 – quando a versão bíblica diz o que você quer…ela é conceituada. Eu fico pensando…e se a King James dissesse: santíssimo, você a consideraria conceituada? E eu não critico a palavra da tradução em si. O ponto-chave desta questão está na palavra grega: hagion. Ela tanto serve para “lugar sagrado”, santo, santuário, ou para “santíssimo”. POR ISSO O CONTEXTO DEVE SER ANALISADO! Você olha secamente e literalmente para a tradução de hagion em Hebreus 9:12, E “ESQUEÇE” QUE EM HEBREUS 9:25 A PALAVRA É A MESMA(HAGION); E VOÇE CONCORDA OU NÃO, QUE HEBREUS 9:25 FALA DO SANTÍSSIMO? SOBRE ISSO VOÇE NÃO RESPONDEU!!!

    RESPOSTA 3- É claro que Deus caminha por todo santuário ou qualquer lugar, mas essa expressão “lugar mais santo do universo” sai totalmente do texto, do contexto e do cenário de Hebreus 9. O contexto de Hebreus 9 está falando do santuário, sumo sacerdote, oferta, sangue, lugar santo e santíssimo. O cenário, é o santuário. E o lugar onde Deus se manifesta, o seu trono, a sua sala, é o santíssimo. Temos que analisar Hebreus 9, à luz do seu cenário, LEIA LEVÍTICOS 16:1-2.

    RESPOSTA 4 – só eu posso achar? Não fui eu quem traduziu a Bíblia Almeida, foi a SBB Sociedade Bíblica do Brasil.(bíblia que vocês usam!) E eu já disse que não é uma simples questão de tradução de uma palavra; VOÇES É QUE ESTÃO AFIRMANDO NO SEU ESTUDO, QUE A PALAVRA HAGION , SIGNIFICA SÓ: LUGAR SANTO OU SANTUÁRIO. E HEBREUS 9:25 PROVA QUE “HAGION” TAMBÉM SIGNIFICA SANTÍSSIMO! O CONTEXTO DEVE SER ANALISADO!! E o que eu acho ou deixo de achar, não tem peso para 15 milhões de adventistas, do mesmo modo que: o que pensam 15 milhões de adventistas também não tem peso para milhões e milhões de outros Cristãos.
    Ainda aguardo resposta sobre Hebreus 9:25!!!

    Que Deus ilumine e abra sua mente…

  11. José Carlos disse:

    amigo Décio…Achei leao a forma como defende outras linhas de entendimentos em relação ao livro de Hebreus…Vc é inteligente, abrangente, queria que aceitasse um convite…que vc penetrasse profundamente nos estudos do antigo santuario no deserto..este que foi feito modelo daquele que esta no céu…talves amenize muita coisa… se ja estuda dê uma revisada com calma…mas o impotante e saber que vc se interessa por estes assuntos…é fascinante encontrar pessoas como vc..diante de um oceano de outras que não estudam e nao se interessam por estas preciosidades…foi bom ler o que escreveu..ver o que pensa…um grande abraço amigo Décio.

  12. José Carlos disse:

    amigo Décio…Achei leal a forma como defende outras linhas de entendimentos em relação ao livro de Hebreus…Vc é inteligente, abrangente, queria que aceitasse um convite…que vc penetrasse profundamente nos estudos do antigo santuario no deserto..este que foi feito modelo daquele que esta no céu…talves amenize muita coisa… se ja estuda dê uma revisada com calma…mas o impotante e saber que vc se interessa por estes assuntos…é fascinante encontrar pessoas como vc..diante de um oceano de outras que não estudam e nao se interessam por estas preciosidades…foi bom ler o que escreveu..ver o que pensa…um grande abraço amigo Décio.

  13. Décio disse:

    Prezado Amigo José Carlos;
    Agradeço por seu comentário amigável e educado. O amigo falou em se aprofundar mais no estudo do santuário…achei interessante, minha pergunta é: este estudo que você se refere, é Bíblico? Ou baseia-se em outras fontes?
    Fico no aguardo…………………..muito grato.

  14. Antonio Carlos Martins dos Santos disse:

    A palavra que aperece em Hb 9:12 é a mesma que aparece em Hb 9:2 quando o escritor do referido livro fala do promeiro compartimento do santuário, ou seja, o lugar santo. Se o autor de Hb quisesse dizer que Jesus já naquela ocasião tinha entrado no santíssimo ele teria empregado a expressão hagia hagion que é a expressão usada em Hb 9:3 para se referir ao segundo compartimento,isto é, o santo dos santos e não hagion de Hb 9:2.
    O que acontece aqui em Hb 9 é o mesmo caso que acontece em algumas poucas passagens da Bíblia : ao invés de traduzirem interpretam tais passagens. Em algumas traduções católicas, por exmplo, Apocalipse 1:10 que diz que João foi arrebatado no dia de domingo, quando no original é simplesmento no dia do SENHOR. A Bíblia não se deixa enganar e não tem compromisso com nenhuma religião. Seu compromisso é com a verdade: ” Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.” Jo 8:32.

  15. o irmão Antonio carlos Martins, me ajudou muito na compreenção da questão levantada pelo irmão Décio! obrigado os dois pelo estimulo ao raciocinio sobre as coisas celestes.

    primeiro queria contribuir respondendo ao irmão Décio sobre a seguinte questão, ele (Decio) cita:

    “Hebreus 9:24 diz que Jesus foi para DIANTE DE DEUS, OU PERANTE A FACE DE DEUS(cara a cara). Para isso, é necessário estar no santíssimo.”

    A isto respondo que não necessariamente seria necessario entrar no santissimo! o irmão mais tarde em seus comentarios nos direciona a leviticos 16:1 e 2. para afirmar que assim como no santuario terrestre o trono do pai no santuario celestial fica no santissimo. trato desta questão pq ontem mesmo tive essa dúvida ao me deparar com Hebreus 8: 1 e 2, onde afirma que: “Ora, o essencial das coisas que temos dito é que possuimos tal sumo sacerdote que se assentou à destra do trono da majestade nos céus, como Ministro do santuário, e do verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, não o homem.”

    então pensei, como Jesus sentou no trono sem passar pelo santissimo?

    1º – “Ele mesmo edificará o templo do SENHOR, e ele levará a glória; assentar-se-á no seu trono e dominará, e será sacerdote no seu trono, e conselho de paz haverá entre ambos os ofícios.”
    Zacarias 6:13

    o profeta zacarias me confortou quando disse que há paz e harmonia entre os dois ofícios(Rei e Sacerdote).

    2º – então com calma procurei os versiculos q falavam sobre o lugar de Deus no Céu!
    encontrei em Ezequiel capitulos 1 e 10 a noção de que o trono de Deus se encontra sobre a cabeça dos querubins, o trono possui rodas e se move para as quatro direções conforme o movimento dos querubins, ou seja, o trono é movel! portanto, é possivel cristo ser entronizado no lugar santo sem ir para o santissimo! o propiciatorio que representa o trono de Deus e que ficava no santuario terrestre e não se movia é apenas figura das coisas celestiais (Hb 8:5) não representando a realidade das coisas (Hb 10:1).

    não sei se estou cert, sou apenas um amante da Biblia.

    o irmão Décio fala sempre que o contexto deve ser analizado. então, pelo contexto que ele tenta me apresentar Cristo entrou no santissimo logo após sua morte, então como ficaria Dn 8:14? a profecia se cumpriu perfeitamente indicando o ano exato do inicio do ministerio de Cristo, a sua Morte… ou seja, tudo se cumpre perfeitamente até as 70 semanas, porem ainda faltam 1810 anos para o cumprimento total da profecia o que culminou em 1844 e o santuario deveria ser purificado (e foi!) e aí?a profecia não se cumpre pela metade, ela cumpre-se por completo! para mim o contexto profetico indica que Cristo entrou no santissimo em 1844!

  16. Se o santuário não existe ou se não há um lugar onde possa entrar o que dizer desta afirmação sobre este no céu? ” Mas Cristo, tendo vindo como sumo sacerdote dos bens já realizados, por meio do maior e mais perfeito tabernáculo (NÃO FEITO POR MÃOS, ISTO É, NÃO DESTA CRIAÇÃO),HEBREUS 9.11; POR ESSAS E OUTRAS É QUE DEVEMOS LER TODO O CONTEXTO. NOTE O VERSO: “POR MEIO DO MAIOR E MAIS PERFEITO TABERNÁCULO. MUITO CLARO! NÃO ACHA?

  17. AGORA VOLTEMOS UM POUCO E VEMOS OUTRA VEZ O TABERNÁCULO NO CÉU:” Ora, do que estamos dizendo, o ponto principal é este: Temos um sumo sacerdote tal, que se assentou nos céus à direita do trono da Majestade, ministro do santuário, e do VERDADEIRO TABERNÁCULO, que o Senhor fundou, e não o homem.”HEBREUS 8.1 E 2. MAS PORQUE ENTÃO DO VERDADEIRO TABERNÁCULO, O OUTRO NÃO O ERA(TABERNÁCULO TERRESTRE) NÃO, NÃO É NADA DISSO! É PORQUE O TABERNÁCULO TERRESTRE ERA SOMBRA DO QUE HAVIA NO CÉU. UMA SOMBRA É UM REFLEXO ESCURO, ASSIM SENDO, PARA SE TER UMA SOMBRA PRECISA TER ALGUMA COISA PARA REFLETI-LA.ATÉ MAIS

  18. Uma tradução mais original e de perfeita harmonia de Hebreus 9.12:” E não pelo sangue de bodes e novilhos, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez por todas no SANTO LUGAR, havendo obtido uma eterna redenção.” Percebeu? Não no santíssimo lugar,Mas NO SANTO LUGAR OU SEJA NO PRIMEIRO COMPARTIMENTO, embora sabendo que Jesus poderia andar por esse lugar(SANTÍSSIMO),PORQUE? OBTEVE ETERNA REDENÇÃO. Porém neste É A SALA DO JULGAMENTO PREFIGURADO COMO O DIA DA EXPIAÇÃO JUDAICA. XAU!

  19. Sangar Vidal disse:

    Sou Adventista desde que nasci, tenho estudado a bíblia e implorado ao Eternos que me ilumine. No meu entendimento, percebo que existe um jogo muito grande para dar base na doutrina do Juizo Investigativo, falo referente a esse assunto. Não aceito os argumentos utilizados para dar base a Doutrina citada. Sei que existe divergencias e muitas sobre a originalidade dos texto do Novo Testamento. O que me dá suporte é o passado” Velho Testamento”. É nele que deponho minha fé e de que o Pai , enviou seu Filho, para nos resgatar do pecado, e eu aceito os dois como guia. Seus mandamentos como preceitos de um viver melhor e espero em breve viver numa nova terra. Se existe verdade ou não na doutrina do Juizo investigativo, para mim não vai mudar em nada, nisso eu acredito…Quem salva é Deus Pai, por meio de Seu Filho Jesus Cristo e para mim, seu sangue me basta. Quanto a bíblia Novo Testamento , com coisas erradas, alteradas etc…No contexto geral elas são fontes de verdades e nisso acredito. Se alguem mudar algo nela perverter, e impedir que alguem encontre o Eterno Pai, vai ter que responder por isso. E eu tenho ponderado muito sobre isso e analizado as colocações, ponto de vista de todos os lado. Percebo que alguns estão falando do que o coração tá cheio de iras e contendas, desejosos de ser superior aos outros, na verdade percebo tristemente que nem eles mesmos confiam no que manifestam acreditar é essa a mais pura verdade. Poucos, poucos são os que dão testemunho de amor ao próximo, a Deus e a si mesmo. Abraço ! Sangar Vidal

  20. Até hoje nunca vi outra igreja no mundo com as verdades biblicas que a igreja adventista tem.

  21. meus queridos irmaos sou adventista do setimo dia de moçambique, mais não esto de acordo com a esplicação da doutrina do santuario esplicando que em 1844 Jesus entrou no santo. o proprio céu é o lugar santissimo, onde habita Deus é santissimo , a biblia diz que Jesus esta a direicta do pai não tem como afirmar que jesus entrou no lugar santissimo em 1844.isto é absurdo afirmar isto. é menosprezar Jesus, o céu é o santissimo. pelo sangue jesus temos a osadia de entrar no lugar santissimo

    Hebreus 10:19-20
    Escrito por Pr. João Gonçalves.
    Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santisimo, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne.

    hb 9:12, hb 10:12 , paulo nao ficou enganado foi espirado porque Deus sabia que averiam falsos ensinamento quanto a isto. eu respeitos os pioneiros, pois isto era a verdade de 1844, nao de 2012., a verdade é dimica. DEUS ABENCOE AMEM .

  22. Sangar Luís disse:

    Tenho estudado o VT e junto com NT e comparado passagem por passagens , anotando e relendo e voltando a estudar, pesquisando assuntos fora da Bíblia, solicitando parecer de teólogos e estudiosos, assistindo o video do programa Evidências que trata da veracidade do NT, ali o apresentador mostra que existe de fato textos que foram colocados depois de muito tempo e que não existe nos originais! E ele afirma que não existe do NT, originais que tudo é cópia de cópia, então aí é que se torna difícil de afirmar que tais textos são corretos, como por exemplo, a ordem de Jesus para batizarem em seu nome como está em Atos, outra coisa é o fato do NT não falar em trindade e afirmar que existe 3 Deuses no NT, e sobre juizo investigativo, que Jesus só entrou na presença do Pai em 1844. Então amigos e amados irmãos, afirmar que a bíblia tradução, versão etc é a mais fiel, não tem como afirmar, sim podemos afirmar que tal Biblia é a verdadeira, quando desejamos dar credito nas nossas colocações, no que acreditamos, para confirmar nossas filosofias. Existem farto material na internet, informações preciosas sobre o passado, pode se afirmar que abíblia foi adulterada e todos nós sabemos muito bem, bastar se informar, então concluo ! Pode sim o Criador do Universo achar por bem, não ter confiado suas verdades a só um povo, como fizera no passado com o povo Israel, povo rebelde, com caminhos perversos, idólatra etc…E não vejo diferença na atualidade, somos iguais a Israel, nos achando o máximo, melhores dos que os outros,nós sempre que temos a verdade, eu sempre sou o certo…Os outros são os outros, coitados, não sabem de nada. Estudar a palavra do Eterno se faz necessário, com oração, prudência, reverência, solicitando luz dos céus para nos iluminar, eu quero dar meu depoimento que os estudos que estou fazendo está me fazendo muito bem, penso que esse assunto não é para se debater, para eu ter capacidade de convencer, e me sair melhor do que os outros não, tenho certeza que salvação é algo íntimo, pessoal, algo eu com meu Deus, que foge de bancos de igrejas, de placas, pois nós ficamos afirmando e condenando e colocando o dedo na cara de outros irmãos amados, dizendo você está perdido, por não estar na minha igreja , pois nós é que temos a verdade, não é isso que fazemos? Então o resusmo para a salvação é que; devemos amar mais nossos irmãos, o próximo, fazer isso é obdecer a Lei, amando a Deus sobre todas as coisa e evidentemente a nós principalmente. Pois quando nos tornamos objetos de contenda o amor de Deus não está em nós…E por isso não nos amamos nem a nós e evidentemente a Deus e ao próximo…Pense nisso abraço! Saudações em Cristo !

  23. Sangar Luís disse:

    Acredito que cada dia com mais informações que surgem nos meios de comunicação, descobertas, pesquisas, estudos todas as interrogações, dúvidas serão esclarecidas…E para mim no final das contas, os vivos nessa ocasião por volta do retorno de Jesus a essa terra é que terão que decidir qual rumo tomar, pois muita luz serão ainda descoberta sobre a Divina Palavra, a bíblia, é lá no final é que a coisa vai ficar complicada, pois com as descobertas, nós que acreditavámos em tal ponto não teremos saída a não ser crer ou não crer nas verdades descobertas, então será crucial nossas decisão, pois nossa salvação dependerá de acreditar ou não nas novas revelações…Nisso eu creio ! Quem Deus tem mantido no oculto preciosas revelações ! abraço e saudações a todos amados irmãos de todas denominações. Sangar

  24. IASD disse:

    Sangar existem versões adulteradas da Bíblia: NTLH é uma delas. Porém a confiável é a versão King James equivalente a nossa Almeida. Deus preservou uma versão confiável.

  25. fabiozerolg disse:

    Edislanhe Lima.CONCORDO COM VC EM TUDO QUE VC DISSE.ESTA FOI A RESPOSTA MAIS COERENTE,PARABÉMS

  26. Quanto a Hagion (santo – Hb 9:2); Hagia Hagion (santo dos santos Hb 9:3) e Hagion em Hebreus 9:25 ser traduzido como lugar santo é pouco provável. Porque Hebreus 9:25 faz alusão ao sumo sacerdote terrestre que entrava uma vez ao ano no HAGION. Só pode está se referindo ao santo dos santos. Portanto, esses termos originais devem ser entendidos pelo contexto. Por isso, a maioria das bíblias vai taduzir como santuário, é uma expressão neutra. Mesmo sendo “santuário” não muda o fato de Hebreus fazer comparação entre o sumo sacerdócio levítico e o celestial. O contexto tambem de Daniel 8 não é de nenhuma maneira Levítico 16. Pois não são os pecados dos santos que contaminam o santuário para que Jesus venha fazer uma purificação em 1844. Em Daniel 8 é nos dito que o chifre pequeno é quem assola o santuário por 2300 dias e não os nossos pecados!
    Abraço a todos:
    Dayan Moshe.

  27. Paz do Senhor a todos.
    Não há problemas em Cristo ter tido dois ofícios: Rei e Sumo Sacerdote. Ele não ficou confinado nem ao lugar santo e nem ao santo dos santos, mas Hebreus coloca Ele como Sumo Sacerdote no santuário. A comparação que Hebreus faz entre o santuário celeste e o terrestre, é que Jesus é superior ao sumo sacerdote terrestre que entrava uma vez ao ano, e que Ele como Sumo Sacerdote celestial entrou uma única vez no santuário, para fazer purificação de nossos pecados. Isso é o evangelhO! Sobre Daniel 8:14 que se estende até 1844 é baseado em várias suposições. Nenhum exegeta sério, sem paixão religiosa, vai concordar que Daniel 8 esteja falando a mesma coisa que Daniel 2 e 7. O chifre pequeno em Daniel 8 foi um protótipo do chifre pequeno de Daniel 2 e 7. Em Daniel 8 foi um chifre pequeno que assolou o santuário judeu em 165 a.C. Proibiu os judeus de fazer sacríficos durante 2300 dias. Sendo purificado depois dos 2300 dias por Judas Macabeus. É somente vocês conferir isso em I. e II Macabeus, nos escritos de Flavio Josefo (escritor judeu do I. Século e Jerônimo que viveu no III Século). Quanto a Hagion (santo – Hb 9:2); Hagia Hagion (santo dos santos Hb 9:3) e Hagion em Hebreus 9:25 ser traduzido como lugar santo é pouco provável. Porque Hebreus 9:25 faz alusão ao sumo sacerdote terrestre que entrava uma vez ao ano no HAGION. Só pode está se referindo ao santo dos santos. Portanto, esses termos originais devem ser entendidos pelo contexto. Por isso, a maioria das bíblias vai taduzir como santuário, é uma expressão neutra. Mesmo sendo “santuário” não muda o fato de Hebreus fazer comparação entre o sumo sacerdócio levítico e o celestial. O contexto tambem de Daniel 8 não é de nenhuma maneira Levítico 16. Pois não são os pecados dos santos que contaminam o santuário para que Jesus venha fazer uma purificação em 1844. Em Daniel 8 é nos dito que o chifre pequeno é quem assola o santuário por 2300 dias e não os nossos pecados!
    Abraço a todos:
    Dayan Moshe.

  28. IASD disse:

    Dayan, Jesus não ficou confinado no lugar santo até 1844. A diferenciação entre os 2 compartimentos (santo e santíssimo) é por causa do trabalho diferente que é realizado. Até 1844 não houve análise dos livros celestes. A partir dessa data começou a análise e o julgamento pré-advento. A questão não é apenas de lugares, mas de ofício. O Chifre Pequeno para os adventistas tem a fase pagã, o Império Romano, e a fase Papal. A fase pagã se estende para o leste e o sul,(Israel, Africa):

    E de um deles saiu um chifre muito pequeno, o qual cresceu muito para o sul, e para o oriente, e para a terra formosa.
    Daniel 8:9

    A fase papal se estende até as estrelas do Céu jogando a verdade por terra (Sacrifício da Missa, intercessão de milhares de santos e anjos no lugar de Cristo, domingo no lugar do santo sábado etc).

    ….e lançou a verdade por terra, e o fez, e prosperou.
    Daniel 8:12

    É assim que interpretamos o Chifre Pequeno.

  29. Cara IASD: Paz e Graça.
    A interpretação de vocês é bacana, mas deixa furos enormes. O verso citado:
    “E de um deles saiu um chifre muito pequeno, o qual cresceu muito para o sul, e para o oriente, e para a terra formosa” Daniel 8:9.
    Lido em seu contexto vai dizer outra coisa:
    “Aquele carneiro que viste com dois chifres são os reis da Média e da Pérsia, mas o bode peludo é o rei (rei no original aqui é Malkut – Reino e Império da Grécia; e o grande chifre que tinha entre os olhos é o primeiro rei ( rei no original aqui é “Melek” – uma pessoa e não uma nação – Alexandre, O grande); O ter sido quebrado (sua morte), levantando-se quatro em lugar dele, significa que quatro reis se levantarão da mesma nação, mas não com a força dele. Mas, no fim do seu reinado (no fim do reinado grego – 168 a.C.), quando acabarem os prevaricadores, se levantará um rei (rei no original é Melek, uma pessoa e não uma nação, caso fosse Roma, feroz de semblante, e será entendido em adivinhações” Daniel 8:20-23.
    Portanto, esse chifre pequeno é diferente do chifre pequeno de Daniel 2 e 7, que surge após o fim do império romano (476 d.C.), que logicamente refere-se ao papado (surgiu no Século V com o Papa Leão). No versículo 23 encontramos que o poder do chifre pequeno surgiria ‘ao fim do reinado destes’. Isto se refere aos últimos tempos das quatro divisões do império grego, justo antes de que fossem conquistadas por Roma.
    As quatro divisões começaram na batalha de Ipso no ano de 301 a.C. O reino da Macedônia caiu no ano 168 a.C., o de Cassandro no ano 146 a.C., o dos Selêucidas (sobre o qual governava Antíoco Epífanes), no ano 65 a.C. O de Ptolomeu durou até o ano 30 a.C. Considerando que o reino quádruplo deixou de existir quando caiu Macedônia no ano 168 a.C., a profecia requer que apareça o chifre pequeno pouco antes desse ano. Antíoco Epífanes reinou desde o ano 175 a.C. até o ano 164 a.C.
    O livro de I. Macabeus (escrito aproximadamente no ano 100 a.C.) e Flávio Josefo, escritor judeu do I Século, são unânimes em reconhecer Antíoco Epífanes como o chifre pequeno de Daniel 8. Ele também atacou ao sul (Egito), ao oriente (Pérsia) e a terra formosa (Jerusalém), aboliu a lei e profanou o santuário judaico que deixou de sacrificar por 2300 dias.
    Ver: I Macabeus 1:19, 20: “Desta maneira, ocuparam as cidades fortes na terra do Egito, e ele tomou seus despojos, e depois que Antíoco havia atacado o Egito, regressou novamente no ano cento e quarenta e três e subiu contra Israel e Jerusalém com uma grande multidão”.
    O livro de Macabeus descreve como foi tirado o continuo sacrifício e como foi desolado o santuário.”E em sua arrogância, entrou no santuário e tirou o altar de ouro e o candelabro e todo o mobiliário” (I Macabeus 1:21).
    O ataque de Antíoco contra a religião judaica foi a pior crise que enfrentaram os judeus entre o cativeiro babilônico no ano 606 A.C. e a destruição de Jerusalém no ano 70 D.C. . Depois de dois anos, a situação no santuário piorou:
    “E derramaram sangue inocente por todo lado do santuário, e profanaram o santuário mesmo. . . O santuário se converteu em um deserto desolado. . . . “(I Macabeus 1:37, 39).
    Depois de 2300 dias, o santuário foi purificado por Judas Macabeus (I Macabeus 4:41-51) “Então Judas designou a certos homens para combater os que estavam na fortaleza, até que houvesse PURIFICADO O SANTUÁRIO…”.
    Esse dia que Judas Macabeu purificou o santuário, é reconhecido até os dias de hoje com o Hannukkah (festa da dedicação do templo). O próprio Jesus teve nessa festa (João 10:22).
    Se os judeus reconhecem Antíoco Epífanes como o cumprimento do chifre pequeno de Daniel 8, porque eu daria um significado diferente? As vezes se dá a impressão que o sofrimento dos judeus nessa época foi de pouca monta, mas não foi. Foram milhares de judeus mortos, não podemos menospresar o sofrimento deles, dizendo que esse Antioco Epífanes foi um Zé Ruela qualquer.
    Se temos a história judaica que confirma isso (I Macabeus e II Macabeus), temos escritores do I Século com Flávio Josefo que falou: “E esta desolação ocorreu de acordo com a profecia de Daniel, que havia sido pronunciada 408 anos antes; porque declarou que os macedônios dissolveriam esse culto por algum tempo”. (Antiquities of the Jews, p.260). Temos também escritores do III Século como Jerônimo, que foi o primeiro cristão a ver Antíoco como cumprimento de Daniel 8 (FONTE: Estudos sobre Daniel – Origem, Unidade e Relevância Profética – Editor Frank B. Holbrook – autor: William H. Shea – UNASPRESS – 2009). Então não faz sentido, nós, pensarmos diferentes. Não faz sentido tentarmos interpretar Roma em Daniel 8 porque o contexto do próprio Daniel 8 não vai permitir isso.
    Espero ter ajudado.
    Grande paz no coração.
    Dayan Moshe.

  30. IASD disse:

    Concordamos que a resposta possa ter dupla interpretação (Antíoco e Roma Papal). Mas a Igreja Católica Romana interpreta que na realidade essas passagens não são profecias. O Livro de Daniel seria do século 2 AC e não do século 6 AC. Assim ela coloca todos os poderes do mal descritos na Bíblia como o Império Romano ou Antíoco Epifãnio. Isso visa reafirmar sua posição como Igreja Verdadeira e que ela não estaria descrita em nenhuma profecia bíblica, como dizem certos grupos protestantes, adventistas e testemunhas de Jeová. Cremos porém que a igreja católica é o chifre pequeno em Daniel 7, a besta de apocalipse 13:1-10 e é PARCIALMENTE o chifre pequeno de Daniel 8.
    Por outro lado, a profecia dos 2300 dias pode ter se cumprido literalmente como você disse, mas a interpretamos como sendo 2300 anos e se estendendo até 1844 DC onde teria começado o juízo pré-advento. Isso é muito importante na teologia adventista, pois com o começo do juízo a arca da aliança é vista no céu (Apoc 11:19), a proclamação do sábado é feita no mundo todo, convocando a todos a ter a fé em Jesus e guardar seus mandamentos (Apoc 14:12). Então virá a marca da besta (leis dominicais), o novo pentecostes (provavelmente antes da marca), a perseguição, a queda das 7 pragas e por CAUSA das Pragas o decreto de morte de apocalipse 13. Então como você pode ver é tudo complexo e amarrado. Tirar uma carta do castelo de cartas (2300 anos) afetará o todo.

  31. Cara IASD.
    Graça e Paz.
    Agradeço pela gentileza de ter respondido meu comentário.
    Penso que se a IASD permitisse que seus membros tivessem liberdade de pensar sobre isso, sem causar nenhum constrangimento, como uma possível disciplina (deixar de pregar, cantar ou deixar de receber um cargo), seria mais bem aceita entre os evangélicos.
    Há muito preconceito entre os evangélicos, porque de alguma forma, é passado para eles que a IASD é a única igreja verdadeira – A Igreja Remanescente! Que teve uma origem profética baseado em Daniel 8:14.
    Um estudo exegético de Daniel 8, desqualifica a pretensão adventista, porém não tira as suas virtudes. A IASD é a igreja mais séria que eu conheço, com ótimos projetos que visam cuidar do ser humano integral.
    É uma pena a IASD sustentar Daniel 8:14 em conexão com a data de 1844, incluindo um Juízo Investigativo com data marcada. Isso afasta os evangélicos de conhecê-la mais intimamente e de começar a aceitar muitas doutrinas verdadeiras como a imortalidade condicional, o inferno como a sepultura, o aniquilamento do Diabo, seus anjos e os ímpios, a volta de Jesus, a ressurreição dos mortos, o milênio e a nova terra.
    Creio que todo o contexto escatológico da doutrina adventista pode sobreviver sem a interpretação de Daniel 8:14, que é baseada em suposições. Um julgamento antes do retorno do Senhor é possível, sem a necessidade de condicioná-lo à data de 1844. Um santuário celestial no céu é possível sem necessidade também de condicionar com a data de 1844.
    Por fim, quero dizer que ganharemos muito mais para o Reino de Deus, se deixarmos de lado qualquer interpretação que é movida apenas pelo orgulho denominacional.
    Que Deus continue salvando o seu povo.
    Paz e Graça,
    Dayan Moshe.

  32. IASD disse:

    Cremos que há filhos de Deus em todas as igrejas como pode ver no artigo abaixo:
    https://adventismoemfoco.wordpress.com/os-filhos-de-deus-nas-outras-igrejas/

    Somos o remanescente pois temos missão especial e maior luz.

  33. Cara IASD,
    Obrigado mais uma vez pela resposta.
    Saúdo na Graça e na Paz do Senhor Jesus.
    Exatamente sobre isso que vocês deveriam atentar: “o conceito de maior luz”. É esse conceito que tem produzido o orgulho denominacional.
    Apesar da IASD sustentar várias doutrinas importantes, perde-se em outras interpretações que tira de vocês, o título de portadores de maior luz.
    Tenho visto, por exemplo, que há uma atitude repetitiva de afirmações que não resistem à exegese dos fatos em relação a Daniel 8. Quando você diz que a:

    “Igreja Católica Romana interpreta que na realidade essas passagens não são profecias. O Livro de Daniel seria do século 2 AC e não do século 6 AC. Assim ela coloca todos os poderes do mal descritos na Bíblia como o Império Romano ou Antíoco Epifãnio. Isso visa reafirmar sua posição como Igreja Verdadeira ”

    Nós, protestantes históricos, admitimos que essa seja de fato a posição da Igreja Católica, que ela se protege ao colocar Antíoco Epífanes como o Chifre Pequeno de todo o livro de Daniel, quando sabemos que Antíoco Epífanes é somente o Chifre Pequeno de Daniel 8.
    Concordamos também, que a Igreja Católica, popularizou a posição do filósofo pagão neoplatônico: Porfírio (233-304 d.C.). Porfirio assumiu a posição de que o livro de Daniel não foi escrito no sexto século a.C. Antes, era uma história que pertencia à era dos Macabeus, escrita depois dos eventos na forma de profecia.
    Porfírio se surpreendeu com os detalhes do relato judaico registrado em I e II Macabeus que coloca Antíoco Epífanes como o Chifre Pequeno de Daniel 8. A partir disso, ele lenvantou suspeitas do ano que Daniel havia escrito as profecias. Ele então inventou a ideia que Daniel foi escrito na época dos Macabeus e coloca Antíoco como o Chifre Pequeno de Daniel 2, 7 e 8 e de todo o livro também.
    A Igreja Católica gostou dessa ideia, porque retira dela a responsabilidade de ser o Chifre Pequeno de Daniel 2 e 7. Mas houve cristãos que não aceitaram a posição nem de Porfírio e nem da Igreja Católica. Um deles, chamado Jerônimo (340-420 d.C.) escreveu um comentário sobre Daniel, uma importante contribuição. Ele reafirmou o esquema historicista dos quatro reinos mundiais e concordou com todos os intérpretes cristãos ANTERIORES A PORFÍRIO de que Daniel é messiânico e cristocêntrico. Ele não deu nenhum lugar a Antíoco em Daniel 2, 7 ou 9. Contudo, concordava com Hipólito e o pagão Porfírio quanto a ver Antíoco Epifânio como a figura dominante em Daniel 8 e o principal tema na profecia de Daniel 11.
    Essa concordância sobre Daniel 8, não tem nada a ver com Porfírio e nem com a Igreja Católica e sim com o próprio povo judeu que SE VIU incluído em Daniel 8, quando deixaram de oferecer sacrifícios a Deus durante 2300 dias.
    Judas Macabeu, registra Antíoco como cumprimento de Daniel 8 (I Macabeus 1 e 2), e Flávio Josefo (escritor do I Século) também fez a mesma confirmação e isso nos anos (100 a.C. e I Século após Cristo). Bem antes da Igreja Católica ter tomado a posição de ver apenas Roma ou Antíoco em todo o livro de Daniel.
    Os adventistas, acertadamente, seguem a interpretação de Jerônimo, quanto a Daniel 2 e 7 que refere ao Chifre Pequeno (papado) que persegue a igreja durante 1260 dias/anos (538-1798). Mas os adventistas, baseados no conceito errado de Miller, interpretam sozinhos que Daniel 8 trata também do papado, transforma 2300 tardes e manhãs (ereb boqer) que significam literalmente ‘tardes e manhãs’. Segundo o relato de Gênesis e também segundo o relato dos sacrifícios feito pela manhã (boqer) e pela tarde (ereb).
    A palavra para “dia” é yown e yamim. Não aparece no texto de Daniel 8:14. Para dar certo temos que pegar Ereb Boqer transformar em Yown Yamim e depois tranformar em anos.
    Êxodo 29.39 e 41 “Um cordeiro oferecerás pela manhã, e o outro cordeiro oferecerás à tarde”. (41) “E o outro cordeiro oferecerás à tarde (ereb), e com ele farás como com a oferta da manhã (boqer), e conforme à sua libação, por cheiro suave; oferta queimada é ao SENHOR”
    Fazer com que Daniel 8 seja o papado e transformar tudo isso em 2300 anos, com a conclusão em 1844 é deixar qualquer exegeta, desapaixonado por religião, de cabelos em pé.
    Por conta dessa conclusão errada quanto a Daniel 8, é que se defende uma data para o Juizo Investigativo a partir de 1844.
    Por conta disso, vocês são obrigados a rejeitarem a interpretação básica do livro de Hebreus, que coloca Jesus no santo dos santos como o nosso sumo sacerdote logo após a sua ressurreição.
    Um erro levará a uma sucessão de outros erros que vai separar vocês dos evangélicos.
    Repito o que já coloquei para se ter uma maior atenção: Quanto a Hagion (santo – Hb 9:2); Hagia Hagion (santo dos santos Hb 9:3) e Hagion em Hebreus 9:25 ser traduzido como lugar santo é pouco provável disso ser a verdade que o autor do livro de Hebreus desejasse comunicar. Porque Hebreus 9:25 faz alusão ao sumo sacerdote terrestre que entrava uma vez ao ano no HAGION. Só pode está se referindo ao santo dos santos. Portanto, esses termos originais devem ser entendidos pelo contexto. Por isso, a maioria das bíblias vai taduzir como santuário, é uma expressão neutra. Mesmo sendo “santuário” não muda o fato de Hebreus fazer comparação entre o sumo sacerdócio levítico e o celestial.
    O contexto tambem de Daniel 8 não é de nenhuma maneira Levítico 16. Pois não são os pecados dos santos que contaminam o santuário para que Jesus venha fazer uma purificação em 1844. Em Daniel 8 é nos dito que o chifre pequeno é quem assola o santuário por 2300 dias e não os nossos pecados!
    Como a IASD quer manter a doutrina do Juizo Investigativo a partir de 1844, com Jesus purificando o santuário dos nossos pecados que alí estão depositados, baseado em Daniel 8:14? Se o contexto de todo o capítulo de Daniel 8 nada fala dos pecados dos santos sendo depositados no santuário celestial? Pelo contrário, diz que foi o ataque do Chifre Pequeno que assolou o santuário e por isso foi feito a sua purificação.
    Bom, não sei como a IASD consegue fazer isso sem ter uma dor na consciência!
    Concluo, que talvez o conceito de, “maior luz”, poderá está cegando de ver a verdade de Daniel 8 e a partir disso, assumir que é mais uma igreja, como as demais.
    A IASD ser mais uma igreja evangélica não tira de vocês o valor expecional que vocês tem. Vocês não precisam de arranjos humanos ou extra-bíblicos para manter a posição de “Igreja verdadeira”, tal como a Igreja Católica faz.
    Espero ser compreendido.
    No Senhor Jesus, Graça e Paz a todos nós.
    Dayan Moshe.

  34. lgbsantos disse:

    Boa tarde.

    Irmãos, tem um ponto que devemos nos atentar:
    O que diz Apocalipse 11:2(E deixa o ATRIO que está fora do templo, e não o meças; porque foi dado às nações, e pisarão a cidade santa por quarenta e dois meses.).
    Se eu estiver errado alguém me corrija, mas o ATRIO, conforme estudamos o santuário “terrestre” seria o pátio(a área aberta e externa) no interior do santuário. Consequentemente o entendimento daqueles que diz que a doutrina do santuário da IASD é errada estão corretos, sim têm o respaldo biblico.
    Mas irmãos conforme o estudo do livro de Hebreus, Leviticos e Apocalipse 11:2, percebemos que o lugar pisado na profecia é o ATRIO, em função do estudo profético, percebemos que o ATRIO é a própria terra(igreja de Deus). Igreja que na profecia foi pisada por 42 meses(1260 anos). Também poderíamos voltar na profecia das “2300 tardes e manhãs e o santuário será purificado”. Novamente o que tem que ser purificado é o ambiente que foi pisado(ATRIO, igreja de Deus, povo de Deus).
    Note, que estudando a assunto nesse prisma não da pra ver um ambiente no céu sendo pisado, até porque o sacrificio de Jesus foi perfeito( SACRIFICIO REALIZADO NO ÁTRIO(TERRA) e limpou para sempre qualquer dúvida que algum ser celestial ou mesmo interplanetário pudesse ter em relação ao amor de DEUS para com toda a sua criação universal.
    Caro irmãos em Cristo, a conclusão biblica que tenho é que, realmente Jesus Cristo é o Sumo Sacerdote conforme a ordem de Melquisedeque, e também é o Cordeiro perfeito que tirou o pecado do mundo. E que o céu é o santuário Divino, e no que diz respeito ao Lugar Santo dos Santos é onde está o trono de Deus. E que o ATRIO do santuário é a terra(onde se encontra o povo de Deus), não devemos nos esquecer que o apóstolo Paulo diz que somos Templos, Santuário de DEUS.
    Por favor esse é o entendimento que tenho e quero receber o parecer onde houver falhas nessa argumentação, conforme o entendimento do Espirito Santo.

    Luis Gustavo

  35. lgbsantos disse:

    Boa tarde.

    Irmãos, tem um ponto que devemos nos atentar:
    O que diz Apocalipse 11:2(E deixa o ATRIO que está fora do templo, e não o meças; porque foi dado às nações, e pisarão a cidade santa por quarenta e dois meses.).
    Se eu estiver errado alguém me corrija, mas o ATRIO, conforme estudamos o santuário “terrestre” seria o pátio(a área aberta e externa) no interior do santuário. Consequentemente o entendimento daqueles que diz que a doutrina do santuário da IASD é errada estão corretos, sim têm o respaldo biblico.
    Mas irmãos conforme o estudo do livro de Hebreus, Leviticos e Apocalipse 11:2, percebemos que o lugar pisado na profecia é o ATRIO, em função do estudo profético, percebemos que o ATRIO é a própria terra(igreja de Deus). Igreja que na profecia foi pisada por 42 meses(1260 anos). Também poderíamos voltar na profecia das “2300 tardes e manhãs e o santuário será purificado”. Novamente o que tem que ser purificado é o ambiente que foi pisado(ATRIO, igreja de Deus, povo de Deus).
    Note, que estudando a assunto nesse prisma não da pra ver um ambiente no céu sendo pisado, até porque o sacrificio de Jesus foi perfeito( SACRIFICIO REALIZADO NO ÁTRIO(TERRA) e limpou para sempre qualquer dúvida que algum ser celestial ou mesmo interplanetário pudesse ter em relação ao amor de DEUS para com toda a sua criação universal.
    Caro irmãos em Cristo, a conclusão biblica que tenho é que, realmente Jesus Cristo é o Sumo Sacerdote conforme a ordem de Melquisedeque, e também é o Cordeiro perfeito que tirou o pecado do mundo. E que o céu é o santuário Divino, e no que diz respeito ao Lugar Santo dos Santos é onde está o trono de Deus. E que o ATRIO do santuário é a terra(onde se encontra o povo de Deus), não devemos nos esquecer que o apóstolo Paulo diz que somos Templos, Santuário de DEUS.
    Por favor esse é o entendimento que tenho e quero receber o parecer onde houver falhas nessa argumentação, conforme o entendimento do Espirito Santo.

    Luis Gustavo

  36. IASD disse:

    Luis não vimos erro no seu entendimento. Porém, entendemos que o santuário celeste não é apenas todo o Céu. Mas um lugar específico, um prédio verdadeiro que fica no céu, dividido em lugar santo e santíssimo. E nesse prédio fica o Trono Real de Deus. Nesse prédio há uma arca da aliança real e Jesus trabalhando de maneira real para nossa salvação.
    Por outro lado, quando dizemos que o Santuário seria pisado, não é literalmente pisado no Céu pois Lúcifer foi expulso de lá. Mas é pisado no coração dos homens, quando mais de 500 intercessores foram criados pela igreja católica só no século 20. Como as pessoas não se achegam a Cristo, mas aos ídolos, o santuário fica com pouco trabalho, ou seja, trabalhando pela purificação dos que andam no caminho estreito. Nisso entra seu ótimo entendimento de que o atrio é pisado.

    Quando Daniel 8:10-12 diz que o PAPADO se engrandeceu até contra o exército do céu; e a alguns do exército, e das estrelas, lançou por terra, e os pisou…. e lançou a verdade por terra, e o fez, e prosperou, está se referindo que os ídolos tomariam o lugar de intercessão de Cristo no coração dos homens, prejudicando entre 538-1798 (principalmente) o trabalho do santuário.

  37. IASD disse:

    O trabalho no santuário não se baseia apenas nisso. Mas no novo entendimento sobre o sábado (arca da aliança no Céu como diz apocalipse), as 3 mensagens angélicas, o entendimento de que há um trabalho para ser terminado nesse santuário para a segunda vinda, ou seja, o santuário ramifica por todas as doutrinas do adventismo.

  38. Cara IASD,
    Boa tarde.
    Confesso que essa interpretação é bacana, porém, arriscada até demais. Pois há grandes lacunas que não fecham. Daniel 7 foi escrito em aramaico e Daniel 8 em hebraico. Todos os evangélicos, menos os adventistas, acreditam que Daniel 7, por ter sido escrito em uma língua pagã, seria direcionada a todo o mundo, apontando para o anticristo (papado e ou um suposto anticristo no futuro, antes da volta de Jesus). Daniel 8 é interpretado por todos os evangélicos, menos os adventistas também, que por ter sido escrito em hebraico, tinha um foco para Jerusalém, o santuário judeu terrestre. Os próprios judeus macabeus assumiram o cumprimento de Daniel 8 ainda em seus dias. Mas se a interpretação adventista estiver correta, as demais estão erradas e o mundo dividirá entre o sábado e o domingo. Os evangélicos creem que o sábado aponta para Cristo, o descanso real, portanto concluem que o mundo se dividirá entre os que aceitam a Cristo ou o anticristo. O selo de Deus qual seria? Para os adventistas seria o sábado tendo seu oponente o domingo. Para os evangélicos, será a marca do Espírito Santo, um selo que selaria a presença do Espírito no crente através de um batismo ou porção dobrada, selo que nos garante a salvação já que Cristo sairá do Santuário pouco antes da Volta de Cristo, no cair das 7 pragas.
    No fim, vocês tem razão e os evangélicos também. Grande abraço a todos e permaneçamos firmes em Cristo, venha o que vier, seja o que for, possamos estar do lado de Cristo e do seu Selo. Paz e Graça.

  39. fandreacci disse:

    ASD,

    Se a posição da Igreja Adventista do 7 dia é que o santuário celeste é um “lugar específico, um prédio verdadeiro que fica no céu..”

    Onde, nesse santuário, está Deus Pai?

    Em Hebreus fica claro que Jesus sentou a destra de Deus Pai.

    Se for assim, Deus Pai está no lugar Santo?

    Sabemos que Deus é onipresente, mas analisando o contexto de Hebreus, a comparação entre entre o sumo sacerdote terrestre e Jesus, que o sacrifício de Jesus foi perfeito e que sentou a destra de Deus pai, não é mais sensato que Jesus tenha entrado no lugar santíssimo do santuário?

  40. Cara fandreacci, boa tarde.
    Penso que a resposta que você deseja, está nos comentários postados aqui. Sugiro que você leia todos os meus comentários, desde o início. A conclusão que cheguei é que a IASD não tem uma resposta altamente bíblica. É uma resposta baseada mais na fé, no desenrolar das doutrinas que precisam estar casadas para ser aceitas por eles. Confira o que estou dizendo. Gde abraço.

  41. fandreacci disse:

    Vamos considerar:

    O Filho é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser, sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa. Depois de ter realizado a purificação dos pecados, ele se assentou à direita da Majestade nas alturas,
    Hebreus 1:3

    Portanto, visto que temos um grande sumo sacerdote que adentrou os céus, Jesus, o Filho de Deus, apeguemo-nos com toda a firmeza à fé que professamos,
    pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado.
    Assim sendo, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade
    Hebreus 4:14-16

    Temos esta esperança como âncora da alma, firme e segura, a qual adentra o santuário interior, por trás do véu,
    onde Jesus, que nos precedeu, entrou em nosso lugar, tornando-se sumo sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque.
    Hebreus 6:19-20

    O mais importante do que estamos tratando é que temos um sumo sacerdote como esse, o qual se assentou à direita do trono da Majestade nos céus
    e serve no santuário, no verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, e não o homem.
    Hebreus 8:1-2

    No entanto, somente o sumo sacerdote entrava no Santo dos Santos, apenas uma vez por ano, e nunca sem apresentar o sangue do sacrifício, que ele oferecia por si mesmo e pelos pecados que o povo havia cometido por ignorância.
    Dessa forma, o Espírito Santo estava mostrando que ainda não havia sido manifestado o caminho para o Santo dos Santos enquanto ainda permanecia o primeiro tabernáculo.
    Hebreus 9:7-8

    Não por meio de sangue de bodes e novilhos, mas pelo seu próprio sangue, ele entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, e obteve eterna redenção.
    Hebreus 9:12

    Pois Cristo não entrou em santuário feito por homens, uma simples representação do verdadeiro; ele entrou no próprio céu, para agora se apresentar diante de Deus em nosso favor;
    não, porém, para se oferecer repetidas vezes à semelhança do sumo sacerdote que entra no Santo dos Santos todos os anos, com sangue alheio.
    Hebreus 9:24-25

    Portanto, irmãos, temos plena confiança para entrar no Santo dos Santos pelo sangue de Jesus,
    por um novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu, isto é, do seu corpo.
    Hebreus 10:19-20

    O sumo sacerdote leva sangue de animais até o Santo dos Santos, como oferta pelo pecado, mas os corpos dos animais são queimados fora do acampamento.
    Assim, Jesus também sofreu fora das portas da cidade, para santificar o povo por meio do seu próprio sangue.
    Hebreus 13:11-12

    As expressões mais importantes dos textos (nessa discussão) são “à direita da Majestade nas alturas”, “o trono da graça”, “por trás do véu”, “por meio do véu”, “Santo dos Santos”, “por um novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu”, “sumo sacerdote que entra no Santo dos Santos todos os anos”.

    É vital que entendamos que nas últimas alusões é utilizada a mesma expressão que é traduzida de várias maneiras em diferentes versões da bíblia. “O mais santo”, “Santo dos Santos”, “Lugar Santo”, “Santuário”. Essa expressão é TA HAGIA.

    Hebreus afirma, repetidamente, que Cristo, na época em que foi escrito o livro de Hebreus, já havia entrado e permanecido em TA HAGIA.

    A tradução NIV estava correta em utilizar “Santo dos Santos” ?

    TA HAGIA é uma forma plural com um significado singular. As autoridades léxicas modernas incluem essa expressão em suas listas de palavras deste tipo. A Seventh-day Adventis Bible Commentary reconhece esse fato, e aponta que HAGIA é utilizada para o primeiro compartimento no versículo 2 e para o segundo compartimento no versículo 3 de Hebreus 9.
    TA HAGIA é utilizada repetidamente nas referências citadas acima para o lugar em que Cristo entrou celestialmente. De acordo com Hebreus, TA HAGIA, é o lugar (ou como muitos preferem, representa a forma de ministério) entrado por Cristo em sua morte e ascensão.

    Contexto, não a filosofia, deve decidir o significado desta expressão.

    Praticamente qualquer estudioso da época de Cristo creu que em Hebreus a expressão TA HAGIA significava a parte mais interna do santuário, o segundo compartimento de Levítico 16:2,3,16,17,23,27. Os Adventistas do Sétimo Dia tradicionalmente tem questionado isso com base na forma plural grega, mas nenhum estudioso grego competente e reconhecido (mesmo dentro da Igreja Adventista do Sétimo Dia) mantém essa posição atualmente, ou se existir, é uma estranha raridade.
    É reconhecido que Hebreus mostra claramente que, na época em foi escrito, Cristo já havia entrado em TA HAGIA e que a expressão se aplica a um único lugar ou aquilo representado pelo segundo compartimento.

    O contexto deixa claro que “TA HAGIA” é o lugar “por trás do véu” ou “por meio do véu”. É o lugar em que se entra apenas uma vez por ano. O Santo dos Santos e é equivalente ao segundo. É onde encontra-se o trono de Deus. Qualquer um que lá encontra-se está a destra de Deus. Vejam os textos abaixo.

    Os versos em Hebreus 6:19,20; 10:19,20 são enfáticos em mostrar que Cristo já havia passado por meio do véu para “TA HAGIA”. Que o novo caminho para “TA HAGIA” era simbolizado pelo rasgar do segundo véu, no calvário, e é isso que Hebreus 10:19,20 obviamente se refere.
    Hebreus 9:7,8 demostra que “TA HAGIA” é equivalente ao “segundo” – o fato de que o sumo sacerdote era somente permitido entrar no “segundo”, e isso somente uma vez por ano, mostrava que o novo caminho para o “segundo” ( O santo dos Santos “TA HAGIA”) ainda não estava manifestado porque Jesus ainda não tinha vindo.
    Hebreus 9:12,24,25 e também 9:7,8 apontam a mesma coisa, que era “TA HAGIA” onde o sumo sacerdote entrava apenas uma vez por ano, no dia da expiação.
    O Autor de Hebreus está dizendo, repetidamente, que, o que o sumo sacerdote fazia uma vez por ano, Cristo fez de uma vez por todas.
    Não há nenhuma indicação em Hebreus de que Cristo entrou em TA HAGIA apenas para voltar para o primeiro compartimento. De fato, o primeiro compartimento não é aplicado a nenhum ministério especial de Cristo no céu. Não há nenhuma indicação de acordo com Hebreus de que, no futuro, Cristo entraria em uma segunda fase de seu ministério, uma entrada futura no lugar em que ele já havia entrado. Isso não faria sentido algum e seria totalmente ao contrário do testemunho dos capítulos de Hebreus.

    Deve ser enfatizado que “por trás do véu” é reconhecido pelos estudiosos do Novo Testamento como o segundo véu. Essa é a posição de E. Heppenstall, S. Kubo, J. Cox, W. Johnsson, F. Veltman, R. Cottrell, B. Neal, N. Gulley, N. H. Young, e muitos outros.

    Hebreus mostra claramente que Cristo, no primeiro século, já havia ocupado um ministério equivalente, porém superior, ao ministério típico que sumo sacerdote terrestre realizava no segundo compartimento do tabernáculo no dia da expiação. Nenhum Adventista do Sétimo Dia Competente tem oferecido alguma refutação escrita e aceita por demais companheiros sobre o que foi supracitado.

    O texto acima é referente apenas a introdução do Capítulo 2 de Daniel 8:14, The Day of Atonement, and the Investigative Judgment por Desmond Ford. Sugiro a todos a leitura do texto completo em:

    http://www.goodnewsforadventists.com/library/daniel-814-the-day-of-atonement-and-the-investigative-judgement/

  42. Perfeito. Desmonta de uma vez por todas a ideia embutida na doutrina do santuário que a IASD seja uma igreja mais especial que as outras. Todas são iguais e especiais para o Pai.

  43. Amauri Luis disse:

    amaurisfs@hot mail.com Eu também tenho muitas dúvidas ha esse respeito,pois já fui adventista e sai justamente por isso , mais também, não encontrei base nas outras igrejas , pois tem muitas diferenças cito : batismo com o espirito santo, santa ceia ,guarda do domingo,comidas impuras e não menos importante volta de cristo em secreto .Não achei isso na bíblia. Alguém pode me auxiliar sobre esses assuntos ? obrigado ate mais.

  44. IASD disse:

    Amauri, volte para nós. Venha estudar sobre as 70 semanas e os 2300 dias. Ali está o segredo do santuário.

  45. Amauri Luis, nenhuma tem base! Se você é um cara bacana, sem problemas, a Igreja Adventista é um bom lugar. De todas, acredito ser a menos ruim. Volte e seja feliz. Mas se você é um cara que tem problemas espirituais, que deseja uma vida de intimidade com Cristo de forma extraordinária, procure uma Igreja Renovada da linha Batista e seja feliz, pois na igreja adventista nada mudará com você. Pode ser que você melhore por pouco tempo, mas sempre volta o problema porque a engrenagem doutrinária adventista não permite uma atuação do Espírito Santo maior. Procure ficar na sua, nada de tentar discutir sobre as interpretações adventistas dentro de uma igreja renovada. Creia no que ver como coerente com a Bíblia e procure uma intimidade com Jesus lá dentro. O poder da oração nessas igrejas é muito melhor que na Igreja Adventista. Se você está mesmo sem problemas e quer uma igreja “parecida” com a adventista, vá para Primeira Batista. É uma igreja tradicional, mas dá para respirar melhor que numa igreja adventista. No mais, todas tem doutrinas humanas, nenhuma está isenta do erro doutrinário. Gde abraço.

  46. Saudações,

    Durante muito tempo tem sido levantada a questão em relação ao papel que Cristo exerce hoje como sumo-sacerdote e mediador. Questões que poderiam ser resolvidas com simples perguntas como: “Porque o ministério de Jesus Cristo foi tão curto neste planeta?” Apenas 3 anos e meio. Mesmo com a grande importância que teve a morte vicária de Cristo, será que todo o plano da redenção resume-se apenas em 3 anos e meio? Por que o autor de Hebreus revela que Cristo é sumo-sacerdote? O que fazia um sumo-sacerdote? O que tem isso haver com os seres humanos?
    O grande ponto controverso contra os adventistas é justamente a questão sobre o que quer dizer o autor de Hebreus.
    Vejamos os versos:
    Hb 6:19-20 “A qual temos por âncora da alma, segura e firme e que penetra além do véu, onde Jesus, como precursor, entrou por nós, tendo-se tornado sumo-sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque”.
    Hb 9:12 “Não por meio de sangue de bodes e de bezerros, mas pelo seu próprio sangue, entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, tendo obtido eterna redenção”.
    Hb 10:19-20 ” Tendo, pois, irmãos, intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne.
    Muitos teólogos de nome, afirmam com base nos versos acima, que Jesus entrara no santíssimo já no ano 31 d.C, data de sua morte expiatória. Afirmam também que Jesus já ressuscitou como sumo-sacerdote, quando foi recebido no céu, assim, o fato de Hebreus nos dizer que entrou no santíssimo, ele então havia feito o dia da expiação, tendo em vista que quando o sumo-sacerdote entrava no santíssimo é porque era este dia. Se isso é verdade, então perde-se o valor para 1844. Os adventistas estão completamente enganados e tudo não se trata de heresias e equivocadas interpretações.
    Muito bem… vejamos a explicação das coisas!
    Todos os teólogos estão certos quando afirmam que no ano 31 d.C Cristo entrou no santíssimo e quando Jesus ressuscitou como sumo-sacerdote, mas estão errados quando dizem ter começado o dia da expiação.
    A primeira pergunta que faremos é: Quantas vezes o sumo-sacerdote entrou no santíssimo? Talvez você já tenha respondido em sua mente dizendo: 1 vez, no dia da expiação! Lamento informar que você errou, ele entrou 2 vezes, preste muita atenção e acompanhe essa viagem!
    A primeira vez que um homem entrou no santuário, ele não passava de uma simples tenda, não havia problema algum, pois não havia sido consagrado ainda, portanto, a primeira vez foi quando o sumo-sacerdote estava ungindo todo o santuário, seus utensílios e suas partes, para isso ele precisou entrar no santíssimo e ungir a arca do concerto. Era o dia da inauguração do santuário, da unção. Quando saiu de lá, depois de ter ungido, ai sim, não poderia mais entrar até que chegasse o dia determinado, dia esse que chamamos de expiação.
    Para resolver todo esse embaraço é preciso atentar a uma única palavra que resolve todo o caso, Hb 10:19-20 onde diz “…pelo novo e vivo caminho que ele nos CONSAGROU pelo véu…”
    Neste verso existe uma palavra que é a solução, ela se chama em grego (egkainizw = consagrar), esta palavra é usada não em conexão com a expiação mas com o dia da inauguração do santuário, ou unção.
    Na LXX, esta palavra só aparece em dois lugares, e a outra vez é em Nm 7, mas o que é que há neste capítulo (Nm 7)? É exatamente a inauguração do santuário hebreu, ou seja, sua unção. O dia em que começaria a funcionar oficialmente.
    Quando hebreus diz que ele …”consagrou” pelo véu… quer dizer que Cristo no ano 31 d.c entrou no santíssimo e inaugurou o santuário celestial, ou ungiu.
    Em Dn 9:24 diz que Cristo foi “…para ungir o santo dos santos…”
    Portanto a obra que Cristo como sumo-sacerdote foi fazer no ano de sua recepção no céu e entrada no santuário celeste foi de inauguração e não de expiação, pois a mesma, iniciou-se apenas no ano de 1844, conforme as profecias de Daniel, as 2300 tardes e manhãs.
    Quando voltamos à LXX, compreendemos o significado desta palavra. Na Torah, aparece apenas em um único capítulo, em Nm 7:10, 11, 84, 88. Qual o contexto deste capítulo? A inauguração do santuário.
    Quando vemos isto podemos nos alegrar, pois temos uma chave dentro do livro de Hb, que nos fala o que Cristo fez quando entrou no santuário. Ele realmente entrou além do véu, no santíssimo. No entanto, o evento estava errado. Não iniciou o Dia da Expiação, mas sim o Santuário Celestial foi inaugurado.
    Ex 40:9 – Mostra que Moisés entrou no santuário e ungiu todos os móveis, inaugurando todos os compartimentos, inclusive o santíssimo. O sumo sacerdote ainda não estava ungido, e por isso Moisés fez o serviço. Jesus é o antítipo tanto de Moisés como do sacerdócio.
    Um homem chamado Dr. Desmond Ford usa Hb 9:12, onde o problema é “Ta hagia”. Aqui são mencionados dois animais: bodes e bezerros. Ford diz que estes dois animais só eram usados no Dia da Expiação, o que tornaria claro que é referência ao Dia da Expiação. Este é o argumento do Dr. Ford.
    Aqui são usados dois termos: “bodes” (tragos/grego e atud/hebraico) e “novilhos” (moskós).
    Eram estes mesmos os dois animais oferecidos no Dia da Expiação? Utilizemos a LXX. Como ela traduz estas duas palavras? “Bode” é encontrado em Lv 16, mas a palavra usada para bode em Lv 16, é outra (Químaros/grego e sa’ir/hebraico), que é usada 13 vezes em Lv 16 e a outra nunca aparece em relação ao Dia da Expiação. A única vez em que a palavra de Hb é usada no Pentateuco aparece em Nm 7. No hebraico, também existem duas palavras para bode, e as ocorrências são exatamente as mesmas. Alguns sugerem que “tragos” era usado unicamente para o macho e químaros era genérico, podendo ser macho ou fêmea.
    Creio que Cristo entrando no santuário, em sua inauguração, seja o cumprimento de Dn 9:24, onde deveria “ungir o santo dos santos”. Antes do ano 34 o santíssimo deveria ser ungido (antes de terminar as 70 semanas). Hebreus está anunciando este cumprimento.
    Antes da morte de Cristo, o povo era salvo pela fé num sacrifício que ainda ocorreria. A questão PROLÉTICA. Após sua ressurreição, Jesus inicia, inaugura oficialmente o seu serviço no Santuário Celestial.
    Ta Hagia – literalmente quer dizer “os santos” (neutro plural). A questão é: A que se refere isto em Hebreus? É encontrado em 9:12 e 10:19.
    Qual é o uso que a LXX dá a esta palavra? No BibleWorks, encontramos 109 vezes a palavra. Vendo o contexto, a conclusão é que o termo é usado para todo o santuário, é um termo geral. NUNCA é usado em referencia ao Santíssimo. 3 vezes é usado para o lugar santo, e 106 vezes ao restante do santuário como um todo. O escritor de Hebreus manteve-se fiel ao uso comum da palavra. Sendo assim, a melhor tradução para estes dois textos deveria ser “santuário”, de uma forma geral, e não Santíssimo.
    Uma perguntinha, qual era o trabalho de Jesus no 1o Século? Estava no Santíssimo? Estava purificando o Santuário Celestial?
    Não! Hb 7:25-27; 10:11-14; 13:10-12
    Seu trabalho é a intercessão. O ministério do TAMID. O ministério do Santo. v.27 – Fica explícito o assunto. Intercessão, diário/tamid, indicam claramente o ministério no lugar santo. E no futuro? Hebreus indica o julgamento futuro 10:25-31 “O Dia”. O termo técnico para “o dia” é YOMA. O autor está advertindo para que continuem congregando, pois o Dia da Expiação ainda estava no futuro. Para ele este ministério ainda não estava acontecendo.
    V. 26 – Deixa isto claro. O julgamento é no futuro, e não no 1o século. Fogo vingador – Um juízo executivo.
    V. 28 – Descrição do juízo legal, chamado de juízo investigativo pelos ASD, que ocorre antes do juízo executivo.
    V. 30 – As pessoas envolvidas: O povo de Deus. Isto não aconteceu no 1o século. Era algo que ainda estava no futuro.
    Outros dizem que não era o Sumo-Sacerdote quem inaugurava o santuário, mas foi Moisés. No entanto, Moisés foi um tipo de Cristo.

    De Ronaldo Marra

  47. Só para não ficar dúvida, continua abaixo o comentário

    Hb 9:11 – Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação.
    Comentário: Cristo é sumo-sacerdote de um tabernáculo perfeito, maior e não desta criação, ou deste mundo porque ele está exatamente no céu.
    Nota: Você já percebeu que em Hb 9:12 o autor fala que Jesus “entrou no santo dos santos” mas o grego contém aqui “santo” bem como em outras passagens. A despeito disso, porém, é preciso lembrar que não devemos “isolar” Jesus do Pai por cerca de 1800 anos (desde sua ascensão) até 1844 para poder chegar à Sua presença. Aliás, a expressão “lugar santo” traduzida conforme o contexto pode estar referindo-se não apenas a uma parte mas também a todo o santuário. Portanto, Jesus subiu para o santuário independente do lugar santo ou santíssimo mas desenvolveu, até onde a Revelação nos informa, o ministério relativo ao lugar santo até 1844 a.D, e isso sem criar isolamento entre Deus e o Filho e sem confinar Jesus a um lugar específico por quase dois milênios. Dessa forma Ele pode estar, como Estevão o viu, “à direita de Deus” pois Ele declarou “Eu e o Pai somos um” e “tudo o que o Pai tem é meu”, e, ao mesmo tempo estar cumprindo o ministério relativo ao lugar santo. Esse tipo de duplo significado e ação é muito comum quando se trata da natureza e ação da divindade (Trindade, natureza de Cristo, morte de Jesus, sua tentação etc). Assim, Jesus cumpre duas etapas em (para compreensão do universo) lugares diferentes, épocas diferentes, com significados diferentes, conforme simbolizado pelo Santuário terrestre, mas sem literalizar todos os detalhes e sem desprezá-los, afinal, o problema não está na revelação mas na imperfeição da compreensão humana. As duas etapas: intercessão, purificação do santuário são reais; as duas ocasiões: após a ressurreição e após 1844 são reais; os dois lugares: santo e santíssimo, são reais. O santuário é onde Deus está, onde realmente tudo acontece, de onde todas as ações divinas procedem, centro de nossa esperança, de onde Jesus virá.
    Ap 15:5 – E depois disto olhei, e eis que o templo do tabernáculo do testemunho se abriu no céu.
    Comentário: O apóstolo João olha e vê o templo do tabernáculo celestial abrindo-se, imagine que visão!
    Ap 11:19 – E abriu-se no céu o templo de Deus, e a arca do seu concerto foi vista no seu templo; e houve relâmpagos, e vozes, e trovões, e terremotos, e grande saraiva.
    Comentário: O profeta João vê no céu algo que só encontramos no santuário, a arca do concerto, que ficava exatamente no local onde apenas o sumo-sacerdote (Cristo) é quem tem acesso, no santíssimo.
    Hb 1:3 – Essa é a passagem usada por muitos para dizer que Jesus está sentado a direita de Deus e por esse motivo não pode haver santuário no céu, pois o sumo-sacerdote não senta enquanto oficia. Embora pareça ridículo dizer algo assim, vamos entender esse verso. Essa é uma expressão figurada que indica a nova e exaltada posição do salvador, sugere uma posição de honrra, ao lado de Deus, e não uma localização geográfica da presença de Cristo. Se formos pegar esse verso de forma literal, então devemos encontrar outro verso que diga que ele levantou dali, pois assim, estaria sempre sentado no céu, entende? O próprio Cristo refere-se aos redimidos glorificados de maneira similar quando promete que eles também irão sentar-se com Ele no trono do seu Pai, não o ato de sentar-se fisicamente, o que seria impraticável para milhões de salvos terem que sentar.
    Conclusão: A maioria das igrejas não admitem a existência de um santuário no céu não porque não existe base teológica para isso, mas porque não podem admitir João vendo a arca do concerto no céu, onde dentro encontra-se a santa lei de Deus, que mostra como 4º mandamento o sábado de descanso, este sim é um grande motivo, pois admitir que existe um santuário é admitir que existe um lugar santíssimo, onde está a lei eterna, que tem como 7º dia o sábado de descanso, a lei não passou, mas está no céu (símbolo de eternidade).
    – É impossível ler o capítulo 9 de Hebreus e não perceber a existência de um santuário celestial.

  48. Ronaldo Marra, gostaria de dizer que vc foi usado por Deus quando escreveu seus comentários…
    Sou professor da ES e ao estudar mais a fundo o assunto da ultima lição de 2013 me deparei com essas questões… mas graças a Deus cheguei até suas respostas que me trouxeram uma maior e melhor compreensão sobre o tema
    Deus continue te abençoando amigo

  49. alborges disse:

    Muito esclarecedores os comentários do Dr. Marra. A questão da entrada de Jesus além do véu para ungir o Santo dos Santos, eu já ouvira do pr. Arílton de Oliveira, no Bíblia Fácil. Os esclarecimentos sobre Ta Hagia, conforme se lê na Septuaginta, por exemplo, desfazem a interpretação que aqueles que combatem a Doutrina do Santuário tentam passar em seus comentários. Sempre que os argumentos bíblico-exgéticos não forem suficientes, pode-se usar assertivas já exaustivamente rebatidas de forma mais que convincente de adventistas dissidentes como Desmond Ford ou apóstatas como D. M.Canright…

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s